Cultura

Com esculturas viscerais, artista Renata Portela realiza sua primeira exposição solo em Goiânia

diario da manha

Esculpindo há mais de 10 anos, a goiana Renata Portela iniciou seus passos na arte fazendo pequenas esculturas para dar de presente aos amigos e família. Aos 35 anos, ela agora mergulha em seus próprios sentimentos para revelar ao público sua primeira exposição solo. A série “Implosões” é o reflexo do amadurecimento de Renata como artista, título que a designer demorou para assumir. A vernissage acontece no dia 1º de Abril, a partir das 19h, no estúdio Is Cool, sob curadoria de Ana Paula Polim.

Formada em design gráfico e professora de artes, esta é a primeira vez que Renata se apresenta como artista plástica. “Me definir como artista foi um processo lento. Com a formação em design gráfico, sempre tive a visão da forma, de obrigatoriamente dar função para aquilo que se cria. Mas, agora, com a ajuda inclusive dos meus alunos, eu encaro a arte como pura expressão de sentimentos e estou em paz com esse conceito”, afirma.

IMG_2288_1-FOTO NEILTON FERNANDES-menor

Autoconhecimento – As peças reunidas em “Implosões” foram criadas ao longo dos últimos dois anos e a unidade das esculturas vai além das técnicas e materiais utilizados pela artista. Alguns elementos também são constantes. Em todas as esculturas há a presença marcante da cor vermelha e referências à forma do coração. “Não é algo intencional, mas o coração sempre acaba aparecendo, é uma constante. Acho que é uma forma de me aceitar como um ser essencialmente passional.” E analisar cada escultura também provoca uma reação de autoconhecimento na artista o que, de fato, é a grande essência da exposição. “Quando finalizo uma obra é como se eu estivesse tirando um tumor, um corpo estranho que estava me fazendo mal, então todas as esculturas são muito íntimas e refletem momentos que vivi.”

Usando como principal matéria prima os materiais reciclados, como fios de cobre e alumínio, o trabalho de Renata também representa a importância que ela dá ao reaproveitamento de objetos que seriam descartados. “Minha família tem uma eletrônica e sempre convivi com os fios de cobre e outros materiais diferentes. Eu realmente acredito que tudo pode ser reaproveitado e muito do meu trabalho tem a ver com isso: dar um novo objetivo, um novo significado a algo que seria jogado fora. Acredito nessa valorização. Sem falar na preservação ambiental, que considero uma pauta muito importante.”

IMG_2158_1-FOTO NEILTON FERNANDES-menor

Renata atribui também boa parte de seu renascimento como artista – e como pessoa – ao apoio da família e dos amigos. “Eles me incentivam, me apóiam. Sou extremamente grata”, agradece. Algumas peças foram feitas, inclusive, com a ajuda de sua gata Ágata, companheira de madrugadas e de estripulias. “A Agatinha é muito curiosa e brincalhona, então ela acabou quebrando algumas peças e essas intervenções me deram novas ideias para ir além nas criações. Todo apoio que recebo, seja da família, dos amigos e até dos bichos influencia muito no meu trabalho”, finaliza a artista.

Serviço:

Exposição “Implosões”, por Renata Portela – de 1º a 30 de abril

Vernissage: 1º de abril, das 19h às 22h.

Estúdio Is Cool – Rua 9, nº 1.472, St. Marista.

(DA ASSESSORIA)

Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro