Cultura

Livro dá voz aos trotskistas, a ‘extrema-esquerda’ no Brasil

diario da manha
  • Sessão de autógrafos ocorrerá nesta sexta-feira, 30 de junho, na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, no hall de entrada 
  • Autor detecta a existência de 28 organizações revolucionárias, adeptas das ideias de Liev Davidovich Bronstein, Leon Trotsky 
  • Pesquisador faz perfil do líder da revolução russa de outubro de 1917 e mostra as diferenças táticas e estratégicas entre grupos rivais 
  • Com oito livros-reportagem, escritor é formado em Jornalismo e Sociologia, especialista em Políticas Públicas e mestre em Direito e RI 

 

À esquerda nos espectros políticos e ideológicos mundial e nacional, os trotskistas, adeptos das ideias de Liev Davidovich Bronstein, nascido em 7 de novembro de 1879, em Yanovka, Ucrânia, ‘nom de guerre’ Leon Trotsky, que tomou emprestado de um carcereiro após prisões políticas sob o czarismo dos Romanov, hegemônico na velha e atrasada Rússia por 300 anos, constituem o foco do livro Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21, RD Comunicações Editora, impresso em junho de 2017. A obra é de autoria de Renato Dias, 49 anos de idade. O escritor é formado em Jornalismo, graduado em Sociologia, com pós em Políticas Públicas e em Gestão da Qualidade e mestre em Direito e Relações Internacionais.

O autor, após três anos de pesquisas e entrevistas, de norte a sul do Brasil, diagnosticou a existência de 28 organizações revolucionárias. Partidos políticos, frações públicas e clandestinas, correntes internas e coletivos classistas, expõe. Movimentos, que possuem ligações internacionais, com supostas centrais mundiais da revolução proletária, e que mantém órgãos de agitação e propaganda, como jornais, revistas  e portais, editoras  com linhagem fundadas no materialismo histórico e dialético, diz. Conceitos formulados por Karl Marx, nascido em 1818  e morto em 1883, Friedrich Engels [1820 e 1895], industrial e financiador das pesquisas do velho amigo, assim  como do advogado de ‘indefectível cavanhaque’, o russo Vladimir Ilich Ulianov, codinome Lênin, morto, em 1924, após liderar a Revolução Russa de outubro de 1917.

Quatro facções atuam, hoje, dentro do PT, fundado em 10 de fevereiro de 1980, no Colégio Sion, em São Paulo. A principal é a ‘Democracia Socialista’, que editava o jornal Em Tempo, cujos líderes são Raul Pont [RS], ex-prefeito de Porto Alegre, ex-deputado estadual, e Miguel Rossetto [RS], em ministro de Estado, tanto de Luiz Inácio Lula da Silva quanto de Dilma Vana Rousseff. Seção brasileira da Quarta Internacional, fundada em 1938, na França, a corrente ‘O Trabalho’ é dirigida por uma troika: Markus Sokol [SP], economista, Júlio Turra [SP], sociólogo, e Misa Boito [SP], sindicalista. A tendência ‘Combate Pelo Socialismo’  possui como porta-voz  o professor Heitor Cláudio [SP]. Já a ‘Corrente Posadista do PT’ tem à frente o jornalista Beto Almeida [DF], um dos fundadores da Telesur. É vinculado à Quarta Internacional de J. Posadas.

Radicais 

Trotskista de identidade ‘morenista’,  dos conceitos do revolucionário argentino Nahuel Moreno, morto em 1987, Luciana Genro[RS], que disputou as eleições ao Palácio do Planalto, pelo Partido Socialismo e Liberdade, em 2014, é do ‘Movimento da Esquerda Socialista [MES]’, observador do antigo SU, o Secretariado Unificado da Quarta Internacional. Ex-deputado federal, João Batista Babá[PA], hoje radicado no Rio de Janeiro, é o ‘band leader’ da ‘CST’. A ‘Corrente Socialista dos Trabalhadores’, hoje no PSOL. Dissidência da CST, o grupo ‘Luta Socialista’ é representado pelo sindicalista de Belém do Pará, Douglas Diniz, da direção nacional do PSOL. A ‘Insurgência’, PSOL, possui o advogado de Goiânia Henrique Lemos como um de seus militantes de destaque. O agrupamento dividiu-se, em 2016, em mais três frações.

Candidato a prefeito de Goiânia, em 2016, o doutor em Ciências Sociais e professor da Universidade Federal de Goiás, Flávio Sofiati [SP], é da ‘Comuna’, ao lado do doutor do Departamento de Economia da PUC de São Paulo [PUC-SP], João Machado [MG].  Vereadora em Niterói, a bela Talíria Petrone [RJ] lidera a ‘Subverta’. Vinícius Almeida [RJ], mestre em Ciências Políticas, coordena o ‘Comunismo e Liberdade’. Preso no Deops [SP], em 1980, ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-metalúrgico José Maria de Almeida [SP] é o eterno comandante do PSTU [Partido Socialista Unificados dos Trabalhadores], ligado à LIT [Liga Internacional dos Trabalhadores]. Sob a direção do doutor em História Valério Arcary [SP], o ‘MAIS’, surgido em 2016, montou um comitê de enlace com a ‘Nova Organização Socialista [NOS]’.

Com referência no Partido Obrero da Argentina, de Jorge Altamira, o ‘Coletivo Tribuna Classista’, com Freddy Zapelone [SP], acelera os seus passos nas lutas de classes no Brasil. Clandestino, há também o Partido Operário Revolucionário [POR]. Jornalista formado na Cásper Líbero, Rui Costa Pimenta [SP] é o presidente nacional do trotskista Partido da Causa Operária [PCO]. Matheus Ballardin [RS], professor, é membro do Alicerce [Juventude e Sindical]. A ‘Luta Pelo Socialismo’ [LPS], com o uruguaio Alejandro Acosta, é um racha do PCO, que realizou o seu primeiro Congresso Nacional, em 2017. Médico formado na UnB, com estudos na China, doutorado em Sociologia e pós-doutorado em Serviço Social, Gilson Dantas [DF] é do MRT, Movimento Revolucionário dos Trabalhadores. Thieplo Bertola [RJ],  Frente Comunista dos Trabalhadores [FCT].

O educador Péricles de Lima [MG] é membro da ‘Liga Socialista’ e da V Internacional Socialista. Serge Goulart [SC], que era amigo do bolivariano Hugo Chávez, morto em 5 de março de 2013, formou a ‘Esquerda Marxista’ [EM]. Márcio Torres [RJ] criou o Reagrupamento Revolucionário. Cândido Alvarez [PR], cientista político, é da Liga Bolchevique Internacionalista [LBI], formada no calor do ano de 1995. O historiador André Ferrari [SP], torcedor apaixonado do Palmeiras, controla a Liberdade, Socialismo e Revolução [LSR], como o professor-doutor em Psicologia Política da UFG, Fernando Lacerda. A Tendência Proletária é coordenada por Gabriel Sales Custódio [MG]. O ativista esquerdista Jhony Silva [RJ] é um dos líderes do Movimento Revolucionário Socialista, denominado de MRS, de linhagens marxista, leninista, trotskista.

Quem é o autor 

O escritor Renato Dias é autor dos seguintes livros-reportagem: Luta Armada/ALN-Molipo – As Quatro Mortes de Maria Augusta Thomaz; História – Para Além do Jornal – Um repórter exuma esqueletos da ditadura civil e militar;  O menino que a ditadura matou – Luta armada, VAR-Palmares, desaparecimento e o desespero de uma mãe;  Pequenas Histórias – Cuba, Hoje – Uma revolução envelhecida ou a reinvenção do socialismo – A relação entre Havana e a Casa Branca; Não! Os Sem-Gravata – Um escritor vai à Grécia, diagnostica a crise e vê qual é a do Syriza e da Troika;  1964-2016 – Página Infeliz da Nossa História – Golpe depõe Dilma Rousseff e anuncia um futuro a Temer.  ‘Luta Armada/ALN-Molipo – As Quatro Mortes de Maria Augusta Thomaz – segunda edição revista e ampliada, com novos capítulos e imagens’. Como a revolução faltou ao encontro, no Brasil, resolvi contar as esperanças derrotadas, frisa.

1-1

Como a revolução faltou ao encontro, no Brasil, resolvi contar as esperanças derrotadas 

Renato Dias, escritor

1-2

Serviço 

Livro: Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21

Editora: RD Comunicações Editora

Autor: Renato Dias

Data: 30 de junho, sexta-feira

Horário: a partir de 17

Local: Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, em Goiânia, hall de entrada

Preço do Livro: R$ 75,00 – Edição de luxo, com capa dura e design moderno

 

O autor Renato Dias na casa onde viveu, de 1937 a 1940, Leon Trotsky, morto em 21 de agosto de 1940, por um golpe de piolet, uma espécie de picareta de alpinista, desferido por Ramón Mercader Del Río, agente de Josep Stálin, depois protegido pelo ditador Fidel Castro
O autor Renato Dias na casa onde viveu, de 1937 a 1940, Leon Trotsky, morto em 21 de agosto de 1940, por um golpe de piolet, uma espécie de picareta de alpinista, desferido por Ramón Mercader Del Río, agente de Josep Stálin, depois protegido pelo ditador Fidel Castro

Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro