Cultura

Homenagem ao guerreiro

Banda Biquini Cavadão apresenta turnê baseada em álbum com músicas do padrinho, Herbert Vianna. Aproveitando a presença dos cariocas por aqui, conversamos com Bruno Gouveia. Confira!

diario da manha

Apoiador do rock nacional em seu auge, nos anos 80, Herbert Vianna ajudou a Biquini na escolha de seu nome (Foto: Divulgação)

Rariana Pinheiro

O rock pop brasileiro vai estar bem representado neste sábado (20), a partir das 16 horas, no Deu Praia. Será possível contemplar o trabalho não só de uma banda importante ao cenário, mais sim de duas. É que os cariocas da Biquini Cavadão trazem hoje a Goiânia a turnê baseada em seu último álbum “Ilustre Guerreiro – Uma Homenagem a Herbert Vianna”, onde interpretam clássicos que o artista compôs para os Paralamas do Sucesso. 

A ideia de fazer esta homenagem nasceu em 2007 e foi sugerida pelo guitarrista Carlos Coelho. No começo, o projeto era no formato de show, porém este ano o álbum saiu. Mas a relação de amizade e respeito com o vocalista dos Paralamas do Sucesso vem antes até da própria banda assim como se conhece existir. 

Herbert, um grande incentivador do rock nacional na década de 80, ajudou outros nomes,como Legião Urbana – quem sugeriu o nome Biquini Cavadão e também participou da produção da música  “Tédio”, primeiro sucesso do grupo. “Ele também sugeriu o nome Os Hipopótamos de Kart (risos). E os Paralamas são muito queridos por nós. Temos bons amigos no meio, não só da década de 80, como no geral”, disse o vocalista da Biquini, Bruno Gouveia, em entrevista ao Diário da Manhã.  

Formada por Bruno, Miguel, Álvaro e Coelho, além de “Ilustre Guerreiro”, em seus quase 35 anos de história, a banda visionária tem apostado em outro projeto, como “Vou te Levar Comigo”. Nesta proposta, eles convidam artistas fora do segmento rock para cantar com eles suas principais canções. Os primeiros a participarem foram Matheus e Kauan com a música “Quanto Tempo Dura Um Mês”. 

Para o ano que vem, planejam a gravação de um álbum de inéditas. Em conversa com o DM, Bruno Gouveia contou sobre os projetos atuais e sonhos. Também fez uma análise sobre o destino da música para o futuro. 

Diário da Manhã – O que estão preparando para o show em Goiânia?

Bruno Gouveia – Lançamos o CD “Ilustre Guerreiro – Uma Homenagem a Herbert Vianna”. A tour está passando por diversos estados e estamos felizes em tocar novamente em Goiânia. Além dos grandes sucessos do Biquini Cavadão, daremos ênfase nas canções deste disco: clássicos que Herbert compôs para sua banda, os Paralamas do Sucesso, e outros artistas.

DM – Por que acham que os goianos identificam tanto com o som da banda?

Bruno – Essa identificação não se restringe aos goianos, mas é sempre especial tocar aí. Não por menos, gravamos nosso DVD de 30 anos na cidade. Creio que a galera gosta da maneira com que transformamos o show da banda num show de todos. O público é parte fundamental para o show ser marcante.

DM – O show terá canções de ‘As Voltas Que o Mundo Dá”? O que este último álbum de inéditas mostrou à banda?

Bruno – Temos muito orgulho deste disco. É natural que a gente se distancie dos álbuns gravados, mas no caso de “As Voltas Que O Mundo Dá”, continuo a ouvi-lo com frequência. Tivemos uma rica produção com Liminha e isso só deu mais brilho às novas músicas que compusemos. Com certeza, tocaremos alguma no show.

DM – Como foi a resposta do público em “Quanto Tempo Dura Um Mês”, no qual gravaram com Matheus e Kauan? A mistura de ritmos sempre agradou a banda?

Bruno – Para nós, não houve muita diferença, nesta versão com Matheus e Kauan. Tocamos como sempre fazemos e os convidamos para cantar. Definir isto como rocknejo é avaliar sem ouvir o trabalho. Dito isso, acho que eles fizeram uma bela interpretação. Péricles deverá cantar “Janaína” conosco. Ele está super animado. E nós também. 

DM – Vocês foram um dos primeiros artistas a notar o poder da música na internet. Lançaram o álbum “Biquini.com.br”, foram pioneiros a construir um site, e-mail e lançaram um álbum em pen drive. Como veem o futuro da música e seu mercado daqui pra frente?

Bruno – O futuro da música neste momento está ligado à acessibilidade, aos comandos de voz. O futuro é você dirigir e pedir ao seu rádio: “Toca a última do Biquini Cavadão, aquela que eles cantam… (e você canta um trecho da música para que o aparelho reconheça e toque com qualidade, sem interrupção). Nossa internet ainda é falha, mas isso melhorará com o tempo. 

DM – A banda tem a vantagem de falar de forma direta e simples com o público, com as letras de fácil identificação. Neste atual momento do Brasil, o que mais gostaria que o povo entendesse e que está nas suas canções?

Bruno – Acho que o público é capaz de entendê-las. 

DM – Quais são os projetos para os próximos anos… E os sonhos?

Bruno – Estou lançando neste momento minha autobiografia “É Impossível Esquecer o que Vivi”. Um trabalho que conta minha vida, mas mergulha na história do Biquini Cavadão. Seguiremos com esta tour até o ano que vem, com datas já marcadas pelo Brasil e Estados Unidos. Ano que vem, começaremos a trabalhar num novo disco.

Serviço

Show Biquini Cavadão

Data: Hoje, às 16h 

Local: Complexo Deu Praia (BR-153 – Jardim Goiás)

Ingressos: R$ 88,00 (meia) e R$ 176,00 (inteira)


Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro