Dicas

Itego em Artes Basileu França tem programação intensa nesta semana

diario da manha
Clássico de Chico Buarque Ópera do Malandro será encenada hoje, no Teatro Basileu França

O que esperar de uma es­cola de artes como o Instituto Tecnológico de Goiás (Itego) em Artes Basi­leu França neste final de ano? Uma série de apresentações dos mais variados tipos de ex­pressões, claro. Os espetáculos já estão acontecendo e musi­cal, peça de teatro e exposição são alguns dos destaques des­ta semana e mostram o resul­tado do trabalho feito em con­junto de professores e alunos no decorrer do ano. Ou seja, as montagens podem ser consi­deradas como prévias do que se pode esperar do novo cená­rio artístico goiano.

Hoje, como formatura do cur­so Técnico em Música do Basi­leu França, os alunos apresentam um clássico da dramaturgia bra­sileira: o musical Ópera do Malan­dro, do cantor, compositor, escri­tor e dramaturgo Chico Buarque. A peça será encenada às 20 horas, no Teatro Basileu França. O valor dos ingressos é de R$ 20 no dia do espetáculo.

A releitura do musical mescla orquestra, canto popular e diver­sos tipos de instrumentos mu­sicais. E tudo isso foi orientado pelo Coletivo Basileu, coordena­do pelo Departamento de Músi­ca do Basileu França. A direção geral é de Nataly Brum, já os ar­ranjos das canções tiveram a di­reção musical de Marcos Rossetti e direção vocal de Marco Antô­nio Izzo, enquanto a preparação de atores e direção cênica foram assinadas por Lourenzo Silva.

O espetáculo tem como can­tores/atores: Guto Rocha, Jôicy Salgado, Vere Lima, Alex Nas­cimento, Marcos Leibniz, Ja­naína Perillo, Kelves Vinícius, Lindalva Oliveira, Ricardo Ma­chado, Lizz Miranda, Hérika Biases e Helder Naasson. Os ar­tistas entoam no palco canções escritas por Chico, em 1978, que são verdadeiros hinos da MPB, a exemplo de: Geni e o Zepe­lim, O Casamento dos Pequenos Burgueses, Folhetim, Pedaço de Mim, Homenagem ao Malan­dro, entre várias outras.

Inspirada no A Ópera do Men­digo (1728), de John Gay, que sati­rizava a classe dominante ingle­sa, e no A Ópera dos Três Vinténs (1928), de Bertolt Brecht e Kurt Weill, sobre a realidade dos corti­ços londrinos, o musical de Chico escreve uma história ambientada na Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro, na década de 1940.

Em plena ditadura do Esta­do Novo de Getúlio Vargas e 2ª Guerra Mundial, a Lapa retrata­da é repleta de bordéis, agiotas, cafetões, contrabandistas e po­licias corruptos. A trama é mo­vimentada pelo embate entre dois contraventores: o cafetão Duran, que se esconde atrás da fachada de bem-sucedido co­merciante, e o contrabandista Max Overseas.

A primeira montagem desta peça foi produzida por Luís An­tônio Martinez Corrêa, com di­reção musical de John Neschling. O elenco era recheado de estre­las, a exemplo de Ary Fontoura, Marieta Severo e Elba Ramalho. Em 1985, com Ruy Guerra, a obra chegou às telonas. E uma adapta­ção mais recente e também mui­to aplaudida estreou em 2003 no Teatro Carlos Gomes e foi ence­nada por artistas como: Lucinha Lins, Mauro Mendonça e Ales­sandra Maestrini.

Segundo o diretor musical e professor de Prática de Conjunto do Basileu França, Marcos Ros­setti, a proposta do Coletivo Ba­sileu é trazer uma peça diferente das já apresentadas e que possi­bilite a união de estilos musicais diversos. “Queremos romper li­mites entre músicas eruditas e populares, numa abordagem minimalista, com arranjos e concepção musical coletivos”.

EXPOSIÇÃO

Outra atração do Basileu Fran­ça desta semana vem dos alunos da Formação Inicial e Continua­da (FIC) InfantoJuvenil das Artes Visuais. A partir de amanhã, eles abrem a exposição “Retalhos”, que segue até 22 de dezembro, na Galeria de Arte Basileu França.

Nesta mostra, os alunos trazem desenhos com inter­ferência em fotografias ins­piradas nos estudos da turma com o trabalho do artista sur­realista belga Ben Heine, que tem como uma de suas espe­cialidades a combinação en­tre desenho e fotografia.

“Essa exposição visa propi­ciar um espaço para troca de experiências dos alunos-artis­tas e mostrar ao público obras tecnicamente apuradas e ex­pressivas, dos mais diversos gê­neros das artes visuais”, adianta a coordenadora de artes visu­ais, Fernanda Porto.

Além dos desenhos, serão expostas obras de artesana­to feitas a partir de técnicas de decoupage em garrafas e pra­tos de cerâmica, além de fos­queamento alternativo em vi­dro e desenho em garrafas. Outras técnicas também po­derão ser conferidas, como a utilização de pó de mármore e PVA sobre madeira.

Segundo a professora da FIC InfantoJuvenil e umas das orientadoras da mostra, Regi­na Lopes, o ensino e a apren­dizagem em artes são proce­dimentos ativos e dinâmicos, que dialogam com diferentes formas de concretização de um produto artístico. “É mui­to importante para os alunos essa oportunidade de expres­sarem sua capacidade criati­va e ter contato com a opinião do público durante a visita à galeria”, salienta.

BABILÔNIA GOIÂNIA

Por fim, neste sábado (16), os alunos do Basileu, desta vez de Circo, realizam mais uma faceta. Trata-se do espetáculo Babilônia Goiânia, que decidiu focar nos contornos e contra­dições desta metrópole. Assim, através da linguagem circense, aborda a diversidade e rotati­vidade da população e é vista em suas diversas facetas, sem­pre em processo de construção e desconstrução. Discute, por exemplo, o fato de a cidade ser um palco para encontros, mas não sabe lidar com o trânsito caótico. No entanto, tem pai­xão, arte e esperança.

“Nesta urbe, vemos os par­ques e o verde se contrapondo e resistindo ao ar cada vez mais poluído, vemos a força da mu­lher que enfrenta os desafios postos desde antes da forma­ção da própria cidade, vemos a solidão no meio de multidões. Vemos índices absurdos de vio­lência e intolerância contra a di­versidade e a liberdade de ser quem se é. Mas vemos também a resistência que muitas vezes vem em gargalhadas contra esse sistema embrutecedor” diz o texto do espetáculo.

Em exposição, alunos de arte
visuais infantojuvenil se inspiraram
na obra do belga Ben Heine, que
mistura desenho e fotografia,
autor desta imagem acima

 

Confira a programação do Basileu desta semana

 

ÓPERA DO MALANDRO

Quando: Hoje, às 20h

Onde: Teatro Basileu França (Avenida Universitária, 1750, Setor Uni­versitário)

Informações: (62) 3201-4044

EXPOSIÇÃO RETALHOS

Quando: de 13 a 22 de dezembro de 2017

Visitação: 9h30 às 11h40 e das 14h às 18h ( de segunda a sexta-feira)

Onde: Galeria de Arte Basileu França (Avenida Universitária, 1.750, Setor Universitário)

Informações: (62) 3201-4044

ESPETÁCULO BABILÔNIA GOIÂNIA

Quando: Sábado, às 20h

Onde: Teatro do Basileu França

Ingressos: R$10,00 (os ingressos poderão ser retirados na entrada do espetáculo ou antecipadamente na coordenação de Circo do Itego Basileu França e alunos do circo)

tags:

Comentários

Mais de Dicas

21 de fevereiro de 2019 as 13:55

VAGAS DE EMPREGO SINE GOIÂNIA – QUINTA-FEIRA

13 de dezembro de 2018 as 08:35

Já deu uma olhada no seu horóscopo hoje?

12 de dezembro de 2018 as 15:15

Horóscopo do dia

14 de fevereiro de 2018 as 08:57

5 dicas simples para ser mais produtivo em 2018

12 de fevereiro de 2018 as 08:03

5 dicas simples para uma folia saudável