DM Autos

SUV Tiggo 7 é lançado nas versões T e TXS a partir de R$ 106.990

diario da manha

Norton Luiz
Editor de Veículos

Depois do Tiggo 2 e do Tiggo 5x compactos, a CaoaChery lança seu terceiro SUV no mercado dentro da sua ofensiva de lançamentos de utilitários no Brasil. O Tiggo 7, de tamanho médio, começa a ser comercializado a partir da próxima semana nas versões T e TXS, com preços de R$ 106.990 e R$ 116.990, respectivamente. Assim como o 5x, o Tiggo 7 será produzido na planta da CaoaChery no município goiano de Anápolis.

O Tiggo 7 chega para brigar no segmento que mais cresce no mercado, o dos SUVs, que no ano passado respondeu por 20,7% de participação nas vendas de veículos em todo o País. Outro dado interessante que leva a CaoaChery a apostar no segmento é o fato de os SUVs no terem 14 modelos entre os 50 carros mais vendidos no País em 2018. A fabricante anunciou que a previsão de vendas do Tiggo 7 é de 400 unidades mês, sendo 50% de cada uma das versões.

Maior dos três SUVs já fabricados até agora pela nova montadora, o Tiggo 7 chega equipado com a mesma motorização e transmissão do irmão menor e de perfil aventureiro, o Tiggo 5x. O motor é o 1.5 Turbo Flex, de 147 cv, com gasolina, e 150 cv, com etanol, a 5.500 rpm. O torque é de 21,4 kgfm a 4.000 rpm e a transmissão é automatizada de dupla embreagem, de seis velocidades. A CaoaChery já prepara o lançamento de mais um SUV: o Tiggo 8.

Concorrentes

Modelo de aparência moderna e que chama a atenção também pelo espaço e conforto interno, o Chery Tiggo 7 vai disputar o mercado com o Jeep Compass, Hyundai Creta, Nissan Kicks, Ford EcoSport, Jeep Renegade e Honda HR-V. A versão TXS do modelo da Chery aponta como principais concorrentes o Jeep Compass, na configuração intermediária Longitude, e o Kia Sportage. O tiggo 7 tem quatro cores disponíveis:  branco, preto, prata e cinza.

Os próprios executivos da CaoaChery trataram de fazer o comparativo entre o Tiggo 7 TXS com o Compass Longitude e o Kia Sportage. Mostraram as vantagens e desvantagens entre um e outro nos itens de segurança e conforto e fizeram questão de reforçar a diferença de preços em favor do Tiggo 7. O Compass Longitude sai por R$ 127.900 e o Kia Sportage custa R$ 138.000, enquanto o Tiggo 7 TXS, bem completo, tem valor de R$ 116.990.

O Tiggo 7 oferece um polpudo pacote de itens tecnológicos e de conforto já a partir da versão T. Do porte do Jeep Compass, o modelo da Chery oferece de série, dentre outros equipamentos, rodas de liga aro 17″, controle de estabilidade e tração, chave presencial, ar-condicionado digital, kit multimídia com tela de 9 polegadas, freio de estacionamento elétrico e luzes diurnas de LED.

Versão TXS

A versão TXS acrescenta rodas aro 18″, ar-condicionado digital de duas zonas, teto-solar panorâmico, banco do motorista com ajustes elétricos e airbags laterais e de cortina, num total de seis bolsas infláveis. O Tiggo7 mede 4,50 metros de comprimento, 1,87 de largura e 2,67 metros de entre-eixos, o que justifica o amplo espaço interno. A porta-malas tem capacidade para 414 litros, podendo chegar a 1.110 litros com os bancos traseiros rebatidos.

Dirigimos o Tiggo 7 TXS durante seu lançamento em São Paulo. No rápido contato com o modelo rodando na Capital e por estradas do interior paulista, foi possível constatar que o SUV da Chery representa uma excelente proposta para o mercado  dos utilitários. Além de oferecer um design moderno e robusto, o  modelo é confortável, tem bom espaço interno, principalmente para os passageiros do banco traseiro, e um conjunto mecânico de desempenho elogiável.

O interior é silencioso e nem de longe  parece tratar-se de um daqueles carros chineses que desembarcaram no Brasil tempos atrás, gerando desconfiança e incerteza. O consumo no álcool ficou em torno de 7,3 km/l na estrada, enquanto que na cidade foi de 6,3 km/l. O Inmetro informa que o Tiggo 7 faz 6,6 km/l na cidade e 7,6 km/l na estrada quando abastecido com etanol, enquanto o rendimento com a gasolina passa para 9,7 km/l e 10,9 km/l, respectivamente. A média, portanto, foi muito próxima da aferição oficial, mas vale ressaltar que quatro pessoas adultas estavam a bordo do veículo durante todo o trajeto.

 

 

 

Comentários

Mais de DM Autos