Economia

A força da tecnologia

diario da manha
João Paulo Bruder “4G deve superar 11 milhões de usuários até o fim do ano” (divulgação)

O mercado tecnológico deve crescer 5% e movimentar US$ 165,6 bilhões no Brasil em 2015. 

Brunno Falcão Da editoria de Economia

A IDC Brasil, consultoria especializada em Tecnologia da Informação e Telecomunicações, tem boas previsões para o mercado brasileiro de tecnologia em 2015. Segundo a IDC, a chamada terceira plataforma, que envolve tecnologias como internet das coisas (IoT), impressão 3D, sistemas cognitivos, robótica, interfaces neurais e segurança de próxima geração, será a base para acelerar a inovação e os negócios nas empresas. Ainda de acordo com a consultoria, o mercado brasileiro de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) continuará crescendo acima do PIB. Porém, em 2015, o avanço deve ser mais moderado, na ordem de 5% em relação ao ano passado, movimentando US$ 165,6 bilhões.
Conforme afirma a IDC, o resultado será fortemente influenciado pelo câmbio e o País deve fechar o ano como o sexto mais importante do mundo – em 2014, a expectativa era que se consolidasse como o quarto maior mercado mundial de TIC. Globalmente, a previsão é que serão movimentados US$ 3,8 trilhões. Na América Latina, o crescimento deverá ser de 5,7% no segmento de TI e de 6% em Telecom.
“O mercado de Telecom continuará em alta e ainda será quase 80% maior que o mercado de TI no Brasil, atingindo US$ 104 bilhões em receitas. Os serviços móveis e profissionais para redes corporativas impulsionarão a demanda, e o 4G deve adquirir massa crítica, superando os 11 milhões de usuários até o fim do ano”, afirma João Paulo Bruder, gerente de pesquisas de Telecom da IDC Brasil. A receita com dados móveis, impulsionada por aplicações e pagamentos móveis, crescerá 16,2%, compensando a queda de 1,7% com serviços de voz fixa. Também de acordo com a previsão, a chamada área cinza entre Telecom e TI deve aumentar, com operadoras com foco em data centers e integradoras aumentando receitas com dados fixos e voz em redes convergentes.

Mobilidade
A mobilidade também é destaque no estudo Predictions 2015, que indica que as empresas que buscam eficiência operacional e redução de custos deverão focar na mobilização de processos, em vez de em quais pessoas devem contar com mobilidade. Segundo Pietro Delai, gerente de pesquisas e consultoria de Enterprise da IDC Brasil, atualmente, aproximadamente 1/5 dos funcionários usam dispositivos corporativos para trabalhar. Considerando a prática de bring your own device (BYOD), que pode ser traduzido como “traga seu próprio dispositivo”, a proporção alcança 1/3 (33,5%) dos empregados. Entretanto, Delai ressalta que as soluções de gerenciamento e controle nas empresas são muito pouco usadas. “As aplicações, geralmente, são muito simples, a integração com os sistemas é difícil e o investimento acaba sendo alto.”
O aumento de investimentos em mobilidade e nuvem acarretará na ampliação do mercado de segurança, já que o mercado corporativo está cada vez mais preocupado em assegurar que seus dispositivos (BYOD ou contratados diretamente) tenham mais proteção. Para a consultoria, a adoção de cloud pelas empresas vai impulsionar a demanda por “endpoint security” em 2015 e, de acordo com as projeções, esse mercado atingirá US$ 117 milhões no Brasil.
Para o consumidor final, os dispositivos móveis continuarão em alta. De acordo com Reinaldo Sakis, gerente de pesquisas e consultoria de Consumer da IDC Brasil, o varejo seguirá como o principal canal de vendas dessa categoria de produtos, com destaque para as lojas específicas de smartphones. O volume de vendas de computadores, tablets e smartphones, somados, representarão aproximadamente 45% dos investimentos de TI no Brasil em 2015, ou seja, US$ 27,5 bilhões. Uma nova tendência neste segmento para 2015 serão os produtos vestíveis, que deverão se difundir no País, com início de importação e produção em grande escala. (Com assessoria)

Novidades do ano

O LG Digital Experience, mais importante evento da LG Electronics no Brasil, que acontece anualmente e apresenta o portfolio de produtos de todas as unidades de negócios da companhia, chegou em sua 11ª edição. Em 2015, a empresa completa 20 anos de Brasil e para celebrar esse aniversário, além de apresentar os últimos lançamentos e todas as estratégias que permearão os negócios da companhia em 2015, lançou também a campanha comemorativa. “O Digital Experience 2015 seguiu o renovado conceito “Life’s Good” que ganhou novos atributos de performance e traduzem como a marca quer ser vista. Tudo isso para mostrar que a LG faz a diferença na vida dos consumidores, oferecendo produtos inovadores, bonitos e fáceis de usar”, explica Bárbara Toscano, gerente geral de marketing corporativo e de celular da LG Electronics do Brasil.
Ainda de acordo com a gerente, o Brasil, que é a 2ª maior operação da LG no mundo, é um excelente mercado – a subsidiária brasileira fica atrás apenas dos Estados Unidos da América. “Isso mostra o quanto o Brasil está aberto a inovações tecnológicas e quanto o consumidor brasileiro tem sido presente para ajudar a desenvolver esse mercado”, afirma Toscano. Em 2014, a LG cresceu 15% em vendas, em relação ao ano anterior. Na categoria de celulares, o crescimento foi de 57%, e a marca ocupa a 2ª posição na categoria smartphones. No mercado premium, a LG cresceu 35%, 26% a mais que o mercado geral. A companhia é líder de mercado quando se trata de TV (32,7%), Ultra HD (45%), áudio e vídeo (27%), lava e seca (45%), monitor (33,8%) e monitor TV (46,6%). No mercado de ar- condicionado, há três anos a LG cresce acima do mercado – em 2014, a marca cresceu 39%, enquanto o mercado de ar condicionado residencial cresceu 23%.

Novidades
Em 2015, o Digital Experience apresentou diversas novidades tecnológicas que chegarão aos consumidores durante todo o ano. No segmento de televisores, os destaques ficaram por conta de novos modelos de altíssima definição. Entre os celulares, os visitantes puderam conhecer o G Flex2, smartphone com tela e bateria curvas, e o G Watch R – smartwatch com tela OLED, aposta da marca no mercado vestível. Entre os lançamentos da linha de Áudio e Vídeo, o destaque é o mini system X-Boom Pro, com novos comandos, e o Hi-Fi Áudio, família de alto falantes sem fio para casa.
A empresa também apresentou novidades no segmento de informática – com o primeiro monitor curvo do mundo –, e de linha branca, com maior combo de lavadora e secadora do mercado e uma parceria exclusiva com a ONG WWF para falar sobre economia de água. No segmento de ar-condicionado, a LG apresentou o simulador de economia de energia elétrica – nova ferramenta onde é possível saber qual quanto o cliente economiza de energia com o uso de um produto da linha Inverter.
De acordo com Bárbara Toscano, a expectativa da LG é que continue a crescer em 2015. “A gente tá antenado ao que está acontecendo no Brasil, e como a gente vai se posicionar para minimizar impactos que possa vir a ter no quesito preços, que é sensível para o consumidor, para que possamos fazer 20 anos junto do consumidor e ter grandes resultados.” Para 2015, a gerente faz a sua aposta na linha de smartphones da marca. “A gente tem trazido produtos muito inovadores, que de fato têm sido muito bem aceitos fora daqui e acho que vão ajudar muito a impulsionar a marca aqui no Brasil.”

20 anos
Para comemorar os 20 anos da marca no Brasil, a LG preparou uma campanha on-line, com abrangência nacional e duração de um ano. O conceito teve como inspiração o imaginário coletivo sobre ter 20 anos, para gerar uma identificação emocional e por meio desse paralelo transmitir a intenção da marca. “Vamos resgatar todas as sensações de empoderamento e inovação que os 20 anos proporcionam em cada individuo para materializar o discurso da LG. A mesma energia e coragem que faz as pessoas inovarem suas vidas aos 20 anos é a vontade que move a LG a seguir inovando para melhorar a vida das pessoas”, explica Toscano. (Com assessoria)

Comentários

Mais de Economia