Economia

Desenvolvimento de softwares movimenta US$ 165,6 bi no País

diario da manha
Projeção mostra a expansão tecnológica em diversos setores do país (Divulgação)

Da Assessoria
Os brasileiros gostam de novidades tecnológicas. A venda de equipamentos e aplicativos evidencia a afinidade da população com os gadgets no dia-a-dia e as empresas tem adotado cada vez mais a utilização deles para o desempenho de atividades internas.
Projeção feita pela consultoria especializada IDC Brasil sinaliza a expansão tecnológica em diversos setores no País e em Goiás. Os investimentos na indústria de software brasileira feitos dois anos atrás apontam que a região Centro-Oeste concentrou 11,03% do total, conforme o mais recente estudo da IDC encomendado pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) e divulgado em 2014. No ranking ela está na terceira colocação, atrás apenas da região Sudeste (64,6%) e Sul (13,4%).
No ramo segmentado, a Siagri – especializada em softwares para agronegócio – mostra como a inovação em Goiás gera resultados. Com 17 anos de fundação e atuação em nível nacional, a empresa tem conseguido registrar números satisfatórios. O balanço de 2014 da empresa apresentou dados positivos com crescimento total em receitas de 15% em relação ao ano anterior.
Um dos fatores para alcançar esse índice foi a aposta nos colaboradores. A Siagri aumentou em 56% o investimento em capacitação profissional por meio de cursos e treinamentos internos, lançou novos produtos e aplicou mais recursos em infraestrutura nas unidades Goiânia e Rio Verde.
A indústria de tecnologia da informação e de telecomunicações nacionais devem crescer 5% este ano com movimentação de US$ 165,6 bilhões, aproximadamente, o que inclui hardware, software e serviços.
O valor das transações nesse segmento são bastante superiores àqueles projetados em 2014 pela ABES, cerca de US$ 25,9 milhões para o mercado total de Software e Serviços com exportações. No entanto, a falta de mão de obra qualificada no Brasil é um dos gargalos enfrentados para o empresariado.
Segundo estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a dificuldade em encontrar pessoas com domínio de ambientes de desenvolvimento de linguagens é o principal problema enfrentado pelas companhias do segmento com pelo menos 20 funcionários. Para suprir as demandas do mercado e solucionar esse empecilho, as companhias começaram a oferecer capacitação aos profissionais de TI recém-contratados e treinamentos constantes para os veteranos.

Futuro
Na contramão do cenário negativo da economia, obstáculos e baixo índice do PIB brasileiro, o mercado de software tende a manter o padrão de alta. Com uma equipe formada por agroespecialistas, a Siagri consegue administrar as atividades de maneira estratégica. Em razão disso, a ampla experiência no setor permite à Siagri almejar estabilidade nas estimativas otimistas com investimentos em infraestrutura e na qualificação do quadro profissional.
O diretor-presidente da Siagri, Carlos Barbosa, destaca os planos para 2015. “A expectativa para este ano é manter o crescimento em regiões estratégicas para o agronegócio brasileiro, com foco nos segmentos de distribuição de insumos, produção agrícola, armazenagem de grãos, beneficiamento de sementes e loja agropecuária”.

Comentários

Mais de Economia