Economia

Sindicato lança Cartilha de Segurança Rural

diario da manha
José Mário Schreiner e Joaquim Mesquita (Divulgação)

Aumento da criminalidade fez com que os bandidos migrassem da zona urbana para a zona rural

Da Assessoria
O Sindicato Rural de Rio Verde lançou, na manhã de quarta-feira (11), a Cartilha de Segurança Rural, uma ação conjunta entre o Sindicato Rural, Polícia Militar e Civil, contando ainda com o apoio da Prefeitura de Rio Verde.
O evento aconteceu na Casa do Produtor, sede do Sindicato Rural, com as presenças do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, James Gonçalves Borges, no ato representando o prefeito Juraci Martins, do secretário de Comunicação, Danilo Moraes, presidente do Sindicato Rural de Rio Verde, Walter Baylão Júnior, comandante do 2º BPM tenente-coronel, Wilmar Rubens, comandante da 8º CRPM coronel Clarimundo José dos Santos, delegado regional Danilo Fabiano, vice-presidente da Acirv, presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), Manoel Divino da Silva e presidente da CDL, Mário Furacão e produtores rurais.
O material foi confeccionado pensando na segurança de todos os trabalhadores do campo, pois com o aumento da criminalidade no setor, resultado do grande desenvolvimento do agronegócio em Rio Verde, o crime organizado deixou de ser centralizado na zona urbana e se expandiu para a zona rural. A cartilha é resultado da união entre polícia, entidade classista e prefeitura e tem a função de orientar o produtor através de dicas e simples cuidados que podem contribuir para a diminuição de furtos e roubos no meio rural.
Durante a solenidade, o presidente do Sindicato Rural de Rio Verde, Walter Baylão Júnior, agradeceu a união dos segmentos para buscarem soluções para os problemas que atingem o setor. “Os crimes no campo aumentaram e com eles a insegurança dos produtores, a elaboração da cartilha é uma oportunidade de mostrar que estamos trabalhando para inibir a ação dos criminosos”, destacou Walter Baylão Júnior.
O secretário James Borges parabenizou pela iniciativa e falou da importância de se fazer o registro das ocorrências e encaminhar ao governo do Estado para que o secretário de segurança pública possa ter uma estatística do município.
Para o delegado regional Danilo Fabiano, a cartilha com as orientações básicas de segurança é uma ação simbólica do que será realizado no campo. “De fato, estamos passando por grandes problemas no meio rural, mas estamos unindo forças para diminuir as ações criminosas no município. E as nossas maiores dificuldade já são de conhecimento de todos. Precisamos construir um novo CPP, fora do centro da cidade, pois o prédio já não possui nenhuma segurança, tanto que há constantemente fugas de detentos perigosos; também precisamos que seja construída com urgência uma Casa de Detenção para Menores Infratores, pois a maioria dos furtos, roubos e assaltos no município são cometidos por menores e quando prendemos esses menores não temos onde colocá-los, acabamos por devolvê-los às suas famílias; além da nossa legislação que nos impede de agir com mais rigor ou de tirar de circulação tantos criminosos que acabam sendo soltos amparados pela lei”, argumentou o delegado.
O coronel Clarimundo José dos Santos, que assumiu o comando esta semana, falou de sua proposta em promover um elo com o poder público e a população para combater a criminalidade no município. “Estou realizando várias visitas desde que cheguei a Rio Verde, para me aproximar da realidade local, a fim de montar uma estratégia para intensificar o patrulhamento urbano e rural. Não sou político e não estou exercendo um cargo político, mas estou aqui para realizar o meu trabalho no comando da Polícia Militar e peço um voto de confiança da população. Em dois dias, já conseguimos aumentar o número de efetivo nas ruas, conseguimos mais recursos financeiros do estado e município para pagar o banco de horas e dar mais condições de trabalho aos nossos policiais, já solicitamos um helicóptero que ficará em Rio Verde e faremos um trabalho de abordagem a todos os cidadãos, por isso peço a colaboração da população, pois estaremos abordando mesmo os cidadãos de bem. Vamos trabalhar 24 horas, pois somos pagos para fazer a segurança da população”, disse o comandante.
O vice-presidente da Acirv e presidente do Conseg, Manoel Divino da Silva reforçou o apoio à iniciativa e sugeriu que além desta cartilha, que haja na zona rural a “política da boa vizinhança”. “Fui criado na roça e me lembro bem que na minha infância quando meus pais tinham que ir à cidade, o vizinho cuidava do nosso quintal, alimentava a criação, aguava a horta e ficava de olho em tudo o que acontecia em nossa propriedade até que meu pai estivesse de volta. Hoje, já não existe essa política da boa vizinhança, os moradores da zona rural já não se ajudam e com isso vão se isolando, não se preocupam uns com os outros, acabam por ser assaltados e ninguém faz nada”, lembrou Manoel Divino.
O presidente da CDL parabenizou o Sindicato Rural pela iniciativa e lembrou que a segurança pública é pauta de protesto previsto para acontecer em Rio Verde no próximo dia 18. “A falta de segurança por parte da população, principalmente dos empresários e comerciantes local é muito grande. E esse é um problema que deve ser solucionado não apenas pela Polícia Militar, mas por todos nós que fazemos parte da sociedade, pois só se reduz a violência e a criminalidade através da educação, do esporte, da cultura e da própria família, onde tudo se origina.
O cel. Clarimundo solicitou do presidente Baylão que sempre que acontecer alguma reunião entre os produtores rurais, onde estiver presente um grupo maior, que o mesmo seja convidado para que ele possa passar informações importantes aos produtores e orientá-los sobre como acionar a polícia e que medidas tomar para coibir a violência e os assaltos em suas propriedades.
A Cartilha de Segurança Rural está sendo distribuída aos produtores filiados ao sindicato na sede da entidade e serão distribuídas ao longo do ano em reuniões e eventos promovidos pelo sindicato.

Comentários

Mais de Economia