Economia

Gestão de Aparecida para micro e pequenas empresas é modelo para outras cidades

Da Assessoria

diario da manha

 

A Casa do Empreendedor de Aparecida recebeu, na manhã de ontem, uma equipe da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, de Goiânia, liderada pelo diretor do Departamento de Projetos Estratégicos Vanderlan Freitas Moura. O objetivo do grupo, com a visita, é conhecer a gestão voltada para micro e pequenas empresas que foi implantada pelo prefeito Maguito Vilela na cidade.

Para o superintendente da Casa do Empreendedor, Elson Dias, toda equipe da Casa do Empreendedor está empenhada em desburocratizar a abertura de pequenas empresas, por meio de parcerias com o outras secretarias, Sebrae, GoiásFomento, Caixa, Banco do Povo e outros. “É bom saber que a Casa do Empreendedor e a gestão do prefeito Maguito Vilela estão servindo de modelo para outras cidades, principalmente para a capital do nosso Estado. Sabemos que o pequeno negócio, assim como as grandes empresas, é fundamental no desenvolvimento econômico e social do município”, destacou Elson.

Diretor Vanderlan Freiras Moura disse, na ocasião, que gostou muito do modelo de gestão para micro e pequenas empresas de Aparecida. “Vimos que tem dado certo, por isso queremos levar essa iniciativa para Goiânia”, contou o representante da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, de Goiânia.

A Casa do Empreendedor foi inaugurada pelo prefeito Maguito Vilela em dezembro de 2014 e realiza um trabalho em conjunto com as secretarias de Indústria, Comércio, Ciência, Tecnologia e Turismo; Trabalho; Regulação Urbana e Saúde. O espaço oferece auxílio aos microempresários do município, além de orientá-los sobre impostos, alvarás, financiamentos de créditos, capacitação e outras necessidades relacionadas a abertura do próprio negócio.

Dessa forma, o município garante assistência devida aos micro e pequenos empresários formais e informais do município prevista em lei, que vão desde incentivos fiscais, inovação tecnológica e educação empreendedora; ao associativismo e cooperativismo; incentivo à geração de empregos; incentivo à formalização de empreendimentos; simplificação do processo de registro e baixa de pequenos empreendimentos; criação de banco de dados com informações, orientações e instrumentos à disposição dos usuários, entre outros benefícios.

“O objetivo da atual gestão é fazer com que o pequeno negócio tenha condições de concorrer com outros do ramo, além de reduzir prazos, documentação e taxas para a emissão de alvarás, licenças e outros processos”, completou o Superintendente da Casa do Empreendedor.

Comentários

Mais de Economia