Economia

Marconi apresenta potencialidades de Goiás ao governo da China

Brasil e China assinam contratos de financiamento, investimentos e joint ventures de US$ 26 bilhões

diario da manha

Da Assessoria

O governador Marconi Perillo participou, segunda-feira (18) à noite, de painel sobre projetos de infraestrutura, para o setor ferroviário, no Hotel Gold Tulip, em Brasília, com a presença de autoridades e empresários chineses e brasileiros, dentro da programação da visita ao Brasil da comitiva enviada pelo primeiro-ministro da China, Li Keqiang.

Brasil e China assinam contratos de financiamento, investimentos e joint ventures de US$ 26 bilhões. Chineses têm interesse em projetos que somam US$ 53,3 bilhões no País. Marconi apresentou projetos e mostrou as potencialidades goianas com o objetivo de atrair investimentos chineses para Goiás.

O governador compôs a mesa principal do jantar com ministros brasileiros e chineses e o embaixador Sérgio Amaral, presidente emérito do Conselho Empresarial Brasil-China. Ministro do Comércio Chinês, Gao Hucheng, falou no painel sobre projetos de infraestrutura para o setor ferroviário.

Técnicos da Segplan apresentaram ainda o projeto da Plataforma Multimodal de Goiás, em Anápolis, e o projeto do VLT em Goiânia. O secretário de Gestão de Planejamento, Thiago Peixoto, acompanhou o governador.

Os chineses preveem investir ou financiar, por meio da China Railway Construction Corporation e da China Railway Engineering, até US$ 5,75 bilhões no trecho ferroviário que une Lucas do Rio Verde (Mato Grosso) a Campinorte e Uruaçu (GO), fazendo conexão com a Ferrovia Norte-Sul.

Estiveram presentes ainda autoridades, empresários chineses e brasileiros, Bernardo Figueiredo, ex-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), e o ex-ministro Ciro Gomes.

 

China vai habilitar 26 frigoríficos brasileiros até junho

O Brasil deverá ter 26 plantas frigoríficas habilitadas a exportar para a China até junho deste ano, o que pode representar cerca de US$ 520 milhões em vendas para o país oriental. O anúncio foi feito na manhã de  ontem (19) pela ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) depois de receber, em audiência, o ministro chinês da Administração de Inspeção de Qualidade e Quarentena, Zhu Shuping.

Ainda na manhã de ontem, a presidente Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, oficializaram a liberação da venda de carne bovina para o mercado chinês, embargada desde 2012. A presidente recebeu o primeiro-ministro chinês em solenidade no Palácio do Planalto.

Do total de plantas habilitadas, nove frigoríficos (oito de bovinos e um de aves) tiveram a habilitação oficializada ontem, junto com a assinatura do fim do embargo da China à carne brasileira.

Segundo a ministra Kátia Abreu, o governo chinês se comprometeu em liberar as 17 plantas restantes em junho, durante visita oficial da ministra ao país oriental. “Entreguei toda a documentação em inglês para o ministro. Ele saiu daqui com a promessa de uma cooperação rápida, de que tem toda disposição de ajudar”, disse.

Comentários

Mais de Economia