Economia

Superávit de US$ 676 milhões na segunda semana de maio

Da Assessoria

diario da manha

 

Brasília – O saldo da balança comercial da segunda semana de maio de 2015, com cinco dias úteis, registrou superávit de US$ 676 milhões, resultado de exportações de US$ 4,292 bilhões e de importações de US$ 3,616 bilhões. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

No período, as exportações apresentaram média diária de US$ 858,4 milhões, resultado 2,6% abaixo da média de US$ 881,6 registrada na primeira semana do mês, por conta da queda na exportação de produtos básicos (-5,8%) – especialmente petróleo em bruto, minério de ferro, carne de frango, bovina e suína –, de manufaturados (-4,7%) – principalmente de laminados planos, bombas e compressores, autopeças, motores para veículos, polímeros plásticos, máquinas para terraplanagem e aviões).

Por outro lado, houve aumento nas vendas de semimanufaturados (5,7%), com destaque para açúcar em bruto, celulose, ouro em forma semimanufaturada e ferro fundido. Já as importações registraram média diária de US$ 723,2 milhões na segunda semana de maio de 2015, um resultado 5,4% acima da média registrada na primeira semana do mês (US$ 686,4 milhões). O resultado é consequência da alta nas compras de equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos, químicos orgânicos e inorgânicos, plásticos e obras, adubos e fertilizantes e instrumentos de médico e precisão.

Mês – No acumulado do mês de maio (10 dias úteis), as exportações somam US$ 8,7 bilhões e as importações, US$ 7,048 bilhões, com saldo positivo de US$ 1,652 bilhão. A média diária das exportações até a segunda semana de maio foi de US$ 870 milhões, 14,8% acima da média diária registrada em abril deste ano, especialmente em virtude do aumento nas vendas das três categorias de produtos: semimanufaturados (26,8%), básicos (19,6%) e manufaturados (5,9%). No comparativo com maio de 2014 (US$ 988,2 milhões), o resultado é uma queda de 12%, em razão da redução nos produtos básicos (-16,7%), principalmente minério de ferro, farelo de soja, carne bovina, de frango e suína, e café em grão, e manufaturados (-8,4%), puxado por aviões, motores e geradores, automóveis de passageiros, óxidos e hidróxidos de alumínio, óleos combustíveis, máquinas para terraplanagem. Por outro lado, cresceram os embarques de semimanufaturados (4,3%), resultado da alta das vendas de ferro fundido, semimanufaturados de ferro e aço, ouro em forma semimanufaturada, açúcar em bruto, ferro-ligas.

As importações registraram média diária na segunda semana de maio de 2015 de US$ 704,8 milhões, 3,9% abaixo da média registrada em abril deste ano (US$ 733,3 milhões), como consequência nas chedas de produtos siderúrgicos (-25,7%), veículos automóveis e partes (-19,6%), equipamentos mecânicos (-17,9%), instrumentos de ótica/precisão (-16,0%), plásticos e obras (-10,0%) e aparelhos eletroeletrônicos (-7,8%). No comparativo com maio de 2014 (US$ 954,3 milhões), as importações caíram 26,1% por conta da queda de gastos com adubos e fertilizantes (-42,0%), combustíveis e lubrificantes (-41,2%), veículos automóveis e partes (-36,1%), siderúrgicos (-32,1%) e instrumentos de ótica/precisão (-27,8%).

Ano – Até a segunda semana de maio, as exportações totalizaram US$ 66,631 bilhões e as importações, US$ 70,045 bilhões, gerando um saldo negativo de US$ 3,414 bilhões. As exportações acumularam média diária de US$ 732,2 milhões, uma queda de 15,7% em relação à média diária de US$ 868,6 milhões registrada no mesmo período do ano passado. As importações apresentaram média diária de US$ 769,7 milhões, desempenho 17,2% abaixo do registrado no mesmo período de 2014, quando a média diária das importações foi de US$ 929,7 milhões. No ano, a corrente de comércio soma US$ 136,676 bilhões, com desempenho médio diário de US$ 1,501 bilhão. O valor é 16,5% menor que o verificado em 2014 (US$ 1,797 bilhão).

Comentários

Mais de Economia