Economia

Indústrias investirão R$ 380 milhões em Goiás

A ASSESSORIA

diario da manha
  • Governador diz que José Eliton é o grande articulador destes investimentos
  • Marconi Perillo comandou assinatura de Protocolos de Intenções. Sete empresas, de diferentes ramos de atividades, se instalarão no Estado

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), José Eliton, participou, na manhã de ontem (16), no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, de solenidade de assinatura de sete Protocolos de Intenções para a instalação, em diferentes municípios goianos, de indústrias que irão gerar cerca de 7,7 mil empregos. O evento foi comandado pelo governador Marconi Perillo, que definiu o vice-governador como “grande articulador destes investimentos”.

Segundo José Eliton, a confirmação de que serão investidos, por parte destes empresários, o montante de R$ 389 milhões, é uma demonstração de que os empreendedores confiam nas regras estabelecidas pelo Estado de Goiás, sob a liderança do governador Marconi. “Um Estado próspero e forte que quer continuar a ter índices de desenvolvimento acima da média nacional”, afirmou.

A solenidade contou com a presença de parlamentares, representantes de federações e associações comerciais e industriais do Estado; dos superintendentes executivos da SED; de presidentes e dirigentes de órgãos jurisdicionados à Secretaria de Desenvolvimento Econômico; prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios contemplados com a chegada das novas indústrias; e dos empresários.

O governador destacou os números da economia goiana, parabenizou o vice-governador pela articulação que resultou na assinatura dos protocolos de intenções e reafirmou que o foco do governo nos próximos três anos será transformar Goiás em um dos Estados mais competitivos do Brasil.

 

Empresas

A mineradora Five Star iniciará atividades de extração de diamantes em Ouvidor e Catalão e investirá R$ 180 milhões, gerando 60 empregos diretos. A Granja Jataí, com linha de operação de postura e fábrica de rações, armazenagem de grãos e industrialização de ovos, investirá cerca de R$ 40 milhões, gerando 1.980 empregos diretos e indiretos em Jataí; na mesma cidade, a empresa Refrigerantes Arco Iris investirá R$ 45 milhões, gerando 1.340 empregos diretos e indiretos, com a fabricação de refrigerantes e energéticos.

Em Luziânia, a CFS Indústria e Comércio de Veículos Automotores instala uma unidade de produção de peças automotivas com investimentos previstos de R$ 45 milhões e geração de dois mil empregos. Na mesma cidade, a Jamp Indústria e Comércio de Veículos investirá R$ 27 milhões e gerará 1.560 empregos. Piracanjuba é outro município beneficiado. A Quality Alimentos chega àquela cidade com instalação de incubatório e produção de rações gerando 600 empregos, com investimentos da ordem de R$ 32 milhões. São João da Aliança é a sexta cidade contemplada com os investimentos anunciados hoje: a Avícola Catarinense investirá R$ 20 milhões na produção de ovos no município, gerando 58 empregos diretos e 174 empregos indiretos.

 

Repercussão

Para o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, José Eliton, este é um momento de grande importância para a economia de Goiás, quando se anuncia investimentos em cada canto do estado. “O governador Marconi Perillo, desde a sua primeira gestão, soube construir um Estado que tem como conceito o entendimento com o setor privado; tem a visão e a consciência da importância da convergência entre os interesses do setor privado e do setor público na busca da justiça social”, destacou.

Segundo José Eliton, na medida em que a iniciativa privada atua com desenvoltura no estado, que tem um ambiente de negócios propício, se observa a melhoria da qualidade de vida da população, com a geração de empregos, com a democratização da renda, com a emancipação das famílias que passam a ter novas perspectivas. E disse ao governador: “O senhor hoje lidera um Estado que é pujante, o senhor lidera conceitos e debates que são de grande relevo para a nação brasileira”.

O vice-governador ainda lembrou que, quando o Estado de Goiás vai ao Congresso Nacional debater e fortalecer temas como o dos incentivos fiscais, demonstra almejar ter políticas de desenvolvimento regional estabelecidas pela união. “Mas, na ausência dessas políticas, nós utilizamos instrumentos que garantiram alavancar a diversificação da nossa economia, simbolizada aqui nesta solenidade”, acentuou.

Ao se referir aos novos empreendimentos que Goiás recebe, José Eliton justificou que as empresas estão vindo para o estado por confiarem nas políticas do governo, por confiarem nas consultorias de investimentos, na segurança jurídica que o estado de Goiás opera, no ambiente de negócios que o Estado opera.

 

Credibilidade

Superintendente executivo de Indústria e Comércio da SED, Victor Hugo Queiroz afirmou que com a chegada destas novas empresas o governo de Goiás dá exemplo garantindo muitos benefícios para o estado, com geração de emprego, arrecadação de impostos, num momento em que se propaga tanta crise. “Esses protocolos mostram que a política do governo do Estado está dando certo, que o Estado hoje tem credibilidade”, disse.

Assim como os demais investidores, o diretor da Five Star Mineradora, Luiz Azevedo, afirmou, durante a solenidade, que a empresa optou por Goiás por ter encontrado apoio integral do governo e que, graças a isso, a Five Star planejou e executou atividades para instalação da unidade em prazo recorde. Ele espera anunciar dentro de três meses a instalação de parte da planta industrial da mineradora nos dois municípios.

 

Para governador, apesar de crise, Goiás é sinônimo de oportunidade

 

O governador Marconi Perillo afirmou, ontem (16), durante assinatura de Protocolos de Intenções com sete empresas que vão investir em diferentes regiões do Estado, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, que a crise econômica que o País está vivendo é sinônimo de novas oportunidades para Goiás e que o Estrado atravessa esta turbulência da melhor forma possível. “Os economistas têm suas fórmulas para distinguir entre crises financeiras mais superficiais e a de fundo econômico, mais graves. Em Goiás, crise continua sendo sinônimo de oportunidade. Isso porque nós nos preparamos, cortamos aquilo que precisávamos cortar e planejamos nossa gestão para este cenário”, afirmou.

Marconi destacou que o Estado, porém, não é uma ilha econômica de plena prosperidade em meio à crise que passa o Brasil. E que está, sim, suscetível ao cenário nacional. Os indicadores recentes, entretanto, abrem brecha para o otimismo. “Isso porque o governo de Goiás fez a sua parte. Vínhamos com um crescimento forte. Tivemos de antecipar as medidas de ajuste fiscal, que significou, entre outras coisas, corte profundo do orçamento de 2015. Estamos tendo de rever nossos custos, enxugar a estrutura já enxuta e reduzir o ritmo que gostaríamos de imprimir em nossos investimentos. Mesmo assim, a economia goiana dá sinais de fortalecimento. Estamos atravessando da melhor forma mais uma crise”, avaliou.

Ele ainda lembrou que Goiás, mesmo diante deste cenário de crise, conseguiu manter seus investimentos públicos em infraestrutura no primeiro quadrimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2014, conforme apontado pelo jornal Folha de S.Paulo, em sua edição de ontem. “Vamos entregar 14 projetos, que já estão praticamente prontos. Será um volume superior a R$ 2 bilhões de obras de infraestrutura e na área social, que já estavam em andamento no governo anterior e que estão sendo concluídas agora. Fora outras obras significativas”, comentou.

Ele destacou que novos investimentos devem ser anunciados até o fim deste ano. “Enquanto indicadores apontam para a retração do PIB nacional, o PIB goiano se sustenta graças ao fato de que os empreendedores acreditam nas nossas potencialidades e na segurança ao investir aqui. Até o final do ano, vamos anunciar novos investimentos na casa dos R$ 1,5 bilhão, sendo R$ 1,2 bilhão apenas do setor de alimentos”, revelou.

tags:

Comentários

Mais de Economia