Economia

Marconi ressalta importância do agronegócio para o Brasil

diario da manha

Helvécio Cardoso,Da editoria de Economia

O governador Marconi Perillo participou, ontem, da abertura oficial da 44ª Exponorte de Porangatu. Efetivamente, o evento teve início em 21 de agosto e vai até o dia 30. As autoridades que participaram da cerimônia centraram suas falas na exaltação dos resultados positivos do agronegócio goiano e brasileiro, observando que foram responsáveis pela melhoria dos números da economia brasileira, amenizando a crise pela qual ela está passando.

Marconi ressaltou os números da Balança Comercial brasileira em 2014, pelos quais o País amargou um déficit de mais de 5 bilhões de dólares. Ele lembrou que o cenário poderia ter sido muito pior, caso o agronegócio dos Estados do Centro-Oeste não tivesse resultados bons e que garantissem amenizar as perdas. “Se há alguém que salvou a lavoura no Brasil foi o setor agropecuário. Tirou o Brasil de um déficit comercial vergonhoso. Não fossem os 20 bilhões de dólares de superávit (da balança comercial) alcançados pelos Estados do Centro-Oeste no ano passado, o déficit teria sido de 25 bilhões de dólares”, contabilizou.

Ele enumerou outras estatísticas que foram minimizadas pelo setor. Disse que se Goiás figura na primeira colocação na geração de empregos em 2015, se o Estado projeta um crescimento positivo para este ano – ante à projeção negativa do Brasil, isso pode ser creditado aos produtores goianos. “Por incrível que pareça, apesar de vivermos a maior recessão da história, da maior crise econômica já vivida no Brasil nas últimas décadas, tivemos em Goiás nesse primeiro semestre o 1º lugar na geração de empregos no Brasil. Já tivemos meio milhão de desempregados este ano no Brasil. Em Goiás, no entanto, temos um saldo positivo (de empregos). Graças ao agronegócio”, avaliou.

Presente na solenidade, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mario Schreiner, corroborou com o governador. “O Brasil passa por uma das crises, política e econômica, mais graves da nossa história. E o agronegócio tem segurado o País. É um sistema dinâmico, que tem ajudado nas exportações, no superávit (da balança comercial), na geração de emprego. E (o agronegócio) tem tudo para ajudar ainda mais”, analisou.

Cartão do Produtor – Marconi Perillo afirmou que tem planejado com membros do governo novas ações para fortalecer ainda mais o setor. Ele anunciou que no próximo dia 9 de setembro, juntamente com o vice-governador José Eliton, vai lançar o chamado Cartão do Produtor. Por meio do cartão, explicou, não será mais necessário que os criadores se dirijam à Agrodefesa para emitir guias de trânsito animal. “O próprio produtor vai autorizar sua guia”, sublinhou. Marconi comemorou o fato de Goiás estar há 18 anos livre da febre aftosa, feito que creditou às parcerias com a Faeg e com sindicatos rurais.

Lembrou o quanto o governo tem investido na malha viária na Região Norte, entre outros motivos, para fortalecer ainda mais as atividades rurais. Falou da duplicação da GO-060, via de tráfego de 90% dos cidadãos do Norte. Citou também a restauração de 89,3 km da GO-237, entre Uruaçu e Niquelândia (inaugurada este mês) e a restauração de 127,7 quilômetros da rodovia GO-244, no trecho entre os municípios de Porangatu, Novo Planalto e São Miguel do Araguaia, cuja obra foi inaugurada em abril último.

“Começo hoje uma peregrinação por outros sindicatos (rurais), por outras instituições, para agradecer a vocês todos por estarem sustentando o país, sustentando Porangatu, sustentado o nosso Estado. São vocês que carregam o país nas costas, apesar de todas as dificuldades, intempéries. Apesar disso tudo, a cada ano, nossa produção vai garantindo indicadores menos ruins. Nossa obrigação é ajudá-los, apoiá-los. Meu compromisso, como governador, é prioritariamente com aquele setor que nos carrega, que dá sustentação ao nosso país, que dá emprego, dá renda, que é o setor do agronegócio”, finalizou sob aplausos.

A região Norte do Estado tem 4 milhões de cabeças de gado, o equivalente a 18,37% do rebanho bovino do Estado (22 milhões de cabeças). Porangatu tem 355 mil cabeças, o segundo rebanho da região, atrás apenas de São Miguel do Araguaia, com 589 mil cabeças.

A produção de bovinos na região é fundamental para o crescimento ininterrupto nas exportações de carne in natura de Goiás. Porangatu é o maior centro urbano da região, com localização estratégica, daí sediar a maior exposição do Norte goiano. O Norte de Goiás é responsável por 10% da produção de leite do Estado.

Organizada pelo Sindicato Rural de Porangatu, a Exponorte exerce influência sobre o segmento, além de Goiás, no Tocantins e na Bahia, estados limítrofes ao Norte e Nordeste goianos. Goiás tem o 4º maior rebanho bovino do Brasil, correspondente a 10,4% do efetivo do País. Em paralelo à Exponorte, serão realizadas a 28ª Exposição da Raça Zebuína, 12º ranking nelore e o 10º ranking tabapuã. O evento vai até o próximo domingo.

Participaram da solenidade o prefeito de Porangatu, Eronildo Valadares (PMDB), o Superintendente Executivo da Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), Antônio Flávio de Lima, o deputado estadual Júlio da Retífica, prefeitos e lideranças da região Norte de Goiás, entre outras autoridades.

Comentários

Mais de Economia