Economia

Agricultura lança na terça programa de combate à mosca-das-frutas

Stênio Ribeiro – Repórter da Agência Brasil

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou hoje (4) que a ministra Kátia Abreu lança na terça-feira (8), em Brasília, o Programa Nacional de Combate à Mosca-das-Frutas. No dia seguinte (9), o mesmo programa será apresentado aos produtores do Vale do Rio São Francisco, em Petrolina (PE).

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu,abre a Reunião Interamericana de Serviços Nacionais de Sanidade Animal, Vegetal e Inocuidade dos Alimentos (Risavia 2015) (Jose Cruz/Agência Brasil)

A ministra anunciou hoje a liberação de recursos para criação de um centro de manejo integrado para combate à moscaArquivo/José Cruz/Agência Brasil; Agencia Brasil

A ministra também anunciou hoje, durante visita à Feira Agropecuária de Esteio (RS), a liberação de R$ 2 milhões para criação de um centro de manejo integrado para combate à mosca-das-frutas nos estados da Região Sul, já batizado de Moscasul.

Com sede na estação experimental da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no município de Vacaria (RS), o centro fomentará pesquisas e transferência de tecnologias para controle e manejo da praga. O dinheiro será repassado pela Secretaria do Produtor Rural e do Cooperativismo para a Embrapa.

De acordo com comunicado do ministério, a ministra adiantou que deputados e senadores da Frente Parlamentar da Agropecuária manifestaram interesse em destinar ao projeto emendas que poderão somar R$ 1,3 milhão. Segundo ela, com esses recursos é possível transformar o laboratório em referência internacional no combate a moscas de clima temperado.

“Não adianta combatermos as pragas com práticas convencionais”, afirmou a ministra, defendendo o uso de remédios mais ousados. “Só fertilizantes e agroquímicos não adiantam. Vamos procurar alternativas para avançar em biossegurança”, acrescentou. Ela garantiu que qualquer projeto que vise ao avanço tecnológico do setor agropecuário terá apoio do ministério.

Editor Armando Cardoso

tags:

Comentários

Mais de Economia