Economia

Governador diz que Inova Goiás será farol para o Estado e para o País

diario da manha

Depois de lançar, na manhã de hoje, o Programa Estadual de Inovação e Tecnologia (Inova Goiás), que instala um novo ciclo de modernidade tecnológica em diversos setores, o governador Marconi Perillo participou de novo hangout para responder perguntas sobre o programa, acompanhado pelo coordenador da Agência USP de Inovação, Vanderlei Bagnato. Aos internautas, que enviaram perguntas com a hashtag #PapoComGovernador, Marconi anunciou que será realizada uma enquete para que eles definam o tema que será abordado no próximo hangout.

Ao se apresentar aos internautas, Bagnato afirmou que se sentia honrado com o convite para discutir inovação em um estado que está demonstrando os passos que o Brasil deve galgar. “Enquanto todos estão procurando um objeto para se esconder, vemos Goiás se expondo ao sol e tentando realmente determinar qual será o ritmo que daremos ao nosso país. E é uma honra estar ao lado de um governador que assume a responsabilidade de transformar Goiás em um dos estados mais inovadores da Nação”, declarou.

Em resposta à primeira pergunta sobre o Inova Goiás, Marconi disse que trata-se do programa mais ousado lançado este ano, em meio à crise econômica. “Mas sempre que há uma crise nova existem muitas oportunidades, e estamos exercendo exatamente esse papel. Hoje lançamos um programa que passa a ser um farol para o nosso Estado e para o nosso País; é algo que estamos fazendo para o país como um todo”, emendou, para reforçar, em seguida, que por meio do programa o governo do Estado celebra grande parceria com a USP, com as universidades goianas, com o setor empresarial e governo federal.

“O grande resultado que vamos obter com esse programa de inovação se dará a partir de uma base concreta de muitas parcerias que vão lançar inúmeros produtos no mercado, todos voltados ao desenvolvimento científico-tecnológico e da pesquisa”, observou. Ele reiterou que o Governo de Goiás já tem, hoje, muitos recursos destinados a áreas de pesquisa, com vinculação constitucional, e agora sistematizou esses recursos e definiu um portfólio de ações voltadas a diversos setores: “Dentre eles o apoio a empresas que precisam de mão de obra qualificada para lançar essa flecha rumo ao futuro. Nosso objetivo é colocar Goiás como um dos estados mais inovadores do país”, reforçou.

O coordenador da USP afirmou que o Inova Goiás incorpora ao Estado a cultura da inovação. “Não se consegue fazer inovação sem ter eficiência. É o ingrediente fundamental. Para mim, um governo que se determina a lançar um pacote desses, de inovação tecnológica, quer incorporar no seu dia a dia a cultura da inovação. Inevitavelmente, vai descobrir formas de fazer melhor toda a assistência que precisa dar à população. Temos que pensar que a solução local é a solução para o mundo”, enfatizou.

Marconi corroborou com a afirmação de Bagnato: “Isso é só começo, vamos dar a largada em novos programas. Quando damos início a um programa como esse, vão aparecendo novos programas, inovações, produtos”, refletiu. Questionado se o Inova Goiás resultará em eficiência da gestão pública, o governador respondeu que é uma das diretrizes do programa, e enumerou as ferramentas de prestação de serviços de qualidade que são muito bem avaliadas pelos goianos, como o Vapt-Vupt, que já soma 70 unidades.

Citou, também, o avanço na área de diagnósticos, com a criação de uma central que recebe todos os laudos dos grandes hospitais, principalmente dos de urgência, e que, com especialistas 24 horas, consegue devolver os laudos em menos de uma hora. “Temos também o programa de acesso à digitalização nas escolas. Outro é o desenvolvimento da biometria, para facilitar as investigações na área da segurança pública. Já começamos o programa Goiás Biométrico, com o objetivo de cadastrarmos todas as pessoas e revalidar as carteiras; isso ajuda muito no trabalho de investigação. Além disso, temos atividades crescentes na economia, como os arranjos produtivos locais. Vamos ter melhorias no setor público e vamos ser mais do que nunca forte suporte ao setor privado”, afirmou.

Inovação

Bagnato ressaltou que a inovação é a mola propulsora do desenvolvimento. “Temos que ter a responsabilidade de ajudar a gerar recursos públicos, e uma forma de fazer isso é com o fortalecimento do setor produtivo, da parceria do conhecimento com a produção. Isso se faz instituindo a cultura do desenvolvimento, da inovação em todos os níveis educacionais e governamentais”, disse. Perguntado sobre como tem sido o trabalho de fomento à pesquisa em Goiás, o governador lembrou que o foco na pesquisa acelerou muito de 2011 para cá quando a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeg) foi reativada, programas foram fortalecidos e criados, como o Bolsa Futuro, de qualificação da mão de obra. “E também com a vinda dos Itegos, que vamos chegar a 30”, frisou.

Na área da segurança pública, lembrou a criação de uma política de segurança voltada para a inteligência. “No final do ano passado inauguramos o Centro de Inteligência, Comando e Controle para termos acesso ao monitoramento de todas as operações com câmeras públicas e privadas”, afirmou. Ele lembrou, ainda, que a pesquisa agropecuária será fortalecida e expandida com o Inova Goiás. “Temos um futuro promissor”, ressaltou.

Comentários

Mais de Economia