Economia

Uber de jatinhos privados recebe aporte da família real da Arábia Saudita

O rapper Jay-Z também está entre os investidores da JetSmarter

MOSCOU – Voar em um jatinho particular está ganhando ares de Uber, com um dos maiores clientes dessa indústria — a família real da Arábia Saudita — investindo US$ 26,1 milhão na JetSmarter, empresa que permite agendar pelo smartphone voos em jatinhos particulares. A companhia, que conta com investidores como o rapper Jay-Z, pretende as operações no Oriente Médio, Ásia e Europa.

A maioria das aeronaves privadas não são muito usadas, segundo Sergey Petrossov, fundador da JetSmarter. Ou permanecem em aeroportos, ou voam vazios para buscar clientes. Os assentos desocupados e os voos podem ser oferecidos a viajantes por menos do que o preço típico para fretar um jatinho e por uma taxa que pode ser pelo menos no mesmo nível de uma passagem de primeira classe.

— Pensamos que se oferecêssemos essa oferta excessiva a passageiros de classe executiva de companhias aéreas regulares, seria um grande serviços — afirma Petrossov, que já tinha recebido US$ 20 milhões da família real saudita em julho em outra rodada de financiamento.

O empresário compara o serviço da JetSmarter ao do Uber Black, a versão privada dos carros pretos da Uber que pode levar os clientes em um Mercedes S-Class ou em algum outro sedan de luxo. A ideia surgiu a partir da experiência pessoal. Em 2009, Petrossov quis fretar um avião privado e precisou preencher inúmeros formulários e enviar faxes para fazer o pedido. A demora e burocracia, então, deram a luz para o empreendimento.

Começando como uma forma mais simples de contratar um avião, a JetSmarter ampliou os serviços para a compra de capacidade ociosa, vendendo assentos vazios nos voos e organizando viagens em rotas populares, como Nova York-Miami. Um lugar em um voo em um Learjet 45 nesse trajeto no início de março custa atuais US$ 1.990, com compra mínima de quatro lugares. A empresa oferece espaço em voos que partiriam vazios e faz vendas de último minuto sem cobrar a membros que pagam taxa anual de US$ 9 mil.

A JetSmarter vai oferecer voos fretados na Europa, em rotas como Londres-Paris e Paris-Genebra a aprtir de abril, após começar a voar de Riad para Dubai em dezembro. Os planos de Petrossov também incluem destinos como Hong Kong em abril e Moscou no começo do ano que vem.

A JetSmarter tem 3,1 mil jatos conectados ao sistema. O aplicativo tem cerca de 350 mil downloados e a companhia transportou cerca de 35 mil passageiros no ano passado, registrando aumento de 135% no número de associados no último trimestre. Com mais clientes para reduzir o número de assentos e aviões vazios, os custos continuarão a cair, prevê Petrossov.

— Nós democratizamos os jatos privados, tornando-os acessíveis para até 2,5 milhões de pessoas que costumavam a voar na primeira classe e na execustiva — sustenta o empresário. — No próximo estágio, buscaremos tornar nos preços mais acessíveis para até 15 milhões de pessoas.

Comentários

Mais de Economia