Entretenimento

Felipe Neto paz e amor

diario da manha

Se o protótipo do início de uma bela vida profissio­nal há uns anos era ganhar o primeiro milhão antes dos 30 anos, hoje a coisa anda meio dife­rente. A tendência do momento é ganhar milhões, mas de seguido­res e curtidas nas redes sociais – não que isso não renda também muito dinheiro. E amanhã chega a Goiânia o espetáculo de um you­tuber, dono do primeiro lugar do ranking, de influenciadores mais visualizados no Brasil, ou como di­zem por aí, “o rei da internet”: Feli­pe Neto, com o seu “Megafest”.

O espetáculo vai acontecer amanhã, às 19h30, no Teatro Rio Vermelho, e promete ser uma ex­tensão de seu canal no Youtube. Estão previstos quadros do ca­nal, com bastante interação, im­proviso e irreverência. Ingredien­tes que arrastam 16 milhões na plataforma de vídeos. Seus fãs são compostos por uma parcela da população abandonada no entre­tenimento das tvs abertas, no en­tanto muito valorizada no merca­do: as crianças e adolescentes.

Hoje o Felipe Neto que o públi­co vê na internet é bem semelhan­te da realidade dos jovens. Seu ca­nal tem zoação com amigos e a si próprio, desafios, liberdade para falar qualquer coisa que passa por sua cabeça e ele envolve o público com sua família – com seu irmão, amigos, namoradas, em uma es­pécie de reality show.

A cada milhão de seguidores, ele também pinta o cabelo de uma cor. O tom agora está entre azul e lilás, mas já foi verde, roxo, vermelho… A promessa é que no próximo milhão, toda sua equi­pe – a família Neto – também co­lora as madeixas junto com o in­fluenciador digital.

Felipe Neto de 2010 fazia sucesso na internet ao
criticar grandes sucessos teens

MUDANÇAS

Quem vê Felipe Neto de hoje fazer paródia do hit Despaci­to, com o seu “Rebuliço”, pode talvez não reconhecer o jovem, que foi um dos youtubers pio­neiros – juntamente com PC Si­queira – e era famoso por jus­tamente criticar tendências adolescentes. Com o canal cha­mado “Não Faz Sentido”, pole­mizou, em 2010, com comen­tários raivosos que iam desde a saga Crepúsculo a banda meteó­rica e colorida Reestart.

Por mais que botasse lenha na fogueira, o comunicador con­seguiu expandir seus horizontes para a TV: trabalhou na Record, Multishow e até na Globo. Lan­çou livros, documentários, fun­dou a própria produtora de vídeos no youtube (que criou o canal Pa­rafernalha, por exemplo).

Logo se vê que Felipe é um empresário astuto e moderno. Tanto que mesmo sem ter sido formado em alguma faculdade foi escolhido pela Harvard para fazer um curso de empresários com potencial.

Sua volta ao Youtube, de cara nova e “paz e amor”, aconteceu após o primeiro módulo deste cur­so. O influenciador fez diversas pesquisas para encontrar o que os jovens queriam ver, e encontrou. Começou a produzir vídeos diá­rios focados no entretenimento e hoje tem até o próprio aplicativo.

O reino está ampliando espa­ços, pois seu irmão, Luccas Neto, também virou um youtuber muito curtido, e um de seus vídeos mais famosos destaca o mesmo tom de zoeira de Neto – ele até já entrou em uma banheira repleta de Nutella.

Hoje, além de seus próprios canais, os irmãos Neto possuem um canal juntos, que já computa mais de 5 milhões de fãs. Além dis­so, com Luccas Felipe administra uma franqueadora de coxinhas, cuja última tacada foi patrocinar o time do coração de ambos – o Bo­tafogo. A marca dos dois na cami­sa do time fez as vendas do unifor­me aumentarem tremendamente.

Em entrevista ao DMRevista o youtuber fala sobre toda esta onde de sucesso e revela que ainda vem surpresa por aí: o próximo passo será o cinema. Alguém duvida que vai ser um “rebuliço”?

 

 

FELIPE NETO – MEGAFEST

Onde: Teatro Rio Vermelho

Quando: Amanhã, às 19h30

Ingressos: Cadeira superior: R$ 100 (inteira), R$ 50 (meia). Ca­deira inferior: R$ 180 (inteira), R$ 90 (meia)

 

Entrevista Felipe Neto

Os “reis da internet”: com irmão Luccas Neto, também youtuber, Felipe
administra empresa de coxinha que patrocina até time de futebol

DMRevista- O que podemos espe­rar de Megafest?

Felipe Neto- Não é todo baseado no im­proviso, é uma peça que conta uma histó­ria, mas que tem três quadros do canal fei­tos ao vivo e improvisados. Isso faz com que toda apresentação seja única e especial!

DMRevista- Você é de uma geração na qual crianças e adolescentes tinham espa­ço na TV. Por sentir o vácuo atual nesse ni­cho resolveu investir neste público?

Felipe Neto- Não, resolvi investir nesse público porque é o que mais me dá felicidade em produzir, mas é claro que isso colaborou demais para o su­cesso do canal. A TV cada vez mais abandona as crianças e os ado­lescentes, que buscam na internet um refúgio de conteúdo.

DMRevista- De um crítico quase incorrigível, você tem cada dia mais passado uma mensagem a favor das liber­dades individuais, minorias e contra o preconceito. Então, além das tendências do mer­cado, você também passou por mudanças ideológicas?

Felipe Neto- Sem dúvida. Fui criado de maneira conser­vadora, dentro da Igreja católica, com pensamentos homofóbicos e machis­tas, mas nada disso foi feito de propó­sito, era apenas como as coisas eram 30 anos atrás. Passei por profundas trans­formações e acredito que isso fica es­tampado na mudança do meu conteú­do ao longo dos últimos anos.

DMRevista- Recentemente você disse que um dos vídeos mais importantes que já fez foi o da Baleia Azul. Conse­gue sentir que é escutado quan­do fala, digamos, sério? E como encara a responsabilidade de ser um influenciador do públi­co jovem em tempos tão com­plicados?

Felipe Neto- Sinto que o público gosta bastan­te quando decido abordar um tema mais sério e acho isso fantástico, pois posso levar mensagens importantes para um públi­co que normalmente está numa fase que tem dificuldade de ouvir. Não sou um edu­cador e nem quero essa responsabilidade, mas o que puder fazer para ajudar as pes­soas a serem mais compreensivas umas com as outras e aceitarem as diferenças, vou fazer.

DMRevista- Hoje a “Família Neto” representa um dos maiores fe­nômenos da in­ternet. Como é que lida com tan­ta exposição? Críti­cas, haters, impren­sa são uma questão para você?

Felipe Neto- Re­almente é uma loucura, mas uma loucu­ra muito divertida e prazero­sa. Osha­ters nós r eal ­mente ignoramos, preferimos focar no amor e carinho que recebemos diaria­mente dos fãs, que é infinito!

DMRevista- Você é um dos youtu­bers pioneiros do Brasil. Como foi que nasceu este comunicador em você? E foi você quem contagiou o seu irmão Luccas?

Felipe Neto- Acredito que tive um papel fundamental no caminho do meu irmão, sim, mas o mérito do sucesso do canal dele é inteiramente dele. Sempre fui ator, desde criança, sempre vivi no teatro, essa é a mi­nha paixão e não faço ideia de como sur­giu, pois não havia outros artistas na famí­lia, foi apenas uma aptidão infantil.

DMRevista- Depois de poder apoiar o seu time do coração, alcançar números históricos na internet, criar o próprio apli­cativo e acreditar no que faz e fala nos víde­os, quais são os projetos daqui para frente? O cinema é a prioridade?

Felipe Neto- Cinema, sem dúvidas, te­mos grandes projetos no forno para 2018.

 

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio