Entretenimento

Críticas sociais e à reforma trabalhista são temas da escola Paraíso do Tuiuti

diario da manha

O desfile da escola Paraíso do Tuiuti ganhou bastante repercussão por conta das críticas realizadas acerca de temáticas sociais e contra o governo. O enredo do carnavalesco Jack Vasconcelos também abordou questões sobre a escravidão. A apresentação aconteceu na madrugada desta segunda-feira (12/02), no Sambódromo Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro.

A partir do enredo ‘Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?’, a escola fez referência aos 130 anos da Lei Áurea. “Não sou escravo de nenhum senhor / Meu Paraíso é meu bastião / Meu Tuiuti o quilombo da favela / É sentinela da libertação”, diz trecho.

Um ‘vampiro do neoliberalismo’, trajando uma faixa presidencial esteve presente no carro da escola. Apesar de fazer referências claras a Michel Temer, os organizadores não citaram oficialmente o nome do presidente.

Além destes personagens, a representação de políticos vestindo cuecas de cifrões e trabalhadores que portavam carteiras de trabalho, fazendo críticas a reforma trabalhista proposta pelo governo de Temer.

A escola também criticou os manifestantes que protestaram em favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Eles ficaram dispostos na ala denominada ‘manifestantes fantoches’.

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio