Entretenimento

Hoje na História

diario da manha
Susan Brownell Anthony

ACONTECIMENTOS HISTÓRICOS:

1010 — Ferdusi conclui seu poema épico Shahnameh.

1126 — Afonso VII é proclama­do rei de Castela e Leão, depois da morte de sua mãe Urraca.

1618 — Johannes Kepler for­mula a terceira lei do movimen­to planetário.

1658 — Tratado de Roskil­de: depois de uma derrota de­vastadora nas Guerras do Norte (1655–1661), Frederico III, rei da Dinamarca-Noruega é forçado a ceder quase metade do seu ter­ritório à Suécia para salvaguar­dar o restante.

1669 — O vulcão Etna, que ainda hoje está ativo na Itália, causa a morte de mais de vinte mil pessoas. A erupção destruiu a cidade de Catânia.

1694 — É fundada a Casa da Moeda do Brasil.

1702 — Ana Stuart, irmã de Maria II, torna-se Rainha da Ingla­terra, Escócia e Irlanda.

1722 — O Império Safávida do Irã é derrotado por um exér­cito do Afeganistão na Batalha de Gulnabade, fazendo com que o Irã caísse em anarquia.

1736 — Nader Xá, fundador da dinastia afshárida, é coroado Xá do Irã.

1808 — A família real portu­guesa e a sua corte desembar­cam no Rio de Janeiro, vindas de Lisboa.

1817 — É fundada a Bolsa de Valores de Nova Iorque.

1844 — O rei Óscar I sobe ao trono da Suécia e Noruega.

1884 — Susan B. Anthony, pe­rante os membros do Comitê de Justiça da Câmara dos Represen­tantes, solicita que seja feita uma emenda à Constituição dos Esta­dos Unidos que garanta às mulhe­res o direito ao voto.–Susan Brow­nell Anthony foi uma mulher que junto com Elizabeth Cady lutou pelo Direitos das Mulheres.

1910 — A aviadora francesa Raymonde de Laroche torna-se a primeira mulher a receber uma licença de piloto.–Elisa Léontine Deroche, também conhecida pelo antigo nome artístico da época de atriz: Raymonde de Laroche. Foi ela, a primeira mulher no mundo a obter uma licença de piloto e, sem segui­da, a primeira mulher a fazer um voo solo em 8 de março de 1910.

1911 — Primeiro protesto a favor do voto feminino.–O mo­vimento pelo sufrágio feminino é um movimento social, político e econômico de reforma, com o objetivo de estender o sufrágio (o direito de votar) às mulheres. Par­ticiparam do sufrágio feminino, mulheres e homens, denomina­dos sufragistas. Em 1893, a Nova Zelândia se tornou o primeiro país a garantir o sufrágio femini­no, graças ao movimento lidera­do por Kate Sheppard. A luta dos movimentos femininos inclui em seus registros o nome da cidade de Mossoró, no estado do Rio Gran­de do Norte. Em 1928, esse estado nordestino era governado por Ju­venal Lamartine, a quem coube o pioneirismo de autorizar o voto da mulher em eleições, o que não era permitido no Brasil, mesmo a proi­bição não constando da Constitui­ção Federal.] A Inglaterra alguns meses depois regularizou o voto feminino no mesmo ano.

1917 — Protestos do Dia In­ternacional da Mulher em São Petersburgo marcam o início da Revolução de Fevereiro (assim chamada porque era fevereiro no calendário juliano).–O Dia In­ternacional da Mulher é celebra­do a 8 de março. A ideia de criar o Dia da Mulher surgiu no final do século XIX e início do século XX nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, e pelo direito de voto. Em 26 de agosto de 1910, duran­te a Segunda Conferência Inter­nacional das Mulheres Socialistas em Copenhaga, a líder socialista alemã Clara Zetkin propôs a ins­tituição de uma celebração anual das lutas pelos direitos das mulhe­res trabalhadoras. As celebrações do Dia Internacional da Mulher ocorreram a partir de 1909 em di­ferentes dias de fevereiro e março, a depender do país.[4] A primei­ra celebração deu-se a 28 de feve­reiro de 1909 nos Estados Unidos, seguida de manifestações e mar­chas em outros países europeus nos anos seguintes, usualmente durante a semana de comemora­ções da Comuna de Paris, no final de março. As manifestações uniam o movimento socialista, que luta­va por igualdade de direitos eco­nômicos, sociais e trabalhistas, ao movimento sufragista, que luta­va por igualdade de direitos po­líticos. No início de 1917, na Rús­sia, ocorreram manifestações de trabalhadoras por melhores con­dições de vida e trabalho e con­tra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Os pro­testos foram brutalmente reprimi­dos, precipitando o início da Revo­lução de 1917. A data da principal manifestação, 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário ju­liano), foi instituída como Dia In­ternacional da Mulher pelo movi­mento internacional socialista. Na década de 1970, o ano de 1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e o dia 8 de março foi adotado como o Dia Internacional da Mulher pelas Na­ções Unidas, tendo como objetivo lembrar as conquistas sociais, polí­ticas e econômicas das mulheres, independente de divisões nacio­nais, étnicas, linguísticas, culturais, econômicas ou políticas.

1918

Ocorre o primeiro caso de gripe espanhola, o começo de uma de­vastadora pandemia.

Guerra civil finlandesa: início da Batalha de Tampere entre as forças vermelha e branca.

1920 — Fundação do Reino Ára­be da Síria, o primeiro Estado ára­be moderno a entrar em existência.

1921 — O presidente do gover­no espanhol, Eduardo Dato, é as­sassinado quando saía do edifício do parlamento em Madrid.

1937 — Guerra Civil Espanho­la: início da Batalha de Guadalaja­ra.–Na Batalha de Guadalajara (8 a 23 de março de 1937) o Exército Repu­blicano derrotou as forças nacionalis­tas italianas que tentavam cercar Ma­dri durante a Guerra Civil Espanhola. As forças nacionalistas envolvidas na batalha de Guadalajara foram princi­palmente o Corpo Truppe Volontarie italiano (CTV). A batalha começou com uma ofensiva italiana no dia 8 de março. Esta ofensiva foi interrompi­da em 11 de março. Entre 12 de mar­ço e 14 de março os ataques italianos foram renovados e apoiados por uni­dadesnacionalistasespanholas, estes foram interrompidos também devi­do a forte resistência republicana. Os republicanos lançaram com sucesso sua contra-ofensiva nos dias de 18 março a 23 março

1942

Segunda Guerra Mundial: Os neerlandeses rendem-se às forças japonesas na ilha de Java.

Segunda Guerra Mundial: Ran­gum na Birmânia é conquistada pe­los japoneses.

1943 — Segunda Guerra Mun­dial: As tropas japonesas contra-ata­cam as forças dos Estados Unidos na “Colina700” emBougainville, Papua­-Nova Guiné, numa batalha que du­raria cinco dias.

1947 — Treze mil soldados do Exército da República da China de­sembarcam em Taiwan devido os Incidentes de 28 de fevereiro e dão início à repressão que mataria mi­lhares de pessoas, incluindo muitos das elites. Isso dá origem ao movi­mento pela independência de Tai­wan.

1950 — A União Soviética anun­cia a existência de sua bomba atô­mica.

1957 — O Egito reabre o Canal de Suez após a Crise de Suez.

1963 — O Partido Baath che­ga ao poder na Síria através de um golpe de Estado comandado por alguns oficiais do Exército sírio que se autodenominam Conse­lho Nacional do Comando Revo­lucionário.

1965 — Guerra do Vietnã: 3500 fuzileiros navais estado-unidenses chegam ao Vietnã do Sul, sendo as primeiras tropas de combate ame­ricanas no Vietnã.

1966 — Guerra do Vietnã: A Aus­trália anuncia que irá aumentar subs­tancialmente o número de suas tro­pas no Vietnã.

1971 — Guerra Colonial Portu­guesa: A Acção Revolucionária Ar­mada, vinculada ao Partido Comu­nista Português, ataca a Base Aérea de Tancos.

1974 — É inaugurado o Aeropor­to de Paris-Charles de Gaulle, França.

1983 — O presidente dos Esta­dos Unidos Ronald Reagan, quan­do discursava na Associação Na­cional de Evangélicos, chama a União Soviética de “império do mal”.

2000 — Os Correios do Brasil lan­çamumseloemhomenagemàsmu­lheres pioneiras da aviação no país: Anésia Pinheiro Machado, Teresa De Marzo e Ada Rogato.

2010 — Sismo de Elazığ de 2010, no centro-leste da Turquia, provoca pelo menos 57 mortos.

2014 — Voo Malaysia Airlines 370 desaparece na rota de Kuala Lumpur para Pequim. Acredita­-se que a aeronave caiu no Ocea­no Índico, na costa da Austrália, com a perda de todas as 239 pes­soas a bordo.

Homens do Exército Republicano Espanhol após a vitória da Batalha de Guadalajara

 

NASCIMENTOS:

1911 — Maria Bonita, can­gaceira brasileira (m. 1938).– Maria Gomes de Oliveira, vulgo Maria Bonita foi uma cangaceira brasileira, companheira de Virgu­lino Ferreira da Silva, o Lampião e a primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros. Maria Bonita nasceu e cresceu no po­voado Malhada da Caiçara, que se localiza no município Paulo Afonso, na época município Glo­ria, na Bahia. Depois de um casa­mento fracassado com o sapatei­ro Zé de Neném,[6] no qual não gerou filhos, em 1929 tornou-se a namorada de Virgulino Ferrei­ra da Silva, conhecido também como o “Rei do Cangaço”. Moran­do na chácara dos pais, um ano depois do namoro foi chamada por Lampião para fazer efetiva­mente parte do bando de canga­ceiros, assim se tornando a mu­lher dele, com quem viveria por oito anos. Supõe-se que Maria Bonita engravidou quatro vezes e que em duas gravidezes perdeu os filhos, sendo eles natimortos. Comprovadamente ela teve uma filha com Lampião de nome Ex­pedita Ferreira Nunes, a única reconhecida legalmente, que foi criada por um casal de amigos va­queiros. Existem porém dúvidas sobre o parentesco dos supostos gêmeos Arlindo e Ananias Gomes de Oliveira. Ambos até então con­siderados filhos de Maria Bonita e Lampião. Maria Bonita morreu em 28 de julho de 1938, quando o bando acampado na Grota de Angicos, em Poço Redondo(Ser­gipe), foi atacado de surpresa pela polícia armada oficial (conheci­da como “volante”). Foi degola­da por ‘Sebastião do Facão’ ainda viva, assim como Lampião, po­rém este já morto, e outros nove cangaceiros. Em 2006 a Prefeitura de Paulo Afonso restaurou a casa de infância de Maria Bonita, ins­talando o Museu Casa de Maria Bonita no local.

1921 — Cyd Charisse, atriz e dançarina estado-unidense (m. 2008).

1929–Hebe Camargo, apre­sentadora de televisão e cantora brasileira (m. 2012).–Hebe Ma­ria Monteiro de Camargo Ravag­nani mais conhecida como Hebe Camargo, foi uma apresentadora de televisão, cantora e atriz bra­sileira. Tida como a “Rainha da Televisão Brasileira”. Iniciou sua carreira como cantora, no rádio, ainda na década de 1940 na Rádio Tupi. Lançou suas primeiras mú­sicas em 1950, “Oh! José” e “Quem Foi que Disse”. Já conhecida como “A estrela de São Paulo”, a princi­pal estrela do rádio da cidade, foi convidada a integrar o grupo que foi ao porto da cidade de Santos buscar os equipamentos para dar início a primeira rede de televisão brasileira, a Rede Tupi. Foi con­vidada por Assis Chateaubriand para participar da primeira trans­missão ao vivo da televisão bra­sileira ainda no ano de 1950. Em 1955, Hebe iniciou o primeiro pro­grama feminino da TV brasileira, O Mundo é das Mulheres dirigido por Walter Forster e em 1959 lan­ça seu primeiro disco, Hebe e Vo­cês. Hebe era considerada a maior entrevistadora do Brasil, tendo en­trevistado diversas personalidades como Neil Armstrong, Edith Piaf, Christian Barnard, Amália Rodri­gues e Julio Iglesias ainda nas dé­cadas de 1960 e 1970. Em 1964 se afasta da televisão para dar à luz ao filho Marcello Capuano, a pedido do marido Décio Capuano. Neste ano, interpreta duas regravações com sucesso absoluto nas rádios de todo Brasil, “Andorinha Preta” e “Paz do Meu Amor”. Retorna à te­levisão pela RecordTV em abril de 1966, após vários convites e a con­tragosto do marido, com o progra­ma Hebe, que permaneceu mais de 40 anos no ar em diversas emis­soras e estabilizou a apresentado­ra como a “Rainha da Televisão Brasileira”. Na década de 1970 con­sagrou-se como uns dos progra­mas de maior sucesso da televisão, com média de 70% de audiência. Em 1974 o programa é transferi­do para a Rede Tupi, saindo do ar em 1975 e retornando pela Rede Bandeirantes em 1979. Em 1986 o programa estreou no SBT, onde permaneceu por 25 temporadas. As duas últimas temporadas do programa foram veiculadas pela RedeTV!. Hebe morreu em 29 de setembro de 2012, em São Paulo aos 83 anos após sofrer uma para­da cardiorrespiratória de madru­gada, enquanto dormia. O corpo foi velado no Palácio dos Bandei­rantes sede do governo do estado de São Paulo e sepultado no ce­mitério Gethsemani. Em home­nagem à artista, uma avenida em São Paulo ganhou seu nome Ave­nida Hebe Camargo .

1932–Silvia Derbez, atriz me­xicana (m. 2002).

1941 — Neuza Borges, atriz brasileira.

1943 — Lynn Redgrave, atriz britânica (m. 2010).

1946 — Tonicha, cantora por­tuguesa.

1947–Carole Bayer Sager, compositora estado-unidense.

1961–ngela Figueiredo, atriz brasileira.

1961–Camryn Manheim, atriz estado-unidense.

1971–Letícia Sabatella, atriz e cantora brasileira.

 

 

 

MORTES:

Inezita Barroso

1279 — Adelaide I de Borgo­nha, condessa palatina de Bor­gonha (n. 1224).

1989 — Elisaveta Bykova, enxadrista russa (n. 1913).– Elisaveta Ivanovna Bykova foi uma enxadrista soviética cam­peã Mundial Feminina de Xa­drez, de 1953 até 1956, e no­vamente de 1958 a 1962. Ela derrotou a campeã reinante Lyudmila Rudenko em um Tor­neio de Candidatos em Mos­cou, perdeu o título para Olga Rubtsova e o recuperou dois anos depois, tornado-se a pri­meira mulher a realizar tal fei­to. Ela também foi uma colunis­ta sobre xadrez da URSS.

1955 — Clementina da Bélgi­ca, princesa da Bélgica (n. 1872).

2015 — Inezita Barroso, cantora e apresentadora bra­sileira (n. 1925).–Inezita Bar­roso, nome artístico de Ignez Magdalena Aranha de Lima, foi uma cantora, atriz, instrumen­tista, bibliotecária, folclorista, professora, apresentadora de rádio e televisão brasileira. Ga­nhou o título de doutora honoris causa em folclore e arte digital pela Universidade de Lisboa e atuou também em espetáculos, álbuns, cinema, teatro e produ­zindo espetáculos musicais de renome nacional e internacio­nal. Adotou o sobrenome Bar­roso ao se casar, em 1947, aos 22 anos, com o advogado cearen­se Adolfo Cabral Barroso, com quem teve uma filha, Mart

 

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio