Entretenimento

Brasil musicado

diario da manha
Hermeto Pascoal e Grupo são destaque desta sexta-feira (27/4)(FOTO: GABRIEL QUINTÃO)

O feriado da próxima terça­-feira (1º/5) deve movi­mentar os pontos turísti­cos do Estado. Uma oportunidade rara de pegar as malas, entrar num carro ou ônibus, e sair em busca de uma água fresca e uma sombra boa. As opções de lazer e entreteni­mento pelo território do Estado de Goiás são amplas, vão de passeios em trilhas, cachoeiras, festivais gas­tronômicos e até um descanso sem motivos muito significativos: ficar deitado numa rede vendo o dia passar pela janela. Quem não pre­tende pegar a estrada e deve passar o fim de semana e o feriado na ca­pital também não estará perdido. Na última quinta-feira (27/4) teve início a oitava edição do Goyaz Fes­tival. O evento traz um mix de sons regionais, nacionais e internacio­nais, que vão do jazz à world music. O evento segue nesta sexta-feira e também no sábado.

A abertura da edição 2018 do festival contou com uma apresen­tação especial da Orquestra Filar­mônica de Goiás, sob regência do maestro britânico Neil Thomson, com um repertório cinematográfi­co. As músicas reproduzidas fazem parte da trilha sonora do filme Chi­cago, compostas por Ebb e Kander. A entrada do Goyaz Festival 2018 é gratuita, mas os ingressos são limi­tados para 700 pessoas por show. Para garantir um lugar nos espe­táculos, de quinta a sábado, será distribuída a pulseira correspon­dente ao dia do show. Cada pes­soa pode retirar até quatro pulsei­ras por CPF na bilheteria do Teatro Goiânia, a partir das 10h. Quem não conseguir adquirir a pulseira, pode­rá acompanhar a transmissão ao vivo do festival no lounge monta­do na Vila Cultural, atrás do teatro.

As apresentações desta sexta­-feira têm início às 20h. O músico regional Marcelo Maia, reconhe­cido na Música Popular Brasileira pelo instrumental forte e caracte­rístico. Junto com alguns músicos jovens do curso técnico de Música do Instituto Federal de Goiás (IFG), Marcelo formou o projeto Banda Peçanha, que se apresenta nesta noite. O repertório musical conta com músicas autorais, que serão apresentadas com instrumentos de orquestra erudita.

Funqquestra toca ao lado do coletivo goiano de percussão Coró de Pau
Pipoquinha

EXPERIMENTAÇÕES SONORAS

Seguindo a programação da noi­te desta sexta-feira no Goyaz Festi­val, um dos maiores pianistas brasi­leiros de jazz da atualidade sobe ao palco para uma apresentação que promete. O músico David Feldman toca ao lado de Kiko Freitas, na bate­ria, e Jorge Helder, parceiro do can­tor e compositor Chico Buarque, no baixo acústico. David Feldman Trio apresenta um repertório de canções autorais e algumas obras de grandes nomes da música brasileira. O gru­po sobe ao palco do Teatro Goiâ­nia após a apresentação de Marce­lo Maia, a partir das 21h.

A apresentação mais esperada desta edição do Goyaz Festival é o show do compositor e multi-instru­mentista brasileiro Hermeto Pas­coal. Considerado “um mago” ou “um bruxo” na música mundial, por conta da maestria em produ­zir canções de tudo quanto é obje­to, Hermeto volta para a cidade de Goiânia, desta vez dentro da turnê especial do seu novo álbum duplo, intitulado No Mundo dos Sons. O novo trabalho interrompe um hia­to de 15 anos sem lançar nenhum disco ao lado do grupo. Hermeto fa­lou em entrevista, durante a época do lançamento, que a abstinência não era proposital, pois o compo­sitor lançou outros trabalhos solo, em duo, trio e com orquestra, bem como participou de projetos com diversos artistas.

O novo CD é um prato cheio para quem é fã de Hermeto e do grupo que o acompanha. O encar­te duplo está disponível nas plata­formas musicais e conta com 18 temas de pegada jazzística ecoan­do ritmos brasileiros. Assumida­mente “não comercial”, Hermeto produz um estilo único de músi­ca, conseguindo trazer aos ouvi­dos do público uma novidade so­nora em cada canção.

ENCERRANDO

O encerramento do festival, rea­lizado no sábado (27), tem início com a banda Funqquestra. A apre­sentação é um tanto inusitada, mis­tura funk, com improvisos de jazz e um pouco da originalidade brasi­leira. Quem gosta de experimenta­ção terá um show empolgante pela frente na noite de sábado. A ban­da recebe um grupo goiano como convidado, o Coró de Pau. O coleti­vo goiano de percussão está em ati­vidade há 15 anos e promove ações educativas voltadas para a músi­ca. Juntos, a banda Funqquestra e o Coró de Pau prometem trazer um pouco das batucadas goianas e dar um ritmo ainda mais frené­tico para esta festa. A apresentação será às 22h30.

A oitava edição do Goyaz Festi­val também traz ao palco do Teatro Goiânia o show do goiano Bruno Rejan. Contrabaixista, arranjador e compositor, Bruno é conhecido pela versatilidade musical. Também se apresentam no sábado o jovem cea­rense Michael Pipoquinha, que se apresenta ao lado do instrumentista Arismar do Espírito Santo. As apre­sentações estão marcadas para as 20h e 21h, respectivamente.

 

MARCELO MAIA

Há quase 30 anos, o baixista Marcelo Maia tem se dedicado à música, em especial à música ins­trumental. Um dos primeiros con­tatos com ela foi em Hamburgo (Alemanha), onde trabalhou por um ano e meio tocando com mú­sicos de várias partes do mundo.

Além de instrumentista, é tam­bém produtor musical, arranjador e professor licenciado pelo Institu­to Federal de Goiás.

Estudou no Rio de Janeiro na escola Cigam, de Ian Guest, onde fez o curso de Harmonia Funcio­nal e Improvisação. Tocou em Jam Sessions no Nikite Bar (Ni­terói-RJ) quando teve a oportu­nidade de conhecer e tocar com Márcio Bahia, Marcelo Martins, Kiko Continentino (músicos que participam da formação do seu segundo CD, Cores da Rua), etc.

Tocou com o guitarrista e compositor Toninho Horta, fa­zendo vários shows em Brasí­lia e Goiânia.

Participa do Grupo Solo Brasil desde sua criação, (1999) com o espetáculo “Uma viagem através da música do Brasil”, elaborado pelo embai­xador Lauro Moreira, onde 100 anos da música do Brasil é re­tratada. Com este grupo excur­sionou pelas Américas Central, do Norte e do Sul, para a Vene­zuela (Caracas), México (Cida­de do México, Tajim, Mérida, Vera Cruz), Cuba (Havana), Jamaica (Kingston), Bahamas (Nassau), Argentina (Buenos Aires), Uruguai (Montevidéu), Paraguai (Assunção). Na Eu­ropa apresentou-se na Expo Hanover (Alemanha), no Jazz Fest Wien (Áustria), na França (Paris) e na África, mais preci­samente em Marrocos, nas ci­dades de Rabat, Fez, Casablan­ca e Marrakesh.

 

HERMETO PASCOAL

Hermeto Pascoal é um com­positor arranjador e multi-ins­trumentista brasileiro (toca acordeão, flauta, piano, saxo­fone, trompete, bombardino, es­caleta, violão e diversos outros instrumentos musicais).

Os sons da natureza o fascina­ram desde pequeno. A partir de um cano de mamona de jerimum (abóbora) fazia um pífano e fica­va tocando para os passarinhos. Ao ir para a lagoa, passava horas tocando com a água. O que sobra­va de material do seu avô, ferreiro, ele pendurava num varal e ficava tirando sons. Até o acordeão de 8 baixos de seu pai, de sete para oito anos, ele resolveu experimentar e não parou mais. Dessa forma, pas­sou a tocar com seu irmão mais ve­lho, José Neto, em forrós e festas de casamento, revezando-se com ele no acordeão e no pandeiro.

 

 

DAVID FELDMAN

David Feldman nasceu numa família dedicada à música clás­sica e barroca. Começou estu­dando piano clássico aos quatro anos, e já gostando de improvi­sar. Mais tarde, foi aluno do ini­gualável Luiz Eça.

Em 2000 ingressou na New School University, em Nova York, e entrou para o Programa de Jazz e Música Contemporânea, gra­duando-se em 2002. Em pouco tempo tocava com figuras lendá­rias do jazz, como Slide Hampton e Claudio Roditi, “dava canja” na Mingus Big Band e trabalhava com Duduka da Fonseca e com jovens brilhantes, entre eles Matt Garrison e Eli de Gibri.

Em 2004 ficou entre os 10 me­lhores pianistas do mundo na competição de piano-solo do Fes­tival de Jazz Montreaux, que tem curadoria de Quincy Jones e um júri formado por músicos de reno­me internacional, entre eles o téc­nico e acrobático pianista Michel Camilo. Também atua como ar­ranjador, produtor, autor de trilhas sonoras e técnico de som.

Em 2009 lançou seu primeiro CD, intitulado O Som do Beco das Garrafas, incensado pela crítica es­pecializada, ecomessetrabalhovem participando de importantes festi­vais de jazz no Brasil e no exterior.

David já trabalhou com os mais conceituados nomes da MPB, como Paulo Moura, Leo Gandel­man, Leny Andrade, Leila Pinhei­ro, Carlinhos Brown, Jaques More­lembaum, Maria Rita, Bossa Cuca Nova, Ricardo Silveira, Wilson Si­moninha e Totonho Villeroy.

Em 2014 lançou seu segundo ál­bum solo, Piano.

 

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio