Entretenimento

Grupo Dimenti (BA) se apresenta na mostra 4ª tem Dança, no CCUFG

diario da manha
FOTO: ALEX OLIVEIRA

Você já tentou entender o sentido das coisas? Você já teve que inventar alguma teo­ria? Você já teve longas “DRs” com colegas de trabalho? Você já teve um chefe? Você já parti­cipou de dinâmicas de grupo? Você já perdeu o controle?

Uma espécie de stand up dan­ce comedy, um sitcom coreográ­fico, uma sessão de terapia coleti­va que faz jogos de espelho entre ficção e realidade, riso e desespe­ro, artista e público. Numa com­panhia de dança ficcional (e hi­per-real), a cena se constrói entre diversos movimentos corporais, desabafos de facebook, teorias ca­beludas, citações de obras de au­tores variados. Tombé coreografa movimentos, discursos e absur­dos da arte e da vida. E ri de si.

REPERCUSSÃO

Em atividade há 15 anos, a peça de dança baiana Tombé é uma stand up dance comedy interessada em refletir sobre as relações humanas por meio da arte: hierarquias, produções de discurso, relações de poder, ten­sões sociais. Numa companhia de dança ficcional estão: o di­retor, o dançarino, a bailarina, o ator e o técnico enquanto figuras icônicas de muitos ambientes de trabalho (não só nas artes!) que convivem a partir de embates e disputas de território.

Ao longos de seu trajeto, Tom­bé vem se renovando constan­temente e se contaminando de conteúdos gerados nas redes sociais, dos novos “vocabulá­rios politizados”, dos movimen­tos corporais que emergem das pessoas em geral e dos profis­sionais da dança em específico. Tombé marcou o início de uma pesquisa continuada do diretor Jorge Alencar sobre a relação en­tre dança e comicidade – em ní­vel artístico e acadêmico –, um investimento atípico, conside­rando-se que a imensa maioria dos estudos sobre humor está li­gada ao teatro e à filosofia e qua­se nunca à dança.

GRUPO DIMENTI

Fundado em 1998, em Sal­vador (BA), o Dimenti vem de­senvolvendo uma pesquisa de linguagem que realiza articula­ções pluriartísticas com profis­sionais de formações variadas: dança, teatro, letras, comunica­ção, administração, psicologia. Enquanto grupo artístico e pro­dutora cultural, o Dimenti tem se desdobrado em ações ligadas à criação e à gestão de projetos culturais e pedagógicos – mos­tras e festivais, circuitos de reper­tório, residências artísticas, deba­tes, intercâmbios, publicações, audiovisuais (CDs, DVDs, video­clipes, documentários e curtas­-metragens).

Nas obras do repertório são estabelecidas conexões com mídias e princípios diversos, a exemplo de traduções coreográ­ficas e dramatúrgicas de obras literárias, e de uma percepção humorística que relaciona ques­tões variadas, como representa­ções culturais e consumo. Dentre os seus trabalhos estão: o curta­-metragem filmado no Recôn­cavo Baiano Sensações Contrá­rias; a coreopeça infantil Chuá; a performance-palestra Tombé; a instalação Um Dente Chamado Bico – feita em colaboração com Sheila Ribeiro/dona orpheline – e o encontro de artes Interação e Conectividade.

Com as suas criações cênicas e audiovisuais, o Dimenti tem participado de festivais e proje­tos no Brasil e no exterior, como Rumos Itaú Cultural Dança (São Paulo), Panorama de Dança (Rio de Janeiro), Festival do Teatro Brasileiro (Pernambuco, Cea­rá, Maranhão), Festival Nordes­tino de Teatro de Guaramiranga (Ceará), Festival Internacional de Artes Cênicas (Bahia), Porto Ale­gre em Cena (RS), Mostra “Brazil Knows What Videoart Is” – Cen­tro Cultural Le Cube (França), Move Berlim (Alemanha).

TOMBÉ – GRUPO DIMENTI

Data: 25 de abril

Hora: 20h

Local: Teatro do Centro Cultural UFG (Avenida Universitária nº 1533, Praça Universitária – Setor Universitário – Goiânia/GO)

Ingresso: R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)

Classificação: Livre

Duração: 40 min

 

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio