Entretenimento

Hoje na História

diario da manha
Judeus sendo retirados à força das casas após o Levante do Gueto de Varsóvia

ACONTECIMENTOS HISTÓRICOS:

 

797 – Imperatriz Irene organiza uma conspiração contra seu filho, o imperador bizantino Constantino VI. Ele é deposto e cegado.

1012 – Martírio de Alfege em Green­wich, na Inglaterra.

1213 – Papa Inocêncio III convoca o Quarto Concílio de Latrão pela bula “Vineam Domini Sabaoth”.

1506 – Massacre de judeus em Lis­boa: morrem cerca de 3000 pessoas. – No Massacre de Lisboa de 1506, tam­bém conhecido como Pogrom de Lis­boa ou Matança da Páscoa de 1506, uma multidão perseguiu, torturou e matou centenas de judeus (mais de 4000, segundo o relato contemporâneo de Garcia de Resende), acusados de se­rem a causa de uma seca, fome e peste que assolavam o país. Isto sucedeu an­tes do início da Inquisição e nove anos depois da conversão forçada dos ju­deus em Portugal, em 1497, durante o reinado de D. Manuel I.

1648 – Batalha dos Guararapes: tér­mino do primeiro confronto entre o exército da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e os defensores do Império Português.

1713 – Sem herdeiros vivos do sexo masculino, Carlos VI, Sacro Impera­dor Romano-Germânico, emite a Prag­mática Sanção de 1713 para garantir que as terras dos Habsburgos e o tro­no austríaco fosse herdado por sua fi­lha, Maria Teresa (na realidade só nas­cida em 1717).

1770 – O capitão James Cook avista a Austrália pela primeira vez.

1782 – John Adams assegura o reco­nhecimento pela República Unida dos Países Baixos dos Estados Unidos como um governo independente. A casa que tinha comprado em Haia, torna-se a primeira embaixada americana.

1809 – Um exército austríaco é der­rotado pelas forças do Ducado de Var­sóvia, na Batalha de Raszyn, parte das lutas da Quinta Coligação. No mes­mo dia, o exército principal austríaco é derrotado pelas tropas do Primei­ro Império Francês comandadas por Louis Nicolas Davout na Batalha de Teugen-Hausen, na Baviera, parte de uma campanha de quatro dias que ter­minou na vitória francesa.

1839 – O Tratado de Londres esta­belece a Bélgica como um reino e ga­rante a sua neutralidade.

1892 – Charles Duryea afirma ter dirigido o primeiro automóvel nos Estados Unidos, em Springfield, Massachusetts. – Charles Edgar Dur­yea (Canton, Illinois, 15 de dezembro de 1861 – Filadélfia, 28 de setembro de 1938) foi o engenheiro do primei­ro carro com motor a gasolina funcio­nal dos Estados Unidos e cofundador da Duryea Motor Wagon Company. Nasceu próximo a Canton, Illinois, fi­lho de George Washington Duryea e Louisa Melvina Turner, e morreu em Filadélfia, tendo vivido a maior parte de sua vida em Springfield, Massachu­setts. Foi em Springfield que Charles e seu irmão Frank produziram e tes­taram o primeiro carro com motor a gasolina dos Estados Unidos.

1903 – O pogrom de Kishinev em Kishinev (Bessarábia) começa, forçan­do dezenas de milhares de judeus a buscarem, mais tarde, refúgio na Pa­lestina e no mundo ocidental.

1943 – O químico suíço Dr. Albert Hofmann deliberadamente experi­menta LSD pela primeira vez.

1943 – Segunda Guerra Mundial: na Polônia tem início o Levante do Gueto de Varsóvia, depois que tropas alemãs entram no Gueto de Varsóvia para levar os judeus remanescen­tes. – O Levante do Gueto de Varsóvia foi um ato de resistência no Gueto de Varsóvia, na Polônia em 1943, contra a ocupação nazi alemã. Nessa altura já se tinham dado os transportes da maioria dos habitantes do gueto. Cerca de 300 mil das 380 mil pessoas no gueto ti­nham sido levadas para o campo de ex­termínio de Treblinka, onde foram as­sassinadas imediatamente após a sua chegada, no final do verão de 1942. Os restantes habitantes do gueto sabiam agora o que os esperava e muitos de­les preferiam morrer lutando, em vez de morrer numa câmara de gás. A re­volta foi esmagada pelo Gruppenführer da SS (então apenas Brigadeführer) Jür­gen Stroop.

1958 – Criação da Arquidiocese de Aparecida pelo Papa Pio XII.

1960 – Estudantes da Coreia do Sul realizam um protesto pró-demo­cracia em todo o país contra o presi­dente Syngman Rhee, mais tarde, for­çando-o a renunciar. – A Revolução de Abril (conhecido na Coreia como 4·19), também chamada de Revolução de 19 de Abrilou Movimento de 19 de Abril, foi uma insurreição popular que aconteceu em abril de 1960, liderada por grupos trabalhistas e estudantis, que derrubou o governo autocrático de Syngman Rhee, encerrando a Primei­ra República da Coreia do Sul. A renún­cia de Rhee possibilitou a transição do país para uma Segunda República. A revolução começou de fato após a des­coberta do corpo de um estudante no porto de Masan. Ele havia participado dos protestos de 15 de março de 1960. A agitação popular local estava aconte­cendo devido a denúncias de corrup­ção nas eleições regionais. O governo afirmou que a causa de sua morte ha­via sido afogamento, mas a população rejeitou esta explicação. O regime de Syngman Rhee tentou censurar o que havia ocorrido e também tentou repri­mir os protestos. Em 18 de abril, as ma­nifestações chegaram a capital Seul. Este protesto também foi reprimido. No dia 19, em Seul, milhares de estu­dantes foram as ruas e marcharam até a Casa Azul, a residência oficial do pre­sidente. Estima-se que 100 mil pessoas estivessem marchando para pedir a re­núncia de Rhee do poder. A polícia que protegia o palácio presidencial abriu fogo e matou 180 pessoas. O governo então declarou lei marcial. A 25 de abril de 1960, professores, líderes trabalhis­tas e civis de todas as idades se junta­ram aos estudantes e as manifestações se tornaram gigantestas. Em um sinal de ruptura com o governo, o exército e a polícia se recusaram a obedecer or­dens de reprimir os manifestantes. Os protestos ganhavam força devido a de­núncias de corrupção e má gestão da economia por parte do regime, que na última década se tornava cada vez mais autoritário. Perdendo apoio polí­tico e com as manifestações populares ficando cada vez maiores, o presidente Rhee não teve escolha se não renunciar (a 26 de abril de 1960). No dia seguinte, Lee Ki-Poong, o vice presidente do país que havia sido usado como bode expia­tório dos escândalos de corrupção, co­meteu suicídio, junto com sua família. O ministro do interior e chefe da segu­rança, Choi In-Kyu, que havia coman­dado a repressão em Masan, também renunciou. A renúncia de Rhee levou ao fim do governo do Partido Liberal. A Coreia do Sul passou então a ser uma república parlamentarista, com o Par­lamento assumindo o controle da na­ção, sob a direção do primeiro-minis­tro Chang Myon. Em 13 de agosto, Yun Bo-seon foi eleito o novo presidente. O país, contudo, permaneceu instável po­liticamente, levando a um golpe de es­tado pelo exército e colocando o gene­ral Park Chung-hee no poder, em maio de 1961. A Coreia do Sul ficou sob co­mando de uma junta militar até que a igualmente autocrática Terceira Repú­blica foi proclamada em 1963.

1965 – Publicação do que se tor­naria a Lei de Moore pela Electronics Magazine, em 19 de abril, um artigo de Gordon Moore sobre a evolução dos Circuitos Integrados (Chips).

1971 – Lançamento da Salyut 1, a primeira estação espacial.

1973 – O Partido Socialista portu­guês é fundado na cidade alemã de Bad Münstereifel.

1975 – Lançamento do primeiro satélite da Índia, Aryabhata. – O Ar­yabhata foi o primeiro satélite artificial fabricado pela Índia. O nome vem do matemático e astrônomo indiano Ar­yabhata (476-550). Foi lançado pela an­tiga União Soviética por meio de um fo­guete Kosmos-3M (Kosmos 11K65M) a partir de Kapustin Yar em 19 de abril de 1975. O satélite foi fabricado pela Agência Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO). As operações científicas do sa­télite consistiam em experimentos so­bre astronomia de raios-X, o estudo das camadas altas da atmosfera terrestre e sobre física solar. O satélite tinha for­ma de polígono de 26 faces, cobertas por painéis solares, exceto a face infe­rior para a superior; a massa total do corpo era de 360 kg. Após quatro dias em órbita, uma falha de energia inuti­lizou o satélite para prosseguir com os experimentos, e os cinco dias de estar em órbita deixaram de receber sinais dele. A reentrada na atmosfera ocor­reu em 11 de fevereiro de 1992

1993 – O cerco de 51 dias feito pelo FBI ao edifício do Ramo Davidiano em Waco, Texas, termina em um in­cêndio. Oitenta e uma pessoas mor­rem. – O Cerco de Waco foi um cerco realizado pelo governo dos Estados Unidos, que começou em 28 de fe­vereiro de 1993, quando o Bureau of Alcohol, Tobacco, and Firearms ten­tou cumprir um mandado de busca na sede (denominada “Monte Car­melo” em função do lugar bíblico) do Ramo Davidiano, uma propriedade a 14 km a lés-nordeste de Waco, Texas. Um tiroteio resultou nas mortes de quatro agentes e seis seguidores de David Koresh. Seguiu-se um cerco de 51 dias, que terminou com em 19 de abril, quando um incêndio destruiu o conjunto. Setenta e seis pessoas (24 de­las com nacionalidade britânica) fale­ceram no incêndio, assim como mais de 20 crianças, duas grávidas e o pró­prio Koresh.

1995 – Atentado de Oklahoma City: Timothy McVeigh coloca explosivos no edifício federal Alfred P. Murrah, cau­sando 168 mortos e mais de 500 feridos.

1999 – O Bundestag (parlamento alemão) retorna a Berlim.

2005 – Após quatro votações, o con­clave elege Joseph Cardeal Ratzinger como Papa, que assume o nome de Bento XVI.

2006 – Inauguração do Casino de Lisboa, no Parque das Nações.

2011 – Fidel Castro se afasta do Comitê Central do Partido Comu­nista de Cuba após 45 anos no car­go. – O Partido Comunista de Cuba é o único partido político oficialmente reconhecido em Cuba que foi funda­do por Fidel Castro. Seu emblema é a bandeira nacional cubana superposta à bandeira vermelha, símbolo do mo­vimento comunista internacional. Foi fundado em 3 de outubro de 1965 no Centro Popular Hebreu de Havana por Salomão Mayer e Abraham Zincowich, mais conhecido pelo pseudônimo de Fabio Grobart, Comissário da Comin­tern para a região do Caribe. Seu princi­pal líder é Fidel Castro, ex-presidente do Conselho de Estado Cubano de 1959 a 2008. Para se disputar cargos nas elei­ções cubanas, não é necessário ser mili­tante do Partido, sendo porém pratica­mente nula a possibilidade de ser eleito devido a impossibilidade de reunião e de manifestações pacíficas, havendo uma media, durante o ano de 2012, de 500 prisões por motivos políticos. No fi­nal de abril de 2008 Raul Castro, convo­cou uma assembléia do Congresso do Partido Comunista Cubano (PCC) para o segundo semestre de 2009, para rede­finir os eixos políticos e econômicos do país. O VI Congresso do PCC foi decor­rido onze anos sem que se tenha reuni­do o órgão supremo de decisão políti­ca de Cuba. Fidel Castro anunciou no dia 19 de abril de 2011 que iria deixar o cargo de primeiro secretário (presidên­cia) do partido. Disse também que será substituído por seu irmão, Raúl Castro.

2013 – O suspeito do atentado à Ma­ratona de Boston, Tamerlan Tsarnaev é morto em um tiroteio com a polícia.

A Revolução de Abril Sul Coreana

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio