Entretenimento

Sangue e suor do trabalhador

diario da manha

Hoje não é dia do trabalho, pois este não merece ser ce­lebrado, não nos moldes de exploração no qual acontece. Hoje é dia do trabalhador, este sim mere­ce uma homenagem, por toda sua histórica luta na busca por condi­ções dignas para viver, derraman­do sangue e suor neste labor. Não é propriamente uma data para co­memorações, pois o arrocho sobre os trabalhadores é crescente e mui­tos foram massacrados e mortos em atos de resistência. É dia para lembrar a história de conquistas e martírios dos trabalhadores e pen­sar nas futuras batalhas.

Na cidade de Goiânia, neste pri­meiro de maio haverá atividades or­ganizadas pela Central Única dos Trabalhadores com shows, filmes e debates. Apresentações artísticas com: Sã Consciência, Diego Mas­cate, Mundhumano, Cocada Coral, Terra Cabula, Maíra Lemos e nos in­tervalos DJ SirCo e DVOLT. Integra também o evento uma Mostra de Curtas-Metragens com curadoria de Benedito Ferreira, apresentan­do os filmes: Alô, Maman; Havia cinzas dentro de mim; É uma vez; Real Conquista; A felicidade chega aos 40 e Intervenção.

A produção cinematográfica Real Conquista, que será exibida na mostra, foi premiada em fes­tivais de cinema e é uma realiza­ção da diretora goiana Fabiana Assis. O filme mostra o papel de atuação da mulher trabalhadora e traz uma atualização das técni­cas e da linguagem da produção local. “O Real Conquista aborda a vida de uma mulher que tem um forte passado histórico. E também é um filme sobre a esperança, por­que mesmo com toda dureza da vida, essa mulher, a personagem, consegue ser feliz e nos passa es­perança”, relata a cineasta.

Cena do filme da diretora goiana Fabiana Assis aborda o papel da mulher trabalhadora no curta Real Conquista

DIA DO TRABALHADOR CLASSISTA

Entre os dias 28 de abril e 1° de maio acontecerá o Encontro Goia­no dos Estudantes de Pedagogia (Egepe) na Faculdade de Educa­ção da UFG, com a presença de estudantes de Pedagogia e da Pós­-graduação em Educação de uni­versidades públicas e privadas de todo o Estado. O encontro preten­de debater acerca da conjuntura política e os seus desdobramentos na educação em nível local e na­cional, além de encaminhar pla­nos de lutas.

No dia 1° de maio, último dia do encontro, será marcado por um ato público em memória ao dia dos trabalhadores. “O ato é de resis­tência às atuais medidas antipopu­lares, resgatando o ânimo de luta, organização e combatividade dos trabalhadores pela capital”, infor­ma a organização.

“Nesse sentido, a organiza­ção do Egepe faz um chamado classista aos trabalhadores da capital para comporem o ato público do 1° de Maio, às 13h30, com concentração na Faculda­de de Educação da UFG. É tem­po de intensificação de crise, e nós, povo/trabalhador, não pa­garemos por ela! Basta de retira­das de direitos! Nenhum passo atrás!”, diz o chamado público para o evento.

 

 SERVIÇO

Ato público em memória ao Dia do Trabalhador

Data: 1° de maio

Local da concentração: Faculdade de Educação UFG

Horário: 13h3

Primeiro de maio, data em memória à dura luta trabalhista

A História do Dia do Tra­balho remonta o ano de 1886 na industrializada cidade de Chicago (Estados Unidos). No dia 1º de maio deste ano, mi­lhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de 13 para oito ho­ras diárias. Neste mesmo dia ocorreu nos Estados Unidos uma grande greve geral dos trabalhadores.

Dois dias após os aconteci­mentos, um conflito envolven­do policiais e trabalhadores provocou a morte de alguns manifestantes. Este fato ge­rou revolta nos trabalhadores, provocando outros enfrenta­mentos com policiais. No dia 4 de maio, num conflito de rua, manifestantes atiraram uma bomba nos policiais, provo­cando a morte de sete deles. Foi o estopim para que os po­liciais começassem a atirar no grupo de manifestantes. O re­sultado foi a morte de 12 pro­testantes e dezenas de pes­soas feridas.

Foram dias marcantes na história da luta dos trabalha­dores por melhores condi­ções de trabalho. Para home­nagear aqueles que morreram nos conflitos, a Segunda Inter­nacional Socialista, ocorrida na capital francesa em 20 de junho de 1889, criou o Dia In­ternacional dos Trabalhadores, que seria comemorado em 1º de maio de cada ano.

 

SERVIÇO

DIA DO TRABALHADOR NA PRAÇA UNIVERSITÁRIA

Dia 1º/05

Local: Praça Universitária

Horário: 14h

SHOWS:

14:00 – Sã Consciencia

15:00 – Diego Mascate

16:00 – Mundhumano

17:00 – Cocada Coral

18:00 – Terra Cabula

19:00 – Maíra Lemos

Intervalos: DJ SirCo e DVOLT

Dia 2/05

Mostra de Curtas-metragens com curadoria de Benedito Ferreira

Local: Auditório da CUT

Horário: 19h

PROGRAMAÇÃO DE CURTAS-METRAGENS

> Alô, Maman

Direção de Michely Ascari

> Havia cinzas dentro de mim

direção de Daniel Calil

> É uma vez

direção de Ludielma Laurentino

> Real Conquista

direção de Fabiana Assis

> A felicidade chega aos 40

direção de Daniel Nolasco

> Intervenção

direção de Isaac Brum

PROGRAMAÇÃO PARALELA:

Debates e rodas de conversas

Dia: 1º/05

RODAS DE CONVERSA:

15h30 – Feminismos

Convidadas:

– Marcelle Vaz – doutora em Ciências Sociais pela UNB, ativista e idealizadora da marca Plus Size Augusta Robusta

– Ana Rita Marcelo de Castro – presidenta do Conselho Estadual da Mulher de Goiás e do coletivo de Mulheres da CUT Goiás

– Janira Sodré Miranda – professora do IFG e membro do Conselho Estadual da Mulher/Conem

– Mediadora: Alessandra Minadakis – procuradora federal, feminista e ativista de direitos humanos.

17h- O Brasil sob o conservadorismo e o fascismo: desafios para a esquerda

– Mauro Rubem – presidente da CUT, cirurgião dentista da UPA Noroeste e diretor do Sindsaúde

– Fabrício Rosa – representante do movimento Policiais AntiFascismo, PRF e militante antiproibicionista

– Haroldo Caetano – procurador do estado

– Rubens Otoni – advogado, engenheiro mecânico, cientista social e está como deputado federal pelo PT

18h – Oficina de Agbê com Sarah Menezes do Cocada Coral

Sarah Menezes é batuqueira no grupo Cocada Coral, mas já toca agbês há 5 anos, estudando e explorando ritmos. Pra quem já conhece e pra quem tem interesse em ter um primeiro contato com esse instrumento de muitas possibilidades, nessa breve oficina serão passadas dicas básicas para experimentação e improvisação.

 

Comentários

Mais de Entretenimento

10 de julho de 2019 as 09:38

HORÓSCOPO 10/07/2019

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio