Entretenimento

Uma vontade de voar

diario da manha
Romance é ambientado no ano de 2008, período de intenso autoritarismo político no Zimbábue

Na região sul da África, encra­vado entre os rios Zambe­ze e Limpopo, está o Zim­bábue. A população total do país não passa de 16 milhões de habi­tantes, apesar disso a história po­lítica e social desta federação não caberia em uma pequena página de jornal. O assunto desta reporta­gem é também sobre este país, mas gira em torno de uma pessoa espe­cífica. Considerada uma revelação literária do Zimbábue, a escritora Rutendo Tavengerwei lança o livro Esperança para Voar, pela Editora Kapulana no Brasil, e inaugura um intercâmbio cultural entre jovens escritores brasileiros e jovens escri­tores do continente africano.

A obra que será publicada pela Kapulana no Brasil é o primeiro ro­mance da jovem escritora, que já é reconhecida pela narrativa emo­cionante e pelos personagens que cria, sempre dialogando direta­mente com o público jovem, abor­dando mudanças, superação e os significados de uma grande ami­zade. “Quando refleti sobre 2008, percebi que a maioria das minhas lembranças e a maneira como eu via o mundo eram da perspecti­va de uma adolescente, então fez sentido para mim que as protago­nistas fossem adolescentes. Ainda mais porque lições sobre esperan­ça e perseverança são importan­tes, e queria compartilhá-las es­pecialmente com o público jovem”, diz Rutendo. O livro de estreia de Rutendo chega às livrarias do país ainda no mês de maio.

Esperança para Voar narra a ami­zade de duas adolescentes e como a superação é importante nesse perío­do da vida. A história tem início com o retorno da personagem Shamiso e sua família do Reino Unido para o Zimbábue, após a morte do pai, um jornalista de oposição ao regime di­tatorial da época. Desta forma, o ce­nário que encontramos neste livro é baseado na grave crise política no país no ano de 2008 e os efeitos do autoritarismo político nas vidas das pessoas, principalmente dos jovens.

INÉDITO

“De certa maneira, traço parale­los entre minha escrita e meu co­tidiano. Acho que é importante, se você quer que a história seja plau­sível, usar situações reais e adicio­ná-las à história”, conta. Através de experiências particulares e da per­cepção que só uma nativa da região poderia ter, Rutendo cria uma fá­bula moderna, baseada nas per­das, rupturas e dores causadas pe­los sistemas políticos autoritários. Ao mesmo tempo, o livro conse­gue trazer um universo cheio de musicalidade, com elementos ex­clusivos desta nova autora. Apesar da realidade do livro ser encaixada em diversos países do globo, como, por exemplo, o Brasil, a obra é uma viagem para dentro da cultura do sul da África.

A autora explica que muito da sua obra é composto com elemen­tos da sua vivência particular. “Em alguns casos, se escuto algo inte­ressante ou engraçado, às vezes tento incorporar isso à história. Mas tanto de minha vida está na minha escrita. Escrevo sobre mú­sica e os sons que escuto, escrevo sobre cenários que acho maravi­lhosos. Basicamente, tento com­partilhar tudo que me toca com o mundo”, conclui.

PRECISO VOAR

Esperança para Voar, da zimba­buana Rutendo Tavengerwei, é o primeiro livro de literatura em lín­gua inglesa que a Kapulana lança neste ano. Em julho será publica­do o livro de contos O que aconte­ce quando um homem cai do céu, da autora de origem nigeriana Les­ley Nneka Arimah. Em novembro ocorrerá a publicação do livro de memórias Um dia vou escrever so­bre este lugar, do queniano Binya­vanga Wainaina. As obras, inéditas e traduzidas pela primeira vez em língua portuguesa, são de diversas temáticas e estilos literários.

 

TRECHO DE ESPERANÇA PARA VOAR

O calor fervia sob os pés de Sha­miso. Os dias estavam se desenro­lando como a pele velha de uma co­bra. Só fazia alguns dias desde que ela fora suspensa, mas parecia fazer um ano. Ela estava percebendo, en­vergonhada, que os desafios da vida no internato não eram nada compa­rados à realidade nua e crua de casa.

Ela estava na fila desde a ma­nhã. Já era meio-dia. O estômago roncava em protesto. A comida es­tava em falta. Ela sabia que quase todas as pessoas ao seu redor esta­vam sofrendo da mesma situação. A fila se tornara um ponto em co­mum para todos: professores, ad­vogados, jardineiros.

As coisas estavam tortas, triste­mente às avessas. Há algumas se­manas, as lojas estavam cheias de suprimentos. Parecia que Rhodes­ville tinha ficado presa em um pesa­delo durante a noite, longe dos con­fortos normais dos subúrbios, com suas lojas cheias e pessoas em suas rotinas habituais. Há pouco tempo, o país era conhecido como a zona cerealista da África. Agora ele pa­recia estar enfrentando as conse­quências de uma doença mortal, que atingira o coração do país, dei­xando um rastro de caos.

Uma mulher gorda estava em frente, segurando um bebê que dor­mia. A criança estava deitada tran­quilamente nos braços da mãe, completamente alheia ao que es­tava acontecendo no mundo. Sha­miso invejou sua ignorância. Cres­cer era uma tarefa cansativa.

– Com licença, essa é a fila do pão, né? – ela perguntou à mu­lher. Para seu horror, a mulher deu de ombros. Shamiso estreitou os olhos. Como era possível que a mulher não soubesse por que es­tava em uma fila? Mas, por outro lado, ela também não sabia. Sha­miso imaginou o que estaria fa­zendo se estivesse na escola. Parte dela ansiava por estar entre os ou­tros adolescentes, compartilhando o desespero do período de estudo, em vez de ficar em uma fila. Verifi­cou o celular. Outra chamada per­dida de Tanyaradzwa. Enfiou o ce­lular no bolso, como se escondê-lo fosse eliminar o problema.

EDITORA KAPULANA

A Kapulana é uma editora vol­tada para a publicação e divulga­ção da literatura de autores bra­sileiros e estrangeiros. A proposta é ampliar e apresentar as diversas linguagens literárias aos leitores do país. A seleção de títulos – vol­tada para autores e livros que ain­da não têm visibilidade – apresenta múltiplas identidades, com temas e cenários que expressem seus va­lores socioculturais. Atualmente, o catálogo da editora é compos­to por livros de ficção e científicos, para adultos e crianças, em prosa e poesia. Os escritores, ilustradores e colaboradores são de países como Brasil, Angola, Moçambique, Nigé­ria, Portugal, Quênia e Zimbábue.

 

ESPERANÇA PARA VOAR

Título original: Hope is our only wing

Autora: Rutendo Tavengerwei

Origem: Zimbábue

Tradução: Carolina Kuhn Facchin

Gênero: Ficção/ romance

Páginas: 164

Preço: R$ 37,90 (em pré-venda, com lançamento para 11 de maio de 2018)

Editora: Kapulana

ISBN: 978-85-68846-35-3

Contato:

Comunicação: Jorge Filholini ([email protected])

Rua Henrique Schaumann, 414 – 3º. andar

05413-010 – São Paulo – SP

tel.: 011-3083-1099

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio