diario da manha
Terceira Guerra Mundial: em 1983, coronel Russo evita o início de uma guerra nuclear com os EUA. (Na foto, ilustrativa, temos a Experiência Trinity, primeiro teste nuclear da história, realizado no Novo México, Estados Unidos, em 1945)

EVENTOS HISTÓRICOS

 

1143 Guido del Castello é eleito Papa Celestino II.

1777 Britânicos capturam a ci­dade de Filadélfia, nos EUA.

1907 Independência da Nova Zelândia. O país declarou-se um do­mínio dentro do Império Britânico e em 1947 o país adotou o Estatuto de West­minster, o que tornou a Nova Zelândia um reino da Commonwealth. O país se envolveu em assuntos mundiais, lutan­do ao lado do Império Britânico na pri­meira e e segunda Guerras Mundiais e sofrendo os impactos da Grande De­pressão. A depressão levou à eleição do primeiro governo trabalhista e ao esta­belecimento de um estado de bem-estar abrangente e de uma economia prote­cionista. A Nova Zelândia experimentou um período de prosperidade crescente nas épocas seguintes a Segunda Guerra Mundial e os māori começaram a dei­xar sua vida rural tradicional e ir para as cidades em busca de trabalho. Um mo­vimento de protesto dos māori desen­volveu-se, criticando o eurocentrismo e trabalhando por um maior reconheci­mento da cultura māori e do Tratado de Waitangi. Em 1975, um Tribunal Waitan­gi foi criado para investigar alegações de violações do tratado e foi habilitado para investigar queixas históricas em 1985.

1918 Primeira Guerra Mundial: o Corpo Montado do Deserto britânico inicia a perseguição das forças otoma­no-germânicas em retirada da Palesti­na e Jordânia que culminaria na toma­da de Damasco.

1945 Brasil: Fundação do PRP (Partido de Representação Popular).

1950 Guerra da Coréia: Tropas das Nações Unidas recuperam a cida­de de Seul, na Coréia do Sul, que es­tavam sob poder de forças norte-co­reanas. Os bombardeios americanos continuaram a causar severos danos nas forças comunistas ealiderança norte-co­reana viu-se obrigada a ordenar a retira­da precipitada de suas tropas do sul, para defender a capital Pyongyang. Em 27 de setembro, o ditador soviético, Josef Stalin, principal aliado dos norte-coreanos, cri­ticou a ineficácia dos exércitos do norte e também culpou seus conselheiros pe­las recentes derrotas dos coreano. Em 27 de junho de 1950, dois dias antes da in­vasão norte-coreana e três meses antes da entrada chinesa no conflito, o presi­dente Truman despachou a Sétima Fro­ta dos Estados Unidos para o estreito de Taiwan, com o fim de evitar hostilidades entre a República Nacionalista da China (Taiwan) e a República Popular da Chi­na. Em 4 de agosto de 1950,com a inva­são de Taiwa na bortada pelo governo co­munista de Pequim, o líder chinês, Mao Tsé-Tung, reportou ao Politburo que ele iria intervir na Coreia quando o seu exér­cito estivesse pronto. A China justificou sua entrada na guerra como sendo uma respostaa“agressão americanas obo dis­farce da ONU”. Kim Il-sung já havia ape­lado para Mao para que ele interviesse na guerra em seu favor. Enquanto isso, o ditador soviético, Stalin, disse aos seus conselheiros que seu país não iria interfe­rir na Coreia, mas aprovou o envio de su­primentos aos seus aliados comunistas.

Capa do disco Abbey Road, lançado pelos Beatles no dia 26 de setembro de 1969

1969 É lançado Abbey Road, úl­timo disco gravado pelos Beatles. Ape­sar de ter sido o penúltimo álbum lança­do pela banda, foi o último a ser gravado. As músicas do último disco lançado pe­los Beatles, Let It Be, foram gravadas al­guns meses antes das sessões que deram origem a Abbey Road. O álbum é con­siderado um dos melhores do grupo e parecia que os momentos de turbulên­cias tinham passado e tudo havia volta­do ao normal entre eles, mas na verda­de o maior problema da banda começou a esquentar: Guerra de poderes. Após a morte de Brian Epstein, Paul McCart­ney sugeriu que Lee Eastman, advogado de sucesso e pai de Linda Eastman, to­masse conta dos negócios, mas os outros Beatles, desconfiando e visando a uma proteção maior ao legado de todos, suge­riram que Allen Klein (que era promotor dos Stones e já vinha tentando “roubar” os Beatles de Epstein havia muito tem­po), seria a melhor opção pelo seu jeito convicto de “homem das ruas”. McCart­ney não concordou por achar absurdo pagar 15% de todos os lucros para Klein. Após a separação da banda, Eastman foi advogado da carreira solo de Paul e Allen Klein foi à justiça por ter roubado uma média de cinco milhões dos Beatles. Os demais Beatles mantiveram contrato com Klein até 1977. George Martin pro­duziu e orquestrou o disco junto com Geoff Emerick como engenheiro de som, Alan Parsons como assistente de som e Tony Banks como operador de fitas. Martin considera Abbey Road o melhor disco que os Beatles fizeram. E não é por menos: ele é o mais bem acabado de todos e um dos mais cuidadosamente produzidos (comparável somente a Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band). Sua estrutura foi bastante pensada e discuti­da, e as visões discordantes dos integran­tes da banda só contribuíram para a ri­queza da criação final. Também foi em Abbey Road que George Harrison se fir­mou como um compositor de primeira linha. Após anos vivendo sob a sombra de John Lennon e McCartney, ele final­mente emplacou dois grandes sucessos com este álbum: Here Comes the Sun e Something. Ambas as canções foram re­gravadas incessantemente ao longo dos anos, sendo que Something chegou a ser apontada pela revista Time como “a me­lhor música do disco” e como a segun­da música mais interpretada no mundo, atrás somente de Yesterday, também dos Beatles. Este disco foi marcado pelo uso de novos recursos tecnológicos que es­tavam surgindo na época. Um deles foi o sintetizador Moog, que começava a ser utilizado em maior escala dentro do rock. Ele possibilitava que virtualmen­te qualquer som fosse gerado eletroni­camente. O Moog pode ser notado cla­ramente em músicas como Here Comes the Sun, Maxwell’s Silver Hammer e Be­cause. Por seu trabalho em Abbey Road, os engenheiros de som Geoff Emerick e Phillip McDonald ganharam o Grammy.

1980 Ataque terrorista na Ok­toberfest de Munique, na Alemanha. 13 pessoas morreram e 211 ficaram feridas. Gundolf Köhler, o autor do atentado, tinha 21 anos e era estudan­te de geologia, e pensamentos de ex­trema direita e foi morto no mesmo dia do ocorrido.

1983 Stanislav Petrov evita iní­cio de conflito nuclear com os Esta­dos Unidos. O Tenente-Coronel Stanis­lav Petrov era o oficial do dia no bunker Serpukhov-15 perto de Moscovo no dia 26 de setembro de 1983, época da Guer­ra Fria. Apenas três semanas e meia an­tes, os soviéticos haviam derrubado um avião Boeing 747 sul-coreano, matan­do 269 a bordo. A responsabilidade do Tenente-Coronel Petrov era observar a rede de alerta preventivo por satélites e notificar seus superiores sobre qual­quer possível ataque com míssil nuclear contra a URSS.[6] Caso isto ocorresse, a estratégia da União Soviética era lançar imediatamente um contra-ataque nu­clear maciço contra os Estados Unidos, como previsto pela doutrina da Destrui­ção Mútua Assegurada. Pouco após a meia-noite, os computadores do bun­ker indicaram que um míssil estadu­nidense se movia em direção à União Soviética. O Tenente-Coronel Petrov deduziu que havia ocorrido um erro do computador, já que os Estados Unidos não lançariam apenas um míssil se es­tivessem atacando a União Soviética, e sim vários ao mesmo tempo. Além dis­so, a confiabilidade do sistema por sa­télite havia sido questionada anterior­mente. Por isso, ele considerou o alerta como alarme falso, concluindo que de fato não havia míssil lançado pelos EUA. Pouco tempo depois, os computadores indicavam que um segundo míssil tinha sido lançado, a seguir dum terceiro, um quarto e um quinto. Petrov ainda acre­ditava que o sistema computadoriza­do estava errado, mas não tinha mais outras fontes de informação para po­der confirmar as suas suspeitas. O ra­dar terrestre da União Soviética não tinha capacidade para detectar mís­seis além do horizonte, então quando o radar terrestre pudesse positivamen­te identificar a ameaça, seria tarde de­mais. Percebendo que se ele estivesse equivocado, mísseis nucleares logo es­tariam a chover sobre a URSS, Petrov decidiu confiar na sua intuição e de­clarou as indicações do sistema como alarme falso.[6] Após um breve mo­mento, ficou claro que seu instinto es­tava certo. A crise fez nele grande pres­são e muito nervosismo, mas o juízo de Petrov foi correto. Uma guerra nuclear de escala total tinha sido evitada. Na­quela noite, não estava agendado para Petrov estar de guarda. Se ele não es­tivesse lá, seria possível que um outro oficial no comando tivesse feito a de­cisão contrária.

1993 Entra em órbita o PoSAT-1, primeiro satélite português.

1997 A cidade italiana de Assis é atingida por dois fortes sismos

 

 

 

NASCIMENTOS:

Gal Costa interpreta a canção Brasil, de Cazuza, em 1994

1945 – Gal Costa, cantora bra­sileira. Gal Costa é filha de Mariah Costa Penna, sua grande incenti­vadora, falecida em 1993, e de Ar­naldo Burgos. Sua mãe contava que durante a gravidez passava horas concentrada ouvindo música clás­sica, como num ritual, com a inten­ção de que esse procedimento in­fluísse na gestação e fizesse que a criança que estava por nascer fosse, de alguma forma, uma pessoa mu­sical. O pai de Gal, falecido quando ela tinha 14 anos, sempre foi uma figura ausente, vazio plenamente preenchido pelo amor de dona Ma­riah, além das tias e primos. Por vol­ta de 1955 se torna amiga das irmãs Sandra e Dedé (Andreia) Gadelha, futuras esposas dos compositores Gilberto Gil e Caetano Veloso, res­pectivamente. Em 1959 ouviu pela primeira vez o cantor João Gilberto cantando Chega de saudade (Tom Jobim/Vinícius de Morais) no rádio; João também exerceu uma influên­cia muito grande na carreira da can­tora, que também trabalhou como balconista da principal loja de discos de Salvador da época, a Roni Discos. Em 1963 foi apresentada a Caetano Veloso por Dedé Gadelha, inician­do-se a partir uma grande amizade e profunda admiração mútua que perdura até hoje.

1981 – Serena Williams, tenis­ta norte-americana. Considerada uma das melhores e mais vitorio­sas tenistas da história do esporte por especialistas e público em ge­ral, Serena continua marcando ain­da mais seu nome dentro das qua­dras. Já é a maior campeã de Grand Slam na era aberta, com 23 titulos, superando no Australian Open 2017 a alemã Steffi Graf. Ao todo, venceu 23 torneios de Grand Slam em sim­ples, o que a credencia como a se­gunda maior campeã da história de torneios de majors, a um título de igualar a australiana Margaret Smith Court. Ao longo de sua carreira, Se­rena conquistou os títulos de todos os torneios do Grand Slam em sim­ples, incluindo o que ela autode­nomina “Serena Slam”, referindo­-se aos quatro Grand Slam seguidos que ela venceu por duas vezes: (Ro­land-Garros 2002, Wimbledon 2002, US Open 2002 e Australian Open 2003) e (US Open 2014, Australian Open 2015, Roland-Garros 2015 e Wimbledon 2015). Williams tam­bém sagrou-se campeã em outros 13 torneios de Grand Slam: Austra­lian Open (2005, 2007, 2009, 2010), Roland-Garros (2013), Wimbledon (2003, 2009, 2010, 2012, 2016), e US Open (1999, 2008, 2012, 2013).

Comentários