Brasil

Após xingar LGBTQIA+ de 'raça desgraçada', Sikêra Jr. perde salário de R$ 60 mil de empresa odontológica

Com entradas diárias no 'Alerta Nacional', a Sorrident comunicou que retirou o patrocínio em Sikêra Jr. A empresa pagava um salário de R$ 60 mil ao comunicador.

diario da manha

O apresentador Sikêra Jr perdeu o patrocínio de mais uma empresa na noite de terça-feira (29). Com entradas diárias no ‘Alerta Nacional’, a Sorrident comunicou que retirou o investimento em publicidade no telejornal. A empresa pagava um salário de R$ 60 mil ao comunicador. As informações são do Na Telinha.

“A Sorridents, uma empresa que nasceu com o propósito de cuidar das pessoas e dos sorrisos dos brasileiros sem nenhum tipo de distinção, vem a público esclarecer que rompeu o contrato com o Programa Alerta Amazonas/Nacional e o apresentador Sikêra Jr. por conta das últimas citações do apresentador que ferem diretamente as convicções da marca, que é feita de gente que cuida de gente e que preza a todo momento pela igualdade e diversidade em todas as situações”, comunicou.

Leia também: Datena vai se filiar ao PSL para ser candidato em 2022, diz Bivar

Além da empresa odontológica, a MRV, a TIM e a HapVida cancelaram investimentos no programa.

Na última sexta-feira (25), Sikêra Jr. relacionou a prática de crime, pedofilia e o uso de drogas à homossexualidade. Na mesma fala, ele ainda chamou os homossexuais de “raça desgraçada”.

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Sul apresentou uma ação contra o apresentador e a RedeTV! por causa dos comentários prenconceituosos. O orgão pede que as duas partes paguem uma indenização de R$ 10 milhões por danos morais coletivos.

Leia também: Por homofobia, MPF ajuiza ação de R$ 10 milhões contra Sikêra Jr. e RedeTV!

A Seara também comunicou que deixou de anunciar no programa em 9 de junho e que suspendeu a veiculação de propagandas da marca no canal do YouTube.

Comentários