Esportes

Tigre perto do céu

diario da manha
Volante Robston comemora o primeiro gol colorado no Estádio Jonas Duarte

Não poderia ter sido melhor para o Vila Nova o resultado do jogo de ontem no Jonas Duarte contra a Anapolina. Uma vitória sólida por 2 a 0. Time jogou bem, criou oportunidades e se mostrou seguro em todas as zonas do campo.
A vitória mantém o Vila em 3º lugar geral com 20 pontos e com uma sensação de tirar um botijão de gás das costas. Próximo confronto será domingo contra a Aparecidense no Estádio Serra Dourada. Este será o último jogo do Colorado na fase de grupos. O Tigrão depende das próprias pernas para trilhar seu caminho rumo à classificação.

O Jogo

Começou a mil por hora. Logo de cara, com apenas dois minutos, a Anapolina chegou com enorme perigo. Em cruzamento na área, Zé Uilton estava só ele e Deus. Cabeceou forte, mas para fora. A torcida chegou a comemorar quando a bola bateu na rede lateral.
O Vila Nova foi mais eficiente. Quando chegou, marcou. Com apenas oito minutos, Dudu triangulou com Zotti e deu passe para trás. Robston chegou batendo de primeira. A bola difícil de chutar foi alta e sem chance para o goleiro Toni. Vila 1 a 0.
A Anapolina tentou pressionar jogando em cima, mas ambos os times estavam se movimentando bem. A posse de bola estava bem equilibrada e o jogo acontecia no centro do campo.
A Xata foi ter sua oportunidade aos 28 minutos. A zaga Colorada afastou mal a bola e Zé Neto, na entrada da área, finalizou com categoria. Wagner Bueno saltou e espalmou para a lateral.
O Tigrão respondeu aos 34 minutos. Em jogada semelhante à do gol, Dudu foi lançado e tocou para trás. Frontini chegou arrematando de primeira, porém a bola sofreu desvio e saiu para escanteio.
Aos 36 minutos, Leandro Bulhões deu uma solada criminosa no jogador da Anapolina. Cartão vermelho não seria nenhum exagero, porém o árbitro nem falta marcou. Mas o volante do Vila não se fez por satisfeito e conseguiu ganhar um cartão amarelo em outra falta forte, dois minutos depois.
Antes do término da agitada etapa inicial, Zé Neto arriscou forte e rasteiro de longe e Wagner Bueno defendeu em dois tempos.
O segundo tempo começou e o Tigrão quase marcou com cobrança de falta e desvio incompleto de Robston. O volante chapou de primeira pela lateral do gol. Depois disso, em escanteio simples, Toni saiu mal e quase entregou o ouro.
O jogo perdeu intensidade. Somente aos 20 minutos a Anapolina teve uma falta que qualquer jogador gostaria de bater: a dois metros da entrada da área. Porém, a batida rasteira ficou na barreira.
Quando tudo indicava que o jogo estava morrendo, Zotti fez cruzamento na medida para Frontini subir mais alto que todos e ampliar. O atacante comemorou bastante.
A partir daí, só deu Vila Nova em campo. O time tocou bem a bola e teve chances de fazer goleada, mas aquele último passe não estava dando certo.
Ficou evidente que o Vila Nova do técnico Mancini está melhor nas últimas rodadas e será um adversário bem mais forte nas semifinais.

Comentários

Mais de Esportes