Esportes

Cristiano Ronaldo alcança mais uma marca histórica na competição

diario da manha
Português se tornou o primeiro jogador a marcar em todos os jogos da (Foto:divulgação)

Cristiano Ronaldo é o pri­meiro jogador de futebol na história a marcar gol em todos os jogos da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa. O português tam­bém igualou Lionel Messi com 60 gols anotados apenas na pri­meira fase da maior competição de clubes do mundo. Tudo isso aconteceu durante a vitória por 3 a 2 do Real Madrid em cima do Borussia Dortmund no San­tiago Bernabéu, pela última ro­dada do Grupo H.

Com o resultado conquis­tado diante de seu torcedor, os madrilenhos chegam a 13 pontos e avançam às oitavas de final em segundo lugar, atrás do Tottenham, que atropelou o Apoel na Inglaterra por 3 a 0 (gols de Llorente, Son Heung­-Min e G. N’Koudou).

Sem muito com o que se preocupar, já que o Real Ma­drid entrou em campo com sua situação definida no Grupo H, Zidane resolveu dar descanso a Benzema, Marcelo e Modric. Mesmo assim, os donos da casa começaram avassaladores para cima dos alemães.

Logo aos dois minutos, Cris­tiano Ronaldo mostrou que es­tava afim de jogo. O atacante fez bela jogada individual e ser­viu Isco, que não dominou, mas viu a bola sobrar para Mayoral. A novidade de Zidane não per­doou e mandou para as redes.

E quando o Borussia Dort­mund ainda assimilava o golpe, Cristiano Ronaldo foi brilhante. Na entrada da área, pela pon­ta esquerda, o camisa 7 limpou para o pé direito e bateu no ân­gulo oposto, sem chance para o goleiro, que só assistiu a bola en­trar na gaveta. Golaço. Gol de re­corde. Gol do único atleta a mar­car em todos os jogos de uma fase de grupos da Liga dos Campeões.

Só a partir dos 20 minutos que os visitantes conseguiram sair do abafa madrilenho. Mes­mo sendo amplamente domina­do, antes do intervalo o Borussia conseguiu um gol com Auba­meyang, de cabeça, depois de roubada de bola surpreenden­te e cruzamento de Schmelzer.

E quem pensava que o jogo já estava definido se enganou. Com três minutos da etapa fi­nal, Aubameyang colocou fogo no confronto. Kagawa serviu, de letra, e o africano, depois de ba­ter em cima de Navas, teve cal­ma para tocar por cobertura no rebote e sair para o abraço.

O empate fez com que o Real Madrid voltasse a se esforçar em campo. O duelo ficou naquele co­nhecido lá e cá, mais aberto, com possibilidade para os dois times, até que Lucas Vázquez sacramen­tasse da vitória do time espanhol com um chute de fora da área, aproveitando bate e rebote e a má posição do goleiro Bürki, que ficou indeciso no lance.

 

Comentários

Mais de Esportes