Esportes

Matador na mira

diario da manha
Experiente atacante, de 33 anos, marcou nove gols na Série A e seis no Campeonato Catarinense(Foto:divulgação)

 

Com problemas ofensi­vos desde a saída de Léo Gamalho, o Goiás sofreu com a seca de gols dos seus cen­troavantes em 2017. Opções que estavam desde o início da tem­porada, caso do atacante Aylon, não aproveitaram as chances. Outros jogadores chegaram no decorrer da temporada, caso dos atacantes Gustavo, o Gustagol (que marcou apenas um gol na Série B), e Júnior Viçosa, que veio do rival Atlético e balançou a rede duas vezes na competição.

O artilheiro do Goiás na com­petição foi Carlos Eduardo, ata­cante que joga pelo lado de cam­po, com nove gols. Completaram o top 3 o zagueiro Alex Alves, com cinco gols, e o meio-campo Tia­go Luís, que marcou quatro vezes. Dos outros atacantes, Aylon foi o que mais foi às redes, marcando quatro gols no torneio.

Com o aproveitamento ruim de seus homens de finalização, a direção do time esmeraldino já está de olho nas oportunidades do mercado. O primeiro alvo é o atacante Wellington Paulista, que atualmente defende a Cha­pecoense. Ele está emprestado pelo Fluminense e tem contra­to até o final do ano com o time carioca. O salário do jogador é de R$ 220 mil.

Segundo Túlio Lustosa, o in­teresse de Wellington Paulista é renovar com a Chape, mas caso isso não ocorra esmeraldino já sinalizou o interesse pelo atleta de 33 anos. Em 65 partidas, ele marcou 16 gols, média de 0,24 gols por partida.

“Liguei para o Wellington e conversamos. Seu contrato é com a Chapecoense e com o Fluminense, que pagava parte do salário, está terminando. A prioridade do jogador é reno­var com a Chapecoense, a ne­gociação está no início porque a temporada terminou agora. Eles terminaram de forma po­sitiva, conquistando uma vaga na pré-Libertadores. Porém, o jogador gostou do nosso conta­to. Vamos respeitar a negociação com a Chapecoense para depois fazermos nossa proposta’’, falou o diretor de futebol sobre a si­tuação do atacante à Rádio 730.

Caso o atacante feche com o esmeraldino, seria a primeira contratação para o setor ofen­sivo da equipe e a quarta para a próxima temporada. Até ago­ra, o Goiás fechou com três joga­dores: Marcos, goleiro que veio do Atlético, Eduardo Brock, za­gueiro que defendeu o Paraná, e o lateral direito Renato, que es­tava no Fluminense. A diretoria trabalha com 12 nomes para fe­char o elenco para 2018.

 

Comentários

Mais de Esportes