Internacional

Começa nesta segunda-feira (2/12) a conferência do clima em Madri

Representantes de 200 países participam nesta segunda-feira (2/12), em Madri. da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25) que atingem o planeta. O evento segue até o dia 13 de dezembro.

diario da manha
Cerca de 10 km de área verde do parque podem ter sido queimadas: falta de chuvas e o calor constante fazem com que Corpo de Bombeiros declare situação de alerta nas áreas de Cerrado(FOTO:VITOR OLIVEIRA)

Representantes de 200 países participam nesta segunda-feira (2/12), em Madri. da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25) que atingem o planeta. Pressionador pela geração de jovens, a cúpula encontra dificuldades para provar que podem conter o aquecimento global. O evento segue até o dia 13 de dezembro.

Marcada para acontecer no Brasil, mas cancelada ainda em dezembro de 2018, pelo presidente Jair Bolsonaro, que também não comparecerá à reunião de chefes de Estado que abre o encontro, o país será representado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O objetivo da COP 25 é acelerar o combate às mudanças climáticas, ente elas, as queimadas e as cheias, ligados ao aquecimento global causado pelo homem

De acordo com o relatório lançado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). a emissão de gases do efeito estufa precisa diminuir mais de 7% ao ano no período entre 2020 e 2030. Caso as emissões não sejam reduzidas nesse ritmo, o mundo caminha para um aumento de temperatura de 3,2ºC, uma catástrofe global.

Dos 70 países que se comprometerem ao objetivo de terem emissões neutras até 2050, os Estados Unidos , um dos principais emissores, anunciaram a saída do acordo. A China, outro grande emissor, disse que é favorável ao combate do aquecimento global, mas construiu mais usinas de carvão.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou no domingo (1/12) que é preciso interromper “nossa guerra contra a natureza”. Ele lembrou que estamos cada vez mais próximos de um “ponto de não retorno”, e denunciou a falta de vontade política dos líderes globais para reduzir as emissões de gases estufa.

Na cerimônia de abertura oficial das negociações em um centro de conferências em Madri. Michał Kurtyka, ministro polonês do clima, disse que um aumento no ativismo climático entre jovens enfatizou a urgência da questão.

Com informações do G1

Comentários