Opinião

A Nação

diario da manha

Hugo Walter Frota Filho,Especial para Opinião Pública

Agora é fácil o governo do PT pedir um diálogo.

A intenção de votos resume-se em 7% da população a favor da Dilma.

O diálogo, imediatamente, deveria ser iniciado por uma explicação de uma eleição que as propostas do governo do PT fez.

As propostas foram falsas, mentirosas, as quais agora constatamos. O diálogo merece uma explicação do governo federal para onde foram destinados os recursos do BNDES? Existe uma caixa-preta nos financiamentos destinados ao JBS, às construtoras da Petrobras, Cuba, Venezuela, Bolívia etc.

A proposta do PT foi colocar as garras e os dentes de fora até chegar ao poder, depois, testar o limite que a sociedade suporta para que eles continuem no poder.

Falar que o dinheiro desviado da Petrobras foi usado para a campanha eleitoral é piada. Basta ver o enriquecimento ilícito das pessoas envolvidas na “Operação Lava Jato”, reveladas pela Polícia Federal.

A hora que eles (PT), defendem o Supremo Tribunal deveremos ver quais  são os elementos? Quais são os juízes que têm mérito? Estranho é o comportamento de alguns juízes do Supremo absorverem os criminosos do mensalão. O que é isso?

A fraternidade, a liberdade, agora pregada pelo PT, não são as mesmas que escutávamos antes de assumir o poder. Eles foram e são falsos.

O desejo de partes minoritárias da população desejando a volta dos militares estremece os petistas, que deliram, morrem de medo de essa possibilidade ocorrer. Esse medo é bom para que respeitem uma das alas radicais da democracia brasileira. Fazem parte da população brasileira. São poderosos. Os militares estão longe da podridão deles, da Câmara dos Deputados e Senado.

Comparar a desgraça do Brasil com outros países é estupidez. Os paradigmas de sucesso que os petistas criaram durante os anos são fraquíssimos, falsos. O Brasil tem um tamanho continental, com grandes riquezas, com recursos naturais, potenciais superiores a 95% dos países existentes no mundo.

Nós já sabemos que eles (o PT) são campeões de reuniões, não sabem transformar as ideias para produzir riquezas. São invejosos dos que produzem no País. Não sabem o que é pagar uma conta no fim do mês.

O paradigma petista de sucesso é uma via de comunicação com Fidel Castro e com os comandantes da Venezuela, Bolívia e outros.

Promover á estabilidade social a custa de exoneração de impostos é muito fácil. Todos nós sabemos que isso é tampar o sol com a peneira. Isso é demagogia e favorecer, ilicitamente, a grupos sociais.

Assumiram o poder há doze anos. Por que há doze anos não iniciaram o combate à corrupção? Lógico, a corrupção sempre os ajudou a manter o poder. Todos nós sabemos que aumentaram a corrupção. “O vale tudo” os transformou em pessoas covardes e nojentas.

Os discursos dos petistas não mudaram. Não existe humildade. Apesar de que a Igreja Católica no início do PT os ajudou, agora há uma necessidade de eles confessarem os seus pecados mortais para a população brasileira. Não existe inflexão, arrependimento.

O governo tenta afinar um discurso com tremenda incompetência. A presidente não aparece em público. Ela deverá permanecer no seu  castelo, cercada dos seus companheiros hipócritas. Queremos vê-la na chapada .

A empatia de Miguel Rossetto, companheiro da Dilma, que gosta do poder, “vestido de calça jeans”, na entrevista do palácio, revela a sua personalidade, barbudo demonstra ser um verdadeiro lobo com pelo de cordeiro. Baba, raivosamente, despreza os votos da oposição ao governo da presidente, deseja manter-se no poder, incondicionalmente.

Após 51 anos da revolução de 1964, o PT reviveu episódios, amedronta a população com lembrança de um passado já superado pela democracia brasileira. Justifica a sua má gestão, corrupção trazendo um discurso ultrapassado sem proposta para o presente e nem o futuro. O Brasil nunca mais voltará aos idos de 1964. O povo brasileiro tem consciência, mas a palavra impeachment não é um pecado.

Por outro lado, devemos mostrar a esses políticos vagabundos que não somos iguais a eles, não somos covardes, não somos fracos, temos a quem transferir os nossos costumes, temos filhos e netos.

O alerta passa, para advertir, ao PT e companheiros, que a paciência tem limites.

A Dilma deve buscar em suas memórias passadas, em seus alfarrábios, o que fazer, o que falar, lembrando sempre o seu passado de guerrilheira.

Nós não estamos satisfeitos com o PT e companheiros, inclusive, com os seus vassalos que conseguiram assumir a gestão do município de Goiânia.

 

(Hugo Walter Frota Filho. E-mail: [email protected])

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar