Opinião

A serpente da revolta

diario da manha

Vicente Vecci ,Especial para Opinião Pública

Feliz é aquele que não se locupleta com o dinheiro público, pois não terá que acertar contas com o  Altíssimo. É com  Ele mesmo, uma vez que se depender   da  nossa Justiça, passa impune. Veja  o que aconteceu com o José Genoíno e  os outros  mensaleiros  e poderá ocorrer a mesma situação  com  os envolvidos no petrolão. Está ficando  claro que no Congresso Nacional   pode estar localizado um arquipélago de corruptos com extensão até o Executivo. Roubar dinheiro público  é pior que  nos assaltar e nossos lares. Quando se furta dinheiro público o dano é muito maior e atinge nós todos que carecemos de assistência à saúde, educação, segurança,empregos, etc. Quem faz uso do dinheiro público em proveito próprio está abaixo dos marginais das esquinas e dos traficantes de drogas. E vendo permanecer a impunidade, está sendo  despertada a Serpente da Revolta em nossa sociedade. O panelaço  no dia 8 passado e a manifestação  do 15 de março  são exemplos   do que poderá vir ainda.

Locupletar-se com dinheiro  público não é somente fazer uso da corrupção. É também aumentar o próprio salário e amealhar outras vantagens como tem feito o Legislativo e o Judiciário. Vem a ser um acinte e um desrespeito  com o cidadão brasileiro, principalmente com aqueles que recebem mensalmente um salário mínimo. É um acinte também com a nossa classe empresarial que trabalha  e gera  empregos, distribuição de rendas, pagando elevadíssimos impostos para sustentação  desses supersalários. Apesar de algumas empresas serem obrigadas a pagar proprina  a agentes públicos para conseguir serviços. Esse acinte é extensivo também para determinados  órgãos de imprensa que não sobrevivem sem recursos do erário, numa venalidade a favor de quem está no poder, e ainda se rotulam de paladinos da liberdade.

Existe remuneração no Judiciário que passam dos  32 mil reais mensalmente. Valor muito superior ao lucro mensal de uma empresa que gera  até 50 empregos. É aonde motiva a denominação pejorativa de nossos país  de Belíndia. Padrão de vida para poucos igual ao da Bélgica e  de miséria para  muitos,  igual  ao da  Índia. Os recursos públicos  que remuneram esses supersalários, fazem falta  para atender a nossa população de baixa renda com melhores hospitais, escolas, saneamento básico, moradias, transportes,segurança, etc. Daí a necessidade de rever  essa exagerada concentração de renda às custa do erário e diminuir essa vantagem pecuniária. Seria mais ético se partisse  dos próprios beneficiados, numa autocrítica em favor do bem comum e  aproveitem, façam valer o rigor da lei contra a corrupção. Na china e em alguns países, a corrupção é punida com a pena de morte, independente do status quo  do corrupto.

Mas se a situação continuar como está, com certeza o distanciamento dessa classe  com a população tende aumentar e a repercussão está atiçando a Serpente da Revolta, trazendo insegurança pública para eles e para nós.

N.A. – O termo Serpente da Revolta é título de um épico artigo de autoria   do jornalista Fábio Nasser, um dos fundadores do Diário da Manhã (in memoriam)

 

(Vicente  Vecci, associado à AGI,  edita em Brasília há 31 anos o Jornal do Síndico)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais