Opinião

Ausência do gênio

diario da manha

Nos anos 1960/1970, surgiu, no Brasil, em nosso cenário musical/cultural, um gênio chamado Chico Buarque de Holanda, incontestável! Um de seus maiores motivos de inspiração, segundo ele mesmo já afirmou inúmeras vezes, foi o sistema político que vivíamos à época, com o regime militar. Surgiram coisas maravilhosas, músicas, poesias, peças teatrais, filmes, muitas com nomes de mulheres, que simbolizariam o momento de forma indireta. Nas últimas eleições presidenciais, ele, clara e publicamente, apoiou seus amigos Lula e Dilma, o que teria sido recompensado, com sua irmã galgando o mais alto posto da cultura brasileira, Ministério da Cultura. Posteriormente, demitida, por razões que provocaram controvérsias: despreparo ou… Eu gostaria muito e pediria encarecidamente ao nosso genial Chico, que neste momento de tanta carência cultural, musical e poética no Brasil, que se inspire em seus amigos petroleiros/mensaleiros, e nos brinde com belas canções, como fez no período da dita  dura…

(Luis Carlos A. Garrote, via e-mail)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais