Opinião

Desafios para o desenvolvimento sustentável 2015/2030/ONU

diario da manha

“Pela primeira vez na história, o conceito de desenvolvimento sustentável pode se concretizar na forma de objetivos, metas e indicadores para todos os países em 2015”.

Por Daniela Chiaretti, de São Paulo

1 – O planeta terra, água, flora, fauna, clima e humanidade estão em perigo. Deus sempre ajuda, mas precisamos agora mais do que nunca fazer a nossa parte, construir juntos alternativas para um desenvolvimento sustentável, saudável para todos os homens e mulheres. Tivemos no início do século XXI os objetivos do milênio que eram e são o combate à pobreza, mortalidade infantil e materna, analfabetismo, miséria, doenças que atingem crianças e pessoas pobres. Foram estes objetivos lançados há 15 anos que nós, Lula e Dilma cumpriram as metas da ONU. Agora, depois da Conferência Rio Mais 20, foram aprovados por todos os povos, nações, governos, presentes os objetivos, metas e indicadores do desenvolvimento sustentável/ODS. E que vão ser aprovados e divulgados pela ONU até o fim do ano. Já foram divulgados os 17 desafios para serem enfrentados por todos os países até 2030. E ao lado dos objetivos teremos quase duzentas metas e indicadores para todos os governos, federais, estaduais e municipais e sociedades civis e comunidades urbanas e rurais, escolas e universidades, empresas e sindicatos. E para centrais e movimentos sociais, igrejas e clubes sociais, ONGs e grêmios estudantis, pastorais sociais e mídias democráticas, realizarem ações por um mundo de paz e justiça social partilhado por toda humanidade de Deus. E de todas as cores, etnias, situações, principalmente como fala o papa Francisco, pelos mais pobres que estão excluídos. Vivemos uma crise mundial que se espalha por todos continentes com guerras, fanatismos, sonegações, corrupções, especulações, lavagens de dinheiro, terrorismos, concentração de renda e riqueza nas mãos de poucos e abastados. E ainda com mais violências, intolerâncias, preconceitos, discriminações e marginalizações que levam gente e muita gente para migrações, exclusões e morte em vida. É preciso responder logo em cada lugar, comunidade, cidade, campo, quilombola, aldeia, fábrica, universidade, bairro, escola, hospital, partido, sindicato e associação. E grupo de evangelização, mídias, clube, ponto de ônibus, fila de banco. E assim erguemos nosso brado varonil e luta por uma pátria do trabalho, produção, serviços, obras, atividades pela democracia, liberdade, fraternidade para servir. E servir bem o povo de nosso País e de nossa América-Latina ainda inconclusa, espoliada pelo capitalismo nacional e internacional selvagem e egoísta. E odioso que faz zoar panelas chiques em apartamentos de luxo. E esquecem os mais pobres que às vezes são obrigados a assistir as burguesias de barrigas cheias com panelas vazias para o povo. Agora é a hora de nossas mudanças. Mais mudanças para superarmos juntos, nossas, dificuldades. E construir um Brasil, um mundo cheio de chances e oportunidades para nossas juventudes presentes. E futuras de nossa humanidade negra. E branca, amarela, vermelha, mestiça. Isto é possível. Vamos à luta, sem medo e sem ódio. Sem medo de sermos felizes com respeito e dignidade. E mais liberdade, emprego, casa, salário. E fé e esperança de um mundo melhor. Vejamos os objetivos que são colocados por todos nós e pela ONU para a construção de sociedades, países, povos livres e libertadores de todos os males da terra.

2 – Os desafios até 2030:
1. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, manejar de forma sustentável as florestas e combater a desertificação, além de deter e reverter a degradação do solo e a perda da biodiversidade.

2. Fortalecer os mecanismos de implementação e revitalização, a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

3. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

4. Reduzir a desigualdade entre os países e dentro deles.

5. Tornar cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

6. Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.

7. Construir infraestrutura resiliente, promover industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.

8. Acabar com a fome, alcançar segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável.

9. Assegurar vidas saudáveis e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.

10. Assegurar padrões de consumo e produção sustentáveis.

11. Assegurar disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos.

12. Assegurar acesso à energia barata, confiável, sustentável e moderna para todos.

13. Alcançar igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

14. Assegurar educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizado para todos ao longo da vida.

15. Promover crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos.

16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, providenciar o acesso à Justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

17. Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

3 – E assim e agora superando problemas e dificuldades poderemos construir juntos com novas chances e oportunidades um mundo mais verde, solidário, sustentável, saudável e cheio de cidadania para todos homens e mulheres, famílias e comunidades urbanas e rurais, todas ambientalmente corretas e justas.

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais