Opinião

O caos no governo

diario da manha

Dirceu Cardoso Gonçalves ,Especial para Opinião Pública

Ao mesmo tempo em que o Datafolha apura que o governo federal acumula 62% de péssimo e ruim e que esse item da pesquisa se elevou em 18 pontos percentuais do começo de fevereiro até o presente, circula entre ministros, dirigentes do PT e assessores do ex-presidente Lula, documento produzido pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República, afirmando que os apoiadores de Dilma estão levando uma “goleada” da oposição nas redes sociais e apontando como saída para reverter o quadro  um investimento maciço em publicidade oficial em São Paulo, onde é grande a rejeição ao PT, A peça também admite que o pais passa por um caos político e que “não será fácil virar o jogo”. Cita que em recente pesquisa do Ibope, feita a pedido do Palácio do Planalto, 32% dos entrevistados disseram ter mudado de opinião negativamente sobre o governo nos últimos seis meses, isto é, de outubro (mês das eleições) até agora.

O momento é de impasse e solidão da presidente da República. Sua discutível política econômica – que ao longo dos últimos anos mascarou os problemas inflacionários, tentou jogadas de desoneração que se revelaram inviáveis e menosprezou o declínio da atividade produtiva – somada ao marketing de campanha lhe garantiram a reeleição. Mas, pressionada, ela teve de adotar medidas amargas e quebrar, mesmo antes de começar o segundo mandato, as promessas que fez em campanha. Os trabalhadores, empresariado e até os membros do seu próprio partido ficaram contra. A oposição explorou as mentiras eleitorais e a população reagiu. E, para complicar ainda mais o quadro, aí estão as apurações da corrupção, que envolve governo, congressistas, políticos e fornecedores oficiais.

O PT e a própria Dilma Russeff, chegados ao poder com o discurso moralista da anticorrupção e da evolução social, sofrem com o mesmo veneno que, quando na oposição, inocularam em seus adversários. O governo, independente das apurações dos malfeitos, tem a obrigação de gerir a máquina pública e fazer os serviços funcionarem. Apesar de toda a propaganda oficial, vemos problemas gravíssimos com a Saúde, a Educação, a Segurança Pública e outros serviços básicos que constituem direitos básicos da população. Dilma precisa resolver depressa as questões de fluidez da maquina. Também tem de encontrar e implementar o pacto possível com o empresariado, único gerador do desenvolvimento, para garantir a volta do funcionamento normal da economia. Se não o fizer, seu governo correrá o risco de cair (de podre ou por ineficiência). Governe, presidente!!!

 

(Dirceu Cardoso Gonçalves, dirigente da Aspomil- Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar