Opinião

Fernando Cunha: meu avô, minha referência!

Fernando Cunha Neto  ,Especial para o Diário da Manhã

diario da manha

Fernando Cunha Júnior foi um dos grandes políticos de Goiás e do Brasil. Até hoje, em nível nacional, é lembrado por sua participação no grupo ‘Autênticos do PMDB’, que se notabilizou pela resistência à ditadura militar que tanto assombrou os brasileiros. Em Anápolis, foi defensor corajoso de homens de bem, especialmente os que foram perseguidos por suas ideias, como Valmir Bastos e Geraldo Tibúrcio, cujos exemplos simbolizam todos os militantes pela democratização brasileira. Contemporâneo de Henrique Santillo, Pedro Simon, Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Paulo Brossard, José Richa, Mário Covas, Franco Montoro e tantos outros, meu avô não vivia só das glórias do passado e acreditou, desde o início, no potencial de um jovem político que em 1998 enfrentou uma lenda da pólis goiana e sagrou-se, agora já pela quarta vez, governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo.

Mas, além de político hábil e inteligente, Fernando Cunha era um homem amoroso para com sua família, e sempre destinou tempo e carinho à sua esposa, aos seus filhos, netos e bisnetos. Bonachão, divertido e afável, ele não perdia uma oportunidade de conviver conosco. Naqueles momentos, deixava tudo de lado para brincar, ouvir e dar conselhos aos seus descendentes, que continuam a amá-lo incondicionalmente.

Sempre tive vocação política, mas, sem o incentivo do meu avô, talvez eu ficasse apenas na vontade de seguir seus passos. Fernando Cunha, de quem herdei, além do nome, o sentimento de solidariedade para com o povo, incentivou-me a entrar na disputa para vereador de Anápolis. Venci graças ao apoio dele e de seus milhares de amigos. Ele comemorou minha vitória com grande entusiasmo e via em mim a continuação da tradição de nossa família na seara política. Sei o quanto ele ficou frustrado por eu não candidatar-me a deputado estadual em 2010, mas a minha trajetória política no PSDB há de proporcionar, no devido tempo, novos desafios.

Fernando Cunha Júnior, que foi empresário no ramo imobiliário, deputado federal por 5 vezes e secretário de Estado, deixou-nos no dia 5 de novembro de 2011, abrindo uma grande lacuna em minha alma e nos corações de todos que o admiravam.

No dia 29 de maio, Fernando Cunha faria 80 anos. Com muita emoção e carinho, trago à memória as lembranças do cidadão honrado, do avô maravilhoso, do homem destemido, digno de figurar no panteão dos heróis da luta pela democracia e de ser lembrado com saudades por todos nós.

Seu legado ficou marcado em mim e não meço esforços para honrar sua memória, sabedor da responsabilidade que carrego em ser o único de seus netos que abraçou essa dignificante vocação de servir ao povo, à nossa querida cidade de Anápolis e ao pujante Estado de Goiás e ao Brasil.

Com orgulho, carrego nas veias o sangue forte de Fernando Cunha Júnior, e levarei comigo para sempre além de seu nome, seus sonhos e seus mais altivos ideais.

 

 

Fernando Cunha Neto, superintendente do Fomentar/Produzir da SED e vereador licenciado da Câmara Municipal de Anápolis

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar