Opinião

Hamilton Carneiro: um ícone em defesa das boas tradições

Rosenwal Ferreira ,Especial para o Diário da Manhã

diario da manha

Misto de showman e publicitário, Hamilton Carneiro entra para a história do cerrado como ícone em defesa das boas tradições goianas. O programa “Frutos da Terra”, levado ao ar pela TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo, durante mais de trinta anos, teve um papel crucial na divulgação da cultura de nossa terra, sendo responsável pelo lançamento de talentosos humoristas, cantores de boa lavra, além de difundir o artesanato e a elaboração de receitas da fecunda produção campesina.

Durante anos, numa silenciosa e admirável batalha, ele resistiu bravamente às pressões para tirar o programa do ar. Ciente de que sua batalha era em função de divulgar conhecimentos adquiridos e de preservar raízes que vão sendo massacradas, evitou o caminho do mercantilismo fácil e da briga pela audiência à qualquer custo.

Bem que podia ter colocado bailarinas em trajes sumários, ou realizar concurso da mais atraente bunda brejeira do País, para se transformar em notícia e atrair patrocinadores. Manteve-se fiel a um estilo que valoriza laços familiares e divulga o que é belo sem apelações.

Por essa nobre atitude, foi aos poucos sendo jogado na implacável fogueira que destrói o que resta dos princípios que norteiam a tradicional família brasileira. Seu programa de uma hora foi cortado para 40 minutos, logo depois para 30 e acabou prensado em 15 minutos como se fosse um desses comerciais que se produz a granel. Um erro de avaliação que poderá ser cobrado pela história.

Nações que aprenderam o valor de se preservar as tradições, levam muito à sério a manutenção de programas no estilo apresentado por Hamilton Carneiro. A morte desses espaços leva ao ostracismo talentos que trazem alegria para muitos lares. O que seria apenas para citar os mais lembrados, de Nilton Pinto e Tom Carvalho, Geraldinho e muitos cantores sertanejos, sem a divulgação do veterano Hamilton?  O sucesso poderia ser mais difícil ou até inviabilizar-se.

Confesso que aprendi a dar importância ao seu estilo, e entender a profundidade de seu trabalho, somente após reflexões visualizando o massacre televisivo que esmaga as tradições locais. Hoje, com maturidade na análise do que interessa, me alegra a possibilidade do programa “Frutos da Terra”, continuar em outro canal.

Quem entender a importância dessa continuidade será compensado. Os que investirem no projeto vão plantar em solo adubado. A colheita será farta em todos os sentidos. Na audiência dos que admiram os valores do cerrado e na defesa do que não pode sucumbir aos ditames frios da mídia meramente comercial. Vigor dobrado ao criativo e talentoso Hamilton Carneiro.

 

Rosenwal Ferreira, jornalista

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais