Opinião

Produtor cênico, profissão em ascensão

Juliano Silvestre

diario da manha

 

 

Desde 1999, Goiás tem experimentado uma verdadeira revolução na arte e cultura. Basta dar uma olhada em todas as regiões do Estado, e verá uma efervescência cultural brotando na maioria dos municípios goianos.

Antes conhecido somente como Estado agropastoril, Goiás tem fomentado a prática cultural em cidades como: Goiás, Pirenópolis, Porangatu, Britânia, Aruanã, São Simão, Nova Veneza e Alto Paraíso. Isso está gerando uma grande vitrine para Goiás. Atravessando divisas e fronteiras com seus festivais internacionais. Casas de espetáculos estão sendo construídas e precisarão de profissionais capacitados para geri-los.

Porém a mão de obra não caminhou na mesma velocidade dos espetáculos e produções. Por isso o Governo de Goiás, através do Instituto Tecnológico de Goiás em Artes Basileu França criou o curso Superior em Produção Cênica.

Este curso em tecnologia – 2 anos e meio sua duração – vem com o intuito de aprimorar e capacitar esta mão de obra cultural que ainda não se atentou para os desafios que o século 21 reserva. Falta de qualificação e profissionalismo não cabem mais neste século. Mas o que é ser Produtor Cênico?

É saber trabalhar com projetos culturais que envolvam as artes cênicas – teatro, circo, dança e ópera. Escrever projetos bem elaborados para pleitearem verbas públicas, através de fundos culturais e leis de incentivo. Dominar toda a linguagem de figurino, maquiagem, estética, cenografia, iluminação. Conhecer o público-alvo a ser atingido, por meio de mensagens de comunicação eficazes e objetivas. São várias funções de um Produtor Cênico. E, em Goiás o Itego Basileu França é a primeira instituição a ofertar este curso na região Centro-Oeste. Pois existe demanda no mercado goiano.

Algumas empresas já estão interessadas em firmar parcerias com o Basileu França, com intuito de utilizar esta mão de obra que saíra da instituição. A primeira turma forma-se no final deste ano, e como trabalho final de curso (TCC) terá que apresentar um trabalho artístico envolvendo as artes cênicas. No Basileu França há um Teatro Escola com capacidade para 600 lugares justamente como lugar de aprendizado, experiências e ensinamentos. Outro fator preponderante é a gama de oportunidades que a profissão de Produtor Cênico oferece. Além do planejamento, criação e execução dos projetos, o produtor poderá trabalhar junto com as prefeituras na obtenção de recursos junto ao Ministério da Cultura. O Sistema Nacional de Cultura possibilita a distribuição de recursos diretamente às cidades. Basta ter projetos bem estruturados.

Agora o 3º vestibular está com as inscrições abertas. No site www.nucleodeselecao.ueg.br o candidato encontrará todas as informações sobre o processo seletivo. É público e gratuito o curso. E as inscrições vão até o dia 08/06. Participem e Divulguem!

 

(Juliano Silvestre – administrador de empresas com MBA em Marketing. Coach e professor)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais