Opinião

Uma pátria que educa respeitando

Lucas Hemetério dos Santos,Especial para Diário da Manhã

diario da manha

 

O Estatuto da Família delimita o conceito de família defendendo que a mesma pode ser formada a partir da união entre um homem e uma mulher. Colocando em xeque os anseios daqueles que sonham em formar uma família, a partir de uma relação homo afetiva. No entanto, como um ato de democracia, há, na Câmara dos Deputados, uma discussão que coloca em pauta a opinião da sociedade acerca da mudança ou não deste conceito defendido pelo Estatuto.

Embora existam as ideias conservadoras que defendem a família tradicional, é necessário que seja levada em consideração a necessidade de mudanças e revoluções a fim de atender às ânsias e os projetos de todos dentro de uma sociedade. Haja vista as mudanças e revoluções que, ao longo de toda a história, cercaram a sociedade.

Conceituar família, é delimitar os desejos e os direitos de escolha do cidadão por aquilo que lhe convém. Conceituar família é, sobretudo, limitar os sonhos daqueles que não se veem da forma que é defendida pelo Estatuto. Ora, todos são iguais perante a lei. Desta forma, não deveria haver diferenciação entre componentes de uma família. Também, é indispensável trazer à tona a definição de família segundo o dicionário Aurélio, que define família como “conjunto de pessoas que vivem na mesma casa”.

Portanto, a partir deste contexto, infere-se que haja, inevitavelmente, uma decisão voltada aos anseios e sonhos de toda a sociedade. Por isso é substancial a atuação da população em debates que colocam em questão temas como “Conceito de família”. Além disso, é imprescindível levar em consideração a necessidade de mudanças históricas a fim de atender às reivindicações da sociedade, pois são as mudanças que fazem valer a democracia.

Em suma, o conceito de família deve ser modificado de forma a visar o bem social de todos. Deixando de lado as ideias tradicionais e atendendo aos desejos contemporâneos. Pois desta forma, gerará maior respeito às decisões alheias e, ao invés de colocar em xeque, tonarão vitais os sonhos de casais homossexuais. Proporcionando a todos como sociedade, a garantia de direitos iguais. Pois uma pátria educadora é aquela cujo objetivo vai além de educar. Pátria educadora é aquela que educa defendendo o respeito e os sonhos de todos.

 

(Lucas Hemetério dos Santos, 18 anos, cursando 3º Série do Ensino Médio, no Colégio Estadual Ruy Brasil Cavalcante, Piracanjuba-GO)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais