Opinião

Viagem em direção ao futuro

Frederico Jayme Filho,Especial para Opinião Pública

diario da manha

 

“Governar é abrir estradas.” A frase do então presidente Washington Luís materializou-se em 25 de agosto de 1928, com a inauguração da Rio-Petrópolis, a primeira rodovia asfaltada do País. Até então, a ligação entre a capital federal e a cidade imperial era feita por caminhos de terra, que, não raras vezes, ficavam intransitáveis após temporais.

Se levada ao pé da letra, a visão desenvolvimentista o ex-presidente Washington Luís poderia, nos dias atuais, até ser considerada equívoco. Mas o “abrir estradas” pressupõe do gestor público uma visão mais ampla do que meramente construir rodovias.

Um exemplo concreto disso foi a recente missão oficial que o governador Marconi Perillo empreendeu aos Estados Unidos. Pela primeira vez na história política de Goiás, um governador do Estado apresenta as potencialidades goianas, e apresenta com desenvoltura a realidade econômica e social do Estado para professores, alunos e pesquisadores de duas das mais respeitadas universidades do mundo: Harvard e Columbia.

Além de histórica, o gesto do governador revela sua visão global apurada e a disposição para defender dos interesses maiores de Goiás não apenas nas instâncias de poder das diversas nações, mas nos grandes centros acadêmicos ao redor do mundo.

A presença de Marconi em Harvard e na Universidade de Colúmbia é uma prova concreta que ele valoriza a pesquisa e a inovação, além de considerar a Educação a força mais poderosa do mundo. Foi com essa visão que o governador não apenas criou, mas estruturou a Universidade Estadual de Goiás (UEG), a Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg) e criou a Bolsa Universitária e a Bolsa Futuro, iniciativas pioneiras na capacitação da juventude goiana.

O governador mostra claramente que valoriza o conhecimento, o planejamento estratégico e a moderna governança, pauta pelo respeito à correta aplicação do dinheiro público e pela visibilidade dos atos gestão.

Na visita às Universidades de Harvard e Columbia, o governador propôs uma política de intercâmbio cultural com universitários goianos, por meio do projeto Goiás Sem Fronteiras, e que vai permitir a troca de experiência entre alunos brasileiros e norte-americanos.

Outra questão importante: Goiás só foi convidado a participar de fóruns de debates nas duas festejadas universidades americanas porque tem relevância internacional. Recentemente, ao fazer um balanço da missão oficial aos Estados Unidos, Marconi assinalou que agenda voltada para o restante do País e para o exterior é essencial para a continuidade do processo de modernização do Estado. “Não somos mais uma província”, disse, com a experiência de quem se elegeu governador de Estado por quatro vezes, com o apoio da maioria dos goianos.

O governador conseguiu, em curto espaço de tempo, participar de importantes eventos para o Estado e para o Brasil, além de ter feito contatos com integrantes da comunidade acadêmica das duas festejadas universidades norte-americanas, citadas anteriormente. Nos encontros, o governador falou da possibilidade de assinatura de convênios que poderão melhorar ainda mais os indicadores goianos na educação, na competitividade, na produtividade, e em áreas estratégicas para o desenvolvimento do Estado.

Desde que iniciou sua gestão executiva, ainda em 1998, Marconi Perillo procurou fortalecer ideais e conceitos sobre os novos parâmetros mundiais de governança, por meio do aprimoramento contínuo de métodos de gestão pública e uma obstinação constante pela qualidade dos serviços públicos. Desde o seu primeiro governo, Marconi trabalha para que Goiás seja um Estado competitivo, socialmente justo e ambientalmente equilibrado.

Mas ele sabe que vivemos num século exigente. As pessoas buscam respostas do poder público quase em tempo real. Não é algo para amanhã, ou para hoje, mas para o agora. Por isso, é importante não apenas inovar, mas ter a humildade de replicar a experiências que deram certo. Além de histórica, repito, a viagem do governador aos Estados Unidos foi uma demonstração clara de seu amor a Goiás.

 

(Frederico Jayme Filho, advogado, chefe de Gabinete do Governador, ex-secretário de Segurança Pública e ex-presidente da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas do Estado – TCE)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais