Opinião

A relevância de uma imagem

William Silveira ,Especial para Opinião Pública

diario da manha
sochi

 

Somos obrigados a ver fotografias a todo momento. Mesmo quem não gosta ou não se interessa é, inevitavelmente, submetido a uma quantidade nunca antes vista de imagens fotográficas. Ela está presente em tudo o que informa, vende, aluga, distrai ou transforma na sociedade. De jornais diários a obras de arte, passando por redes sociais, peças de decoração, classificado de imóveis e registros pessoais, a fotografia se configura como a base da comunicação moderna e não sobreviveremos sem ela.

Mas como entender a função de uma imagem? No meu caso, é impossível não notar cada uma dessas fotografias, e meu maior exercício é separar o joio do trigo. Uma coisa de outra. Mas não me atrevo a apontar o que é ruim ou bom, pois acho que não há uma única pessoa capacitada para julgar uma imagem em todos os níveis de interpretação, adequação, uso e relevância. O editor de um jornal julga de acordo com a pauta. O curador, de acordo com os critérios da exposição ou livro. Assim, cada um julga conforme o que lhe convém e de acordo com a direção que precisa dar às imagens.

Meu exercício diário é o de procurar um caminho mais coerente de analisar uma imagem ou um conjunto delas, e ao fazer isso, questiono-me sobre alguns aspectos:

  • Ela serve ao propósito primário, ou seja, informa, vende ou me passa a mensagem que deveria?
  • Qual a capacidade daquela imagem de transmitir uma mensagem clara ou subliminar? Ela conta uma história ou é meramente didática?
  • Ela é atemporal ou tem prazo de validade?
  • Qual será sua relevância daqui há 50 anos?

A partir disso entendo o que é fugaz. O que é notícia ou anúncio do dia e percebo a real importância de cada imagem ou ensaio e posso decidir com maior segurança, de acordo com meus critérios particulares, se estou diante de um simples apertar de botão ou se são obras que funcionarão como um recorte da sociedade atual, transmitindo seus valores, tendências, atos e hábitos.

 

(William Silveira, fotógrafo profissional, ministra cursos de fotografia, gerencia a área de NPS e Projetos Especiais na Nikon do Brasil)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais