Opinião

Uma força para os novatos

Desirée Citrangulo ,Especial para Opinião Pública

diario da manha

 

As faculdades de Direito não param de formar profissionais e, todos os anos, milhares de estudantes que completam a graduação chegam ao disputadíssimo mercado de trabalho, após se submeterem ao também disputado Exame da Ordem. Tem início, então, uma dura realidade, muitas vezes repleta de surpresas não agradáveis e de situações que expõem as dificuldades de uma profissão tida como saturada, mas que ainda guarda boas possibilidades aos que decidem exercê-la por paixão e comprometimento com o direito de terceiros. Hoje, o Brasil é um dos países com mais advogados do mundo, o que torna a luta pelo espaço no mercado ainda mais acirrada.

Não há dúvidas de que, para sobreviver nessa competição, o jovem advogado precisa amar o que faz, para que possa superar os desafios e conquistar uma carreira consolidada. A ajuda de profissionais experientes pode ser de grande valia, e talvez seja o primeiro passo na definição das estratégias a seguir, uma vez que tais profissionais já trilharam por inúmeros tribunais e processos e podem dar dicas valiosas do que consideram indispensável para começar do jeito certo. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás tem colocado à disposição dos jovens advogados toda estrutura de apoio e incentivo.

O envolvimento com uma entidade forte como a OAB contribui na superação de obstáculos como a inexperiência, a falta de clientes, causas e dinheiro para abertura do primeiro escritório. Atualmente, a entidade tem aberto portas para cursos de aperfeiçoamento e mesmo cursos gratuitos para aprimoramento e preparação para o mercado de trabalho. Muitos desses programas são pensados, especialmente, para os advogados em início de carreira que, em troca de experiências com profissionais consolidados, conseguem construir um networking que permite suporte e ajuda mútua e até mesmo indicações para vagas de emprego.

Como membros da Comissão da Advocacia Jovem (CAJ), temos percebido que tal investimento gera resultados positivos. Com o incentivo ao trabalho do advogado recém inscrito, essa gestão tem demonstrado que a saturação não supera a competência e força de vontade de profissionais dedicados. A participação em comissões, por exemplo, uma experiência bastante incentivada pela entidade, faz com que esses novos advogados se envolvam com a classe e conheçam os projetos e benefícios para os profissionais da área. Além disso, a participação ativa também permite que o advogado conheça seus direitos e prerrogativas. O uso da palavra em palestras promovidas por subcomissões da CAJ dá ao novo inscrito a chance de desenvolver a oratória, fundamental na profissão.

O conhecimento dos benefícios que a Ordem fornece, como estacionamento, salas de apoio nos fóruns e escritório compartilhado, faz com que o novo advogado encontre um ambiente mais receptivo e menos traumático no desempenho de suas primeiras ações. Assim, a Ordem ajuda a construir uma carreira pautada na ética e contribui para o conhecimento, que gerará uma prestação de serviço com facilidade, assertividade, praticidade e, quem sabe, menor custo para os envolvidos. Afinal, para que o jovem advogado seja um profissional de sucesso terá que ter muito mais que uma boa técnica, mas a vivência que gerará habilidade para administrar processos no dia a dia.

Por isso, a Comissão da Advocacia Jovem tem sido a porta de entradas para profissionais competentes no mercado de trabalho, uma vez que possibilita a integração do profissional à realidade da atuação. Além disso, por meio do Programa Meu Primeiro Escritório, a CAJ tem atuado no sentido de dar dicas e esclarecer dúvidas acerca do atendimento ao cliente, que exige, na era digital, advogados e escritórios cada vez mais adaptados aos avanços tecnológicos. Para atingirem o sucesso, é essencial que os escritórios melhorem a gestão de áreas diversas, como atendimento, recursos humanos, arquivo. Até os escritórios antigos precisam passar por essa modernização, caso queiram manter a tradição no mercado.

Por essas e outras é que a OAB-GO tem se preocupado com a recepção dos novos profissionais, que muitas vezes desistem da carreira por sentirem desamparados depois de um longo período de dedicação. Criar estratégias, como desconto progressivo na anuidade de até 50% para novos inscritos, e abrir caminho para carreiras bem sucedidas tem sido umas das prioridades dessa gestão, que quer deixar uma marca de inovação e dinamismo. Capacitar e incentivar os novatos é dar fôlego para uma carreira apaixonante e para que mais pessoas possam crescer e enaltecer a profissão, essencial para a manutenção e aperfeiçoamento do Estado Democrático de Direito. Os desafios são inúmeros, mas com perseverança e foco nos objetivos, o esperado sucesso será apenas uma questão de tempo.

 

(Desirée Citrangulo, jornalista, advogada especialista em Direito Civil e Processual Civil e integrante da CAJ/OAB-GO)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais