Opinião

Palácio das Esmeraldas, noite de encanto com Chiquinho de Castro

diario da manha

Não foram poucas as noites em que fizeram acontecer no Palácio das Esmeraldas, exatamente no salão nobre Dona Gercina Borges Teixeira, marcantes lançamentos de livros.

Mas eis que o lançamento do livro Chiquinho de Castro – Tem Muita História, ocorrido ali no dia 24 do mês findante, tornou colimado o desejo acalentado do governador Marconi Perillo em transformar o Palácio das Esmeraldas num santuário histórico-cultural para os goianos.

Os anfitriões da grande noite, governador Marconi Perillo e a primeira-dama Valéria Jayme Perillo recepcionaram o biografado Francisco de Freitas Castro, seus familiares e os convidados. Foi uma noite de gala!

Quase todas as entidades culturais de Goiás estiveram ali representadas. Havia políticos de ontem e de hoje, companheiros de porfia de Chiquinho de Castro.

O livro em pauta, de autoria do escritor Ubirajara Galli, fala de Chiquinho de Castro e, por osmose, de toda a família Freitas, uma verdadeira coroa impregnada de pedras preciosas que são pessoas às quais Goiás muito deve.

A linguagem do livro é senhora de um texto escoimado. E a Editora Helps caprichou na parte técnica, com fotos nítidas foi uma pérola (o livro) para aquela noite de encanto impregnada de muita goianidade.

No discurso do governador Marconi Perillo ficou evidenciado o seu desejo de ver transformado o Palácio das Esmeraldas em um museu aberto para os goianos e de sua alegria em estar presente nesse momento do lançamento das “Memórias de Chiquinho de Castro que é um grande amigo meu”.

Francisco de Castro, o biografado, foi prefeito de Goiânia, que administrou a cidade na década de 1970 com pródigas realizações, inclusive os primórdios da Transurb aconteceram em sua gestão. De fato, o livro registra, inclusive, a inauguração do Sistema Integrado de Transporte Urbano de Goiânia, com foto do presidente da República, Ernesto Geisel, do governador de Goiás Irapuam Costa Jr., do senador Osires Teixeira e do então prefeito Francisco de Castro.

O escritor Ubirajara Galli declarou, em seu discurso, que o livro enriquece a história de Goiás e a sua trajetória como escritor.

Em seu discurso Chiquinho de Castro disse estar emocionado em poder vivenciar este momento ao lado do governador Marconi Perillo. “Fico altamente agradecido em receber esse presente, que é a história das minhas memórias e da minha vida pública.”

Dentre outras pessoas ilustres alí presentes estiveram o ex-ministro Flávio Peixoto, o ex-governador Irapuam Costa Jr., o Secretário das Cidades e do Meio Ambiente, Wilmar Rocha, Thiago Peixoto (Segplan), Ana Carla Abrão (Sefaz) e o ex-prefeito Daniel Antônio.

O benquisto José Mendonça Teles autor do conceito verbal que culminou no título do livro, assim se expressou na 4ª capa da obra:

“Eu não disse que Chiquinho de Castro tem muita história? Este livro traz o resultado de quem soube dignificar sua trajetória existencial com muitas frentes de vida e bem-construídas.

Conheço Chiquinho desde a minha mudança familiar de Hidrolândia para nossa Campininha, na década de 1940.

Acompanhei de perto o seu talento para jogar futebol e no juvenil do Atlético Clube Goianiense. Ainda, a sua construção empresarial pioneira e vida política, como deputado estadual, federal e prefeito de Goiânia, de memorável administração.

Com esta publicação, o amigo Ubirajara Galli confirma o que sempre falei: Chiquinho de Castro tem muita história.

Os festejados casais ladeados por Irapuam Costa Jr. e Ubirajara Galli
Os festejados casais ladeados por Irapuam Costa Jr. e Ubirajara Galli

(Walter Menezes – ex-presidente, conselheiro permanente da AGI – Associação Goiana de Imprensa – e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais