Opinião

Presidente de bairros desvalorizados

diario da manha
3D rendering image of business or social networks

Como ex-presidente da Associação de Moradores do Bairro Feliz e Setor Morais, Vila Santa Isabel, Setor Osvaldo Rosa, parque Industrial e Jardim Moema, situados no setor leste de Goiânia, ficava preocupado por mim e por todos os presidentes das Associações de moradores de Goiânia, desta ampla e enorme capital, que trabalham e lutam dia e noite em prol dos setores e bairros onde moram e desfrutam do respeito e da estima dos comunitários que neles residem. Imaginem-se, os presidentes dos bairros periféricos sem posto de saúde, ruas sem asfalto, sem escolas e saneamento básico (esgoto e limpeza pública), com pouca ou nenhuma segurança, sem transporte coletivo, necessidades populares mais cobradas e exigidas aos que trabalham pelo benefício do bairro onde moram. Na região da Associação do Bairro Feliz e adjacências, onde habitam 10.000 ou mais habitantes, temos todos os benefícios citados, oriundos de luta, de trabalho comunitário, ação organizada, vontade diária e união entre as pessoas. Na nossa gestão (2000 a 2006), implementamos na Associação a Escola de Informática, com mensalidade de R$ 5,00 por aluno, o viveiro com preço de R$ 0,20 a muda, e com recursos do bingo construímos um sanitário público na rua 810 do Jardim Moema, e uma sala de apoio ao combate à dengue. Infelizmente, até hoje, não conquistamos o devido valor e respeito merecidos, nunca tivemos remuneração do poder público municipal para melhor exercermos nossas funções associativas comunitárias. Mesmo assim as exercemos com dignidade, amor e dedicação a benefício da comunidade onde residimos. Temos em nossa região três praças que proporcionam caminhadas, temos ônibus coletivo, comércio bem estruturado, duas panificadoras, um grande supermercado, dez igrejas evangélicas, três católicas duas feiras semanais, três colégios, loterias, duas quadras de esporte, uma comunidade de jovens e idosos acolhedores, espaço construído que abriga a associação da 3ª idade, onde se realizam, semanalmente os forrós, com galinhadas ao preço de R$ 8,00 por pessoa, administrada e coordenada por dona Lúcia, realizando-se aulas de desenho, artes, aulas e ministrações de fisioterapia, bailes, etc. A ação criativa, coordenadora e eficaz de Miguel Carlos na criação da creche conquista de Miguel Carlos no governo de Henrique Santillo de Tito Lívio e Humberto Noleto na criação dos espaços, foi decisivo para os benefícios serem implementados e mantidos como hoje são desfrutados e usados por todos os beneficiários sem discriminação social e humana. Quando presidente, estava sempre de antena ligada aos eventos diários da região, comparecendo aos velórios, visitando doentes, procurando empregos domésticos, levando doentes ao hospital, abrigando moradores de rua, correndo atrás dos benefícios que, às vezes, nem precisa da ajuda de vereadores, quando há bom atendimento dos secretários de uma boa administração. Na gestão do prefeito Pedro Wilson conseguimos a reforma total da praça do Tziu, a reforça da praça da Criança, e da praça Santa Barbara, quando foi também que criamos a associação para os forrós da terceira idade, conseguimos a cobertura e a reforma da quadra de esportes da Associação de Moradores, esta na gestão do prefeito Iris Rezende Machado. Não foi fácil. Temos que ter vocação comunitária e solidariedade. Até esquecemos que temos família para cuidar. Os presidentes das Associações dos Moradores deveriam ser remunerados pelo poder público municipal, pois estão efetivamente ligados à política social comunitária da região. A diferença para com os vereadores é que não aprovamos projetos de lei, mas trabalhamos para o povo e somos eleitos pelo povo. Não é justo, enquanto os vereadores recebem, todos os meses, verbas de mais de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), que são distribuídas à sua assessoria (é muito dinheiro para poucos assessores e poucos resultados) os presidentes não recebem sequer do poder público passes de ônibus para resolver os problemas diários da comunidade. Não seria bom para o Prefeito Paulo Garcia ter aliados nos presidentes das Associações de Bairros de Goiânia, concedido, pelas leis municipais bem elaboradas, cargos de confiança aos presidentes das associações, independentemente de partidos políticos a que pertencessem, para exercerem melhor as atribuições da organização comunitária, junto à comunidade local?

 

(João Caetano de Almeida, lavrador, ambientalista, ativista, incentivador das mangueiras nas praças. Criador dos Bosques Cajueiros I, II e III e o quarto em formação na BR-153, entrada de Goiânia)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais