Opinião

Volta da CPMF: mais um imposto maldito?

diario da manha

O governo federal e sua atrapalhada equipe jogam no ar mais uma ideia esdrúxula e que vem de encontro à tudo aquilo que a sociedade não aceita mais. Da mesma maneira que ventilou taxar o atendimento pelo SUS, ou aumentar alíquotas do PIS/Cofins, a ideia de recriação do famigerado imposto do cheque, ou CPMF, soa como desaforo e desrespeito a quem produz e trabalha. Um odioso tapa na cara do trabalhador que teve direitos sociais covardemente retirados, do pequeno empresário que sente a cada dia mais o fardo dos impostos, do industrial que não suporta mais produzir para o governo morder uma grande parte e da dona de casa que, a cada ida ao supermercado, se surpreende com o aumento nos preços dos produtos básicos, não obstante a retração da economia e a recessão reinante.

Pagamos o preço alto da falta de planejamento, da farra com o dinheiro publico, dos PAC’s, da copa do mundo e da futura olimpíada, das obras suspeitas de corrupção, arenas (estádios) hoje praticamente inservíveis e faraônicas, que venderam equivocadamente o sonho de país grande e moderno.

A sociedade fez um grande sacrifício para obter estabilidade da moeda, segurança e confiança na economia. Foi difícil, mas o Brasil conseguiu. O então Presidente Itamar Franco deu o start e aos poucos, fomos nos acostumando com calmaria na economia e esquecendo aos poucos do overnight, dos preços indexados e do aumento diário de tudo aquilo que precisamos.

A ideia de recriação da CPMF vem acompanhada de uma chantagem: a de que vai piorar o atendimento nos postos de saúde, vão faltar vacinas, e a população menos favorecida vai morrer por falta de atendimento médico, caso não seja aprovado o malfadado imposto. De fato, hoje se morre no País por falta de atendimento médico nos postos de saúde e faltam vacinas. Falta até dipirona. No decorrer desta semana, os telejornais de Goiânia mostraram o desespero de mães que reivindicam que o governo cumpra seu dever e forneça leite especial para crianças que deles necessitam. Culparam a burocracia. Então, vai piorar mais ainda se não aprovar a CPMF?

A vaca está no brejo, com pneumonia dupla. Nem tosse mais, pois se tossir, cai. Afunda no brejo da incompetência administrativa, na mesma proporção que o governo quer meter mais e mais a mão pesada no dinheiro suado e honesto de quem trabalha sério e produz nesse País.

O governo, do alto de seus quarenta ministérios e toda uma estrutura viciada, faz aquilo que mais sabe fazer: gastar, gastar e gastar.

A sociedade dá mostras que não vai aceitar. Entidades de classe das mais representativas do setor produtivo mostraram que vão pressionar o congresso nacional, caso a proposta seja mesmo enviada. E somado a isso tido, mais um grande desgaste para o hoje quase inexistente governo da Presidente Dilma Rousseff. Essa proposta pode ser um start para que teorias pró-impeachment prosperem. O que seria ainda pior para o país.

 

(Paulo Rolim – Jornalista e produtor cênico. Twitter: @americorolim)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais