Opinião

Polícia Militar de Goiás é investimento

diario da manha

Alguém, com todo o direito, pode discordar e até contestar esta minha afirmativa. Porém, nada vai mudar a minha opinião, porquanto falo da Polícia Militar de Goiás com o coração, com segurança, com conhecimento de causa e com reconhecimento do seu grande papel social. É, sem dúvida, uma das instituições mais importantes e necessárias do Estado de Goiás. A polícia militar não cuida apenas do seu honroso papel constitucional, na área da segurança pública. Ela cuida também, sempre que solicitada, de diversos serviços essenciais à população goiana. Atua, por exemplo, na área do ensino, do primeiro ao terceiro graus, tendo os colégios militares, em qualquer avaliação do Ministério da Educação, sido considerados os melhores e mais procurados pelos pais de alunos. Na área da saúde, entre outros serviços essenciais, a polícia militar assiste a família militar, possui unidades de saúde e tem os melhores profissionais da área, reconhecidos aqui e fora do País. No fisco estadual, sem a participação do policial militar, os servidores daquela instituição não cumpririam a sua nobre missão de fiscalizar e arrecadar os tributos devidos. No meio ambiente, área que tanto necessita da ajuda de todos, o policial militar é peça fundamental no apoio aos servidores e na prevenção e repressão aos crimes ambientais.
Poderia falar mais sobre outras formas que a polícia militar contribui para o crescimento e progresso do estado, sem deixar de cumprir a sua tarefa de proteger vidas e preservar patrimônios. Não são poucas as vezes que o policial militar evitou a produção de despesas para o erário público. As vezes fazendo partos, fora das unidades de saúde e outras vezes, evitando a destruição de bens público e privado que, destruídos, poderiam custar fortunas ao estado e aos municípios. Isto, sem falar das oportunidades que o policial militar é convocado para assumir responsabilidades que não é sua, visando apenas preservar a continuidade administrativa dos órgãos públicos e privados, para o bem e tranquilidade da população. Por estas e outras razões é que reconheço na polícia militar de goiás, uma corporação que, mesmo produzindo despesas correntes com manutenção e prestação de serviços, durante toda a sua existência simbolizou investimento e progresso administrativo e financeiro para o Estado. Mesmo antes de alguém considerar o servidor público um grande gerador de despesas para o estado, convém analisar e avaliar quanto custa um policial para o estado e quanto ele produz para a sociedade.
Volto à afirmar que a polícia militar é, e sempre foi, um instrumento fomentador do crescimento e do desenvolvimento do Estado. Sendo, portanto, considerada fator de investimento e não de despesas como sempre ouvimos da boca de determinados governantes. Sem desmerecer os demais órgãos do Estado, é na na polícia militar que os governos e o povo buscam o apoio urgente para resolver os problemas dos órgãos que não funcionam. Vale destacar que a polícia militar é o órgão do estado que mantém servidor trabalhando em todas as cidades do Estado, atuando 24 horas por dia, na prevenção e na repressão de crimes. Atua também, quando necessário, na administração de crises que envolve interesses conflitantes de pessoas da sociedade. Sem bairrismo, apenas focado naquilo que sempre vi, a Polícia Militar de Goiás, ao longo de mais de um século e meio de existência, tem se caracterizado como desbravadora de caminhos, de culturas e de formação intelectual do povo goiano. Qualquer análise feita na história da polícia militar, sem paixão e sem preconceito, chegará fácil na mesma conclusão que cheguei. Motivo porque vejo a polícia militar, pelas múltiplas atividades que executa, isenta da acusação de ser considerada um peso para o estado, como alguns de má fé dizem por aí. Pelo contrário, a polícia militar de goiás deveria ser aplaudida de pé, apoiada com todos meios necessários e reconhecida por tudo que tem feito por goiás e pelo povo goiano.

(Gercy Joaquim Camêlo, governador do Rotary International, Distrito 4530, Gestão 2012/2013)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais