Opinião

A hora do tempo integral

diario da manha

Tal­vez  se­ja o exer­cí­cio  do ób­vio pro­cla­mar a ne­ces­si­da­de do tem­po in­te­gral nas es­co­las pú­bli­cas bra­si­lei­ras, mas é pre­ci­so re­pe­tir es­sa ver­da­de até que ela se trans­for­me nu­ma re­a­li­da­de.  Is­so foi mui­to de­ba­ti­do na re­u­ni­ão co­me­mo­ra­ti­va dos 35 anos de exis­tên­cia da As­so­cia­ção Bra­si­lei­ra dos Man­te­ne­do­res do En­si­no Su­pe­ri­or, com a pre­sen­ça mui­to co­me­mo­ra­da do mi­nis­tro Men­don­ça Fi­lho.

Su­as de­cla­ra­ções fo­ram aplau­di­das, so­bre­tu­do quan­do afir­mou que ain­da  te­re­mos um lon­go ca­mi­nho a per­cor­rer até que se che­gue a uma edu­ca­ção de qua­li­da­de.  Foi mui­to en­fá­ti­co ao de­fen­der a pri­o­ri­da­de da edu­ca­ção em nos­sa so­ci­e­da­de e a co­lo­ca­ção  des­se fa­to nas  pri­mei­ras pá­gi­nas dos jor­nais: “O Bra­sil pa­de­ce de ex­ces­si­vo con­ser­va­do­ris­mo no tra­to da ma­té­ria.  Quan­do Per­nam­bu­co re­sol­veu am­pli­ar as ações de re­for­ma da edu­ca­ção, al­can­çou uma bo­ni­ta li­de­ran­ça pú­bli­ca, re­sul­ta­do da sua cons­tân­cia no pro­ces­so.”

O mi­nis­tro con­cor­da que Por­tu­guês e Ma­te­má­ti­ca são ho­je pi­o­res do que há 20 anos e con­fes­sou que in­ves­ti­mos 6% do PIB em edu­ca­ção, “mas gas­ta­mos mal e is­so pre­ci­sa ser de­vi­da­men­te cor­ri­gi­do.”

Co­mo ges­tor pú­bli­co, pro­me­teu cu­i­dar bem do pa­tri­mô­nio re­pre­sen­ta­do pe­las es­co­las de en­si­no su­pe­ri­or, pa­ra as qua­is exis­te em ple­no cur­so o Fies: “Es­se pro­gra­ma tem uma his­tó­ria de su­ces­so e de­vo as­se­gu­rar a pe­re­ni­da­de do mes­mo.”

Ao fa­lar, de­pois do mi­nis­tro Men­don­ça Fi­lho, o pre­si­den­te da Abmes, pro­fes­sor Jan­guiê  Di­niz, deu for­ça a es­sas con­si­de­ra­ções e elo­gi­ou a de­ci­são do  MEC de cri­ar mais 100 mil va­gas pa­ra o en­si­no su­pe­ri­or bra­si­lei­ro: “Se exis­te es­se cam­po de ex­pan­são, por que não avan­çar so­bre ele?”

A nos­so ver, faz mui­to mais sen­ti­do cri­ar no­vas va­gas, por exem­plo, no cam­po da me­di­ci­na, so­bre­tu­do no in­te­ri­or bra­si­lei­ro, do que va­lo­ri­zar a ini­ci­a­ti­va de­no­mi­na­da “mais mé­di­cos”, com a con­tra­ta­ção de pro­fis­si­o­nais ori­un­dos de ou­tros paí­ses, co­mo fi­ze­mos com os mé­di­cos for­ma­dos em Cu­ba. Até que eles se adap­tem e per­ma­ne­çam em nos­so ter­ri­tó­rio, me­lhor se­ria  que va­lo­ri­zás­se­mos as es­co­las exis­ten­tes ou cri­ás­se­mos no­vas de al­to ga­ba­ri­to, co­mo pre­ten­de ho­je o Con­se­lho Na­ci­o­nal de Edu­ca­ção.  Re­cor­da­mos com tris­te­za a ini­ci­a­ti­va de al­guns “mons­tros sa­gra­dos” da me­di­ci­na bra­si­lei­ra que fi­ze­ram cam­pa­nha pe­la ex­tin­ção de fa­cul­da­des de me­di­ci­na, quan­do o cer­to é a atu­al po­lí­ti­ca do MEC, re­ce­bi­da de bra­ços aber­tos pe­lo sis­te­ma.  Va­mos me­lho­rar os cur­sos exis­ten­tes e/ou cri­ar no­vos cur­sos, com bons pro­fes­so­res e equi­pa­men­tos de pri­mei­ra or­dem, aqui in­cluí­dos os in­dis­pen­sá­veis hos­pi­tais uni­ver­si­tá­rios.  E as­sim te­re­mos no­vos e com­pe­ten­tes pro­fis­si­o­nais.

(Ar­nal­do Niski­er, da Aca­de­mia Bra­si­lei­ra de Le­tras, pro­fes­sor Ho­no­ris Cau­sa da Uni­rio e pre­si­den­te do CI­EE/RJ)

 

 

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais