Opinião

Opinião: Caiu o mundo de William Waack

diario da manha

Se há um se­tor da Re­de Glo­bo que re­pre­sen­ta o pa­drão de qua­li­da­de des­sa emis­so­ra ca­ri­o­ca es­te é o jor­na­lis­mo. Nes­sa área, a emis­so­ra dos Ma­ri­nho é, sim­ples­men­te, im­ba­tí­vel. Quem não for mui­to bom não re­sis­te ao ele­va­do am­bi­en­te pro­fis­si­o­nal do jor­na­lis­mo da Glo­bo.

No ti­me dos mui­to bons, des­ta­ca-se um pro­fis­si­o­nal que, po­de­mos di­zer, é com­ple­to ? se­ja na re­por­ta­gem, se­ja por seu tex­to im­pe­cá­vel, se­ja na apre­sen­ta­ção de te­le­jor­nais, se­ja na con­du­ção de de­ba­tes com in­te­lec­tu­ais de ele­va­do sta­tus ?, co­mo é o ca­so do pro­gra­ma “Pai­nel”, edi­ta­do e con­du­zi­do por es­te pro­fis­si­o­nal, to­dos os sá­ba­dos, na emis­so­ra do sa­u­do­so Ro­ber­to Ma­ri­nho.

O “Pro­gra­ma Pai­nel” im­põe ao con­du­tor ha­bi­li­da­des di­fe­ren­ci­a­das an­te o sta­tus dos con­vi­da­dos. En­tre es­sas, in­ter­pre­tar ra­ci­o­cí­nios ela­bo­ra­dos pa­ra um pú­bli­co mais am­plo exi­ge do pro­fis­si­o­nal de im­pren­sa du­as ha­bi­li­da­des fun­da­men­tais: vas­ta cul­tu­ra e am­plo co­nhe­ci­men­to da con­jun­tu­ra in­ter­na­ci­o­nal. Além dis­so, é fun­da­men­tal que o con­du­tor des­se pro­gra­ma te­nha sua pró­pria vi­são do mun­do pa­ra in­ter­vir quan­do ne­ces­sá­rio no sen­ti­do de es­fri­ar com­ple­xos ra­ci­o­cí­nios dos par­ti­ci­pan­tes que, ge­ral­men­te, fa­lam com as es­tre­las. Pois bem. O jor­na­lis­ta Wil­li­am Wa­ack tem es­sas ha­bi­li­da­des e, por es­sa ra­zão, é a ex­ce­lên­cia no ti­me dos mui­to bons jor­na­lis­tas da Re­de Glo­bo.

Ape­sar de to­das es­sas cre­den­ci­ais, a Glo­bo, en­quan­to em­pre­sa, de­ci­diu ri­far seu mais im­por­tan­te jor­na­lis­ta pe­ran­te o fa­to de ele ter fei­to um co­men­tá­rio, em off, ao seu co­le­ga Pau­lo So­te­ro. “É coi­sa de pre­to”, te­ria di­to Wa­ack ao ir­ri­tar-se com uma bu­zi­na que so­a­va na rua, quan­do da en­tre­vis­ta por ele con­du­zi­da, na co­ber­tu­ra das elei­ções nor­te-ame­ri­ca­nas do ano pas­sa­do.

Va­za­do o co­men­tá­rio nas re­des so­ci­ais, Wil­li­am Wa­ack foi acu­sa­do de ra­cis­ta. E ra­cis­mo é al­go que man­cha­ria a ima­gem ins­ti­tu­ci­o­nal da Re­de Glo­bo, que tem nos cli­en­tes te­les­pec­ta­do­res e nos pa­tro­ci­na­do­res a ra­zão de sua exis­tên­cia. En­quan­to em­pre­sa, pe­sou a re­la­ção cus­to-be­ne­fí­cio que re­sul­tou no afas­ta­men­to de seu mais im­por­tan­te jor­na­lis­ta.

Quem co­nhe­ce os bas­ti­do­res da vê­nus pla­ti­na­da sa­be que o edi­tor de “Pai­nel” tem lá seus de­sa­fe­tos den­tro da emis­so­ra. Cer­ta­men­te, quem es­pe­rou um ano pa­ra va­zar nas re­des so­ci­ais es­se ina­pro­pria­do co­men­tá­rio es­tá en­tre es­ses de­sa­fe­tos.

Sin­ce­ra­men­te, es­pe­ro que Wil­li­am Wa­ack saia des­sa. Ho­mem de re­fle­xão co­mo é tem con­di­ções de dar a vol­ta por ci­ma. Não lhe fal­ta­rá em­pre­go an­te as ine­gá­veis cre­den­ci­ais pro­fis­si­o­nais que pos­sui.

 

(Sa­la­ti­el So­a­res Cor­reia, en­ge­nhei­ro, ba­cha­rel em Ad­mi­nis­tra­ção de Em­pre­sas, mes­tre em Pla­ne­ja­men­to Ener­gé­ti­co, au­tor, en­tre ou­tras obras, de Chei­ro de Bi­bli­o­te­ca)

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais