Opinião

Impacto na Cadeia de Valor é caminho para a sustentabilidade exponencial

diario da manha

Não é no­vi­da­de e di­ver­sos es­tu­dos re­a­fir­mam que o pla­ne­ta Ter­ra tem da­do si­nais cla­ros de um es­go­ta­men­to que já co­me­ça a atin­gir as ge­ra­ções atu­ais. Se con­ti­nu­ar­mos na ro­ta atu­al, se­rá im­pos­sí­vel pa­ra as ge­ra­ções fu­tu­ras es­ca­pa­rem.

O aque­ci­men­to glo­bal, a es­cas­sez hí­dri­ca, o acú­mu­lo de re­sí­duos so­bre o pla­ne­ta, a so­bre­car­ga das fon­tes ener­gé­ti­cas e o des­ma­ta­men­to são os pi­la­res que nos de­mons­tram co­mo o mo­de­lo atu­al de so­ci­e­da­de es­tá ge­ran­do uma pres­são so­bre o pla­ne­ta em des­com­pas­so com sua ca­pa­ci­da­de de re­ge­ne­ra­ção.

As man­che­tes são con­tun­den­tes: “Nos úl­ti­mos 65 anos, ge­ra­mos 8 bi­lhões de to­ne­la­das de plás­ti­co no pla­ne­ta ter­ra”, “Um Ice­berg do ta­ma­nho do Dis­tri­to Fe­de­ral aca­ba de se sol­tar no Po­lo Sul e fi­ca à de­ri­va no oce­a­no”, “Es­cas­sez hí­dri­ca as­so­la o Bra­sil”, “Apa­gão enér­gi­co”. Os de­sa­fi­os são co­los­sais e por is­so mes­mo uma em­pre­sa ou ins­ti­tu­i­ção que al­me­je fa­zer uma ver­da­dei­ra di­fe­ren­ça ou bus­car mi­ni­mi­zar es­ses im­pac­tos, de­ve­rá não so­men­te re­ver seus pro­ces­sos in­ter­nos, mas ga­ran­tir que o po­ten­ci­al das trans­for­ma­ções que ge­ra se­rão não arit­mé­ti­cos, mas sim ge­o­mé­tri­cos e ex­po­nen­cia­is.

To­das as es­fe­ras or­ga­ni­za­cio­nais pre­ci­sam es­tar em­pe­nha­das na ela­bo­ra­ção de um mo­de­lo eco­nô­mi­co ca­paz de aten­der às ne­ces­si­da­des do ho­mem sem cau­sar da­nos ao pla­ne­ta, ou mi­ni­mi­zan­do tais im­pac­tos. Uma com­ple­ta mu­dan­ça de pa­ra­dig­ma.

Ins­ti­tu­i­ções, em­pre­sas, go­ver­nos e so­ci­e­da­de ci­vil têm um pa­pel fun­da­men­tal na cons­tru­ção de um mun­do me­lhor pa­ra to­dos. O com­pro­mis­so com es­te no­vo pa­ra­dig­ma de de­sen­vol­vi­men­to de­ve ser trans­ver­sal, de for­ma a atin­gir to­das as ca­ma­das da so­ci­e­da­de e ge­rar os re­ais be­ne­fí­ci­os da sus­ten­ta­bi­li­da­de.

Tra­ba­lhar no de­sen­vol­vi­men­to da ca­deia de va­lor pa­ra uma atu­a­ção sus­ten­tá­vel, em es­pe­ci­al com os for­ne­ce­do­res, é uma das prin­ci­pa­is for­mas en­con­tra­das pa­ra tri­lhar es­sa jor­na­da.

O pro­ces­so de de­sen­vol­vi­men­to de for­ne­ce­do­res pa­ra a Sus­ten­ta­bi­li­da­de per­cor­re um ca­mi­nho que pas­sa pe­la ca­pa­ci­ta­ção dos co­la­bo­ra­do­res da em­pre­sa – pa­ra que es­te­jam ap­tos a com­pre­en­der a sua res­pon­sa­bi­li­da­de e po­der de in­flu­ên­cia jun­to aos de­mais ato­res do mer­ca­do –, cri­a­ção de ma­te­ri­ais de co­mu­ni­ca­ção tais co­mo ma­nu­ais, ví­de­os, e-le­ar­ning, en­tre ou­tros.

Em um con­tex­to mais avan­ça­do, po­de tam­bém ser ela­bo­ra­da uma ma­triz que des­do­bra as­pec­tos so­ci­ais e am­bien­tais em per­gun­tas que po­de­rão ser res­pon­di­das pe­los for­ne­ce­do­res, as­sim se­rá pos­sí­vel ob­ter uma vi­são ge­ral do pon­to on­de ca­da um se en­con­tra em re­la­ção ao de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel e co­mo po­dem avan­çar nes­se te­ma.

A re­a­li­za­ção de um pro­gra­ma de de­sen­vol­vi­men­to de for­ne­ce­do­res com fo­co na sus­ten­ta­bi­li­da­de, vi­san­do um im­pac­to am­bien­tal e so­ci­al na ca­deia de va­lor, em ge­ral exi­ge mai­or es­for­ço fi­nan­cei­ro e tem­po no co­me­ço do pro­ces­so, con­tu­do, a mé­dio e lon­go pra­zos pas­sa a ge­rar mais re­sul­ta­dos com me­nor de­man­da de es­for­ços. Pois uma vez que os for­ne­ce­do­res e a ca­deia de va­lor pas­sam pe­lo pro­ces­so de edu­ca­ção e en­ga­ja­men­to pa­ra Sus­ten­ta­bi­li­da­de, am­pli­an­do sua com­pre­en­são do ali­nha­men­to es­tra­té­gi­co do De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel com a com­pe­ti­ti­vi­da­de e pe­re­ni­da­de do seu ne­gó­cio o no­vo pa­drão men­tal se ins­ta­la, os no­vos com­por­ta­men­tos, ha­bi­li­da­des e ati­tu­des pa­ra uma ges­tão sus­ten­tá­vel pas­sam es­tar vi­gen­tes.

As or­ga­ni­za­ções e em­pre­sas in­te­res­sa­das em atu­ar nes­sa fren­te po­dem in­clu­ir o pas­so a pas­so em seu pla­ne­ja­men­to es­tra­té­gi­co anual, com uma vi­são de lon­go pra­zo no fa­mo­so fi­ve ye­ar plan (pla­ne­ja­men­to de 5 anos) e re­for­çar ain­da mais seu po­si­cio­na­men­to em De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel, fir­man­do um com­pro­mis­so não só com os re­sul­ta­dos de cur­to pra­zo, co­mo com as trans­for­ma­ções a lon­go pra­zo.

Há al­guns anos, es­ta­be­le­ceu-se en­tre as em­pre­sas va­re­jis­tas a prá­ti­ca de re­a­li­zar gran­des con­fe­rên­cias e ou­tros even­tos com fo­co nes­sa te­má­ti­ca, pa­ra os qua­is os for­ne­ce­do­res são con­vi­da­dos e es­ta­be­le­cem, jun­tos, as me­tas de lon­go pra­zo em prol da sus­ten­ta­bi­li­da­de. Tan­to for­ne­ce­do­res de pro­du­tos co­mo os de ser­vi­ços par­ti­ci­pam. As mu­dan­ças pro­pos­tas são to­das ali­nha­das aos mo­vi­men­tos da so­ci­e­da­de com os Ob­je­ti­vos do De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel, com re­qui­si­tos le­gais, cer­ti­fi­ca­ções, en­tre ou­tros. São ca­da vez mais co­muns a men­su­ra­ção de re­sul­ta­dos na ele­va­ção de per­for­man­ce e ino­va­ção des­sas em­pre­sas, que per­ce­bem cla­ros re­sul­ta­dos eco­nô­mi­cos.

 

(Li­li­a­ne Ro­cha – É Fun­da­do­ra e CEO da Ges­tão Kai­rós – con­sul­to­ria es­pe­cia­li­za­da em Sus­ten­ta­bi­li­da­de e Di­ver­si­da­de. Au­to­ra do li­vro “Co­mo ser um lí­der In­clu­si­vo”. Mes­tre em Po­lí­ti­cas Pú­bli­cas pe­la FGV, MBA Exe­cu­ti­vo em Ges­tão da Sus­ten­ta­bi­li­da­de na FGV, Es­pe­cia­li­za­ção em Ges­tão Res­pon­sá­vel pa­ra Sus­ten­ta­bi­li­da­de pe­la Fun­da­ção Dom Ca­bral, MBA em Co­a­ching pe­la So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Co­a­ching, gra­du­a­da em Re­la­ções Pú­bli­cas na Cás­per Lí­be­ro)

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais