Opinião

Magníficas magnólias

diario da manha

Em fren­te ao pré­dio on­de mo­ro, um mo­des­to con­do­mí­nio re­si­den­ci­al, cres­cem du­as mag­ní­fi­cas mag­nó­li­as, ago­ra em ple­na flo­ra­ção. Mag­nó­li­as são aque­las ár­vo­res fron­do­sas, de fo­lhas lar­gas, li­sas, de um ver­de bri­lhan­te na par­te de ci­ma e meio cres­pas na par­te de bai­xo. Elas pro­du­zem flo­res gran­des, com cin­co pé­ta­las tão gros­sas que pa­re­cem de pa­pel cre­pom. Exis­tem mag­nó­li­as com flo­res de vá­ri­as co­res, as mi­nhas são bran­cas e enor­mes.

Mi­nha noi­te po­de ter si­do mal dor­mi­da, o dia po­de não pro­me­ter gran­des coi­sas, mas, to­da ma­nhã, ao vê-las no es­plen­dor de sua flo­ra­ção, sin­to as for­ças me re­no­va­rem de den­tro pa­ra fo­ra. Cla­ro que te­nho con­sci­ên­cia dos tem­pos di­fí­ceis que atra­ves­sa­mos, dos des­man­dos go­ver­na­men­tais, da in­di­fe­ren­ça dos po­lí­ti­cos pe­las cau­sas mai­o­res da na­ção e de tan­tas ou­tras ma­ze­las co­ti­dia­nas.

Con­tu­do, não sei bem por que, as mag­nó­li­as tam­bém me fa­zem lem­brar dos qui­nhen­tos e tan­tos me­ni­nos e me­ni­nas, alu­nos de es­co­las pú­bli­cas que, re­cen­te­men­te, re­ce­be­ram tro­féus nas olim­pía­das de ma­te­má­ti­ca, de vá­rios ou­tros que ga­nha­ram prê­mios in­ter­na­cio­nais em com­pe­ti­ções de en­ge­nha­ria me­ga­trô­ni­ca, dos inú­me­ros  jo­vens ci­en­tis­tas nas mais di­ver­sas áre­as, des­de tec­no­lo­gia da ino­va­ção, uti­li­za­ção sus­ten­ta­da da bi­o­di­ver­si­da­de, con­ser­va­ção da na­tu­re­za e trans­for­ma­ção so­ci­al, agra­ci­a­dos com prê­mios iné­di­tos no Pa­ís, to­dos me­ga con­cor­ri­dos. Em to­dos os cam­pos do sa­ber nos­sos jo­vens bri­lham, bas­ta que lhes de­em opor­tu­ni­da­de e am­bi­en­te pro­pí­cio pa­ra de­sen­vol­ver seus ta­len­tos e ha­bi­li­da­des pe­cu­li­a­res. São eles que con­du­zi­rão o Bra­sil em di­re­ção à quar­ta re­vo­lu­ção in­dus­tri­al, cha­ma­da in­dús­tria 4.0, es­se uni­ver­so ain­da mis­te­ri­o­so que abran­ge coi­sas co­mo big da­ta, in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­cial, in­ter­net das coi­sas, ro­bó­ti­ca, sen­so­res in­te­li­gen­tes e tan­tas ou­tras.

Mi­nhas mag­ní­fi­cas mag­nó­li­as flo­res­cem du­as ve­zes por ano, to­dos os anos. Co­mo elas, nos­sos jo­vens apre­sen­tam seus ta­len­tos anual­men­te em fei­ras de ci­ên­cia e com­pe­ti­ções de to­do nai­pe. Eles se apre­sen­tam di­an­te da na­ção e nos pe­dem ape­nas apoio, res­pei­to e ade­qua­das con­di­ções de tra­ba­lho pa­ra con­ti­nu­ar fa­zen­do aqui­lo que mais gos­tam: es­tu­dar, cri­ar, in­ven­tar e ex­pan­dir seu po­ten­ci­al, pre­pa­ran­do o Bra­sil do fu­tu­ro, on­de pre­do­mi­na­rão tec­no­lo­gi­as que ho­je ape­nas en­ga­ti­nham. No cé­re­bro cri­a­ti­vo des­ses jo­vens es­tão sen­do ge­ra­das cri­a­ções ori­gi­nais que de­li­ne­a­rão o fu­tu­ro do nos­so Pa­ís.

Nes­se ema­ra­nha­do de pro­ble­mas em que nos de­ba­te­mos di­a­ria­men­te, es­ses jo­vens e as mag­nó­li­as me en­chem de es­pe­ran­ça de um fu­tu­ro mais jus­to, re­ple­to de de­sa­fi­os e tam­bém de pro­mes­sas de um por­vir me­lhor.

 

(Tar­ci­so Fil­guei­ras, pes­qui­sa­dor e pro­fes­sor. E-mail: [email protected])

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais